quinta-feira, 28 de maio de 2015

Salentein Reserve Malbec 2013


Tipo: Tinto.
Produtor: Bodegas Salentein.
Origem: Vale de Uco, Mendoza, Argentina.
Visual: Cor violeta de média intensidade.
Olfato: Floral, com notas de violeta, também apresenta toques de ameixa, canela, baunilha, noz moscada, melaço e chá. Uma gama aromática muito interessante e agradável.
Paladar: Médio corpo, boa acidez e taninos macios. O sabor traz de volta as sensações sentidas no nariz.
Outras considerações: Elaborado 100% com uvas Malbec, plantadas a cerca de 177 metros de altitude, maturou em barricas de carvalho por 12 meses. Tem 14% de álcool. Tem potencial de guarda.

Classificação: Muito Bom/Excelente.
Média de preço: R$ 75 (Importado pela Zahil).

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Empresa portuguesa cria espumante de morango


Os sócios Garry Mercer, Nuno Ramalheira e David George estão produzindo em Zambujeira do Mar, Portugal, um espumante elaborado a partir da fermentação de morangos. A bebida chama-se Monte da Fonte e será lançada hoje, em Lisboa, na Oficina do Vinho. 

Segundo Garry Mercer, diferentemente das uvas, os morangos podem ser colhidos praticamente toda semana. Ele diz que não quer comparar a sua bebida ao vinho, mesmo o processo de produção sendo quase o mesmo.

Segundo os produtores, o Monte da Fonte é uma bebida seca, espumante e frutada, sendo uma alternativa ao vinho. "Contém apenas morangos frescos cultivados e apanhados quando apresentam o balanço perfeito entre o doce e o ácido". A empresa que fabrica o produto chama-se Something New.

Feira de destilados no Recife


No próximo dia 09 de junho, a Casa dos Frios irá realizar a sua I Feira de Destilados, que acontecerá na loja do bairro das Graças. O evento, que começa a partir das 17h, reunirá as maiores marcas de destilados do país e do mundo em uma amostra inédita e contará com workshop exclusivo do mixologista Luciano Guimarães.

A degustação envolverá produtos como Johnnie Walker Gold, Chivas Regal Extra (lançamento), Rum Zacapa, Whisky Macallan Amber Single Malt, Whisky Glenmorangie Single Malt, Cognac Henessey VSOP, Sakê Gekkeikan, Licores Lucano, Licor Gran Marnier, Run Havana, Vodka Absolut Elyxx, Vodka Belvedere, Vodka Kettel One, Vodka Stolichnaya Elit, Whisky Somokehead Single Malt, Gin Beefeater, Gin Tanqueray, Cachaça Ypioca Cinco Chaves (lançamento) e Tequila Jose Cuervo Platino, entre outros.

A participação individual custa R$ 100. Os ingressos já estão à venda nas lojas Casa dos Frios (Graças e Boa Viagem) e no Winebar do Shopping RioMar.Vagas limitadas.

terça-feira, 26 de maio de 2015

Carpineto Dogajolo Toscano Rosso IGT 2012


Tipo:
Tinto.
Produtor: Carpineto.
Origem: Toscana, Itália.
Visual: Cor rubi de média intensidade.
Olfato: Discreto e delicado, exala notas de ameixa, mentol, especiarias e chocolate.
Paladar: Leve e fácil de beber, com acidez e taninos em harmonia. O sabor reflete as sensações aromáticas.  
Outras considerações: Elaborado com as uvas Sangiovese (70%), Cabernet Sauvignon e outras variedades (30%), o vinho maturou seis meses em carvalho. Tem 13,5% de álcool.

Classificação: Muito Bom/Excelente.
Média de preço: R$ 70 (www.wine.com.br)

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Wine.com.br lança clube exclusivo de espumantes


A partir do próximo mês, os aficionados por espumantes vão poder receber em casa seleções exclusivas da bebida feitas pelo Clube W, clube mantido pela Wine.com.br - terceiro maior e-commerce de vinhos do mundo.

A nova opção de assinatura ficará disponível somente por três meses e a quantidade de sócios será limitada. Serão 9 mil ao todo e os assinantes terão os mesmos benefícios que existem hoje nos outros clubes (ClubeW One, Classic e Premium) como: 15% de desconto e entrega gratuita em todas as compras no site.

"Preparamos seleções com estilos diferentes para levar para a casa dos sócios toda experiência que os espumantes podem oferecer”, explica Vicente Jorge, Winehunter da Wine.com.br.

A primeira seleção do ClubeW Espumantes incluirá dois rótulos espanhóis: Real de Aragón Cava Brut e Real de Aragón Cava Brut Rosé. O valor de cada garrafa será de R$ 58.

Mais informações: https://goo.gl/nBvXy8

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Bom, bonito e barato: Xylo #1 2011

Este vinho faz parte de projeto pessoal do enólogo suiço Hubert Weber, o mesmo da vinícola argentina Cavas de Weinert. É um interessante blend argentino das uvas Bonarda, Syrah e Tempranillo, que faturou 90 pontos do Guia Descorchados, sendo eleito um “Blend Super Preço da Argentina”. Estou totalmente de acordo com eles. Trata-se de mais um achado com boa qualidade entre preço e qualidade. É um vinho que já está evoluído, no ponto para ser apreciado.


Confira a avaliação:

Tipo: Tinto.
Produtor: Hubert Weber.
Origem: Mendoza, Argentina.
Visual: Cor granada, de média profundidade. Discretos sedimentos provenientes da não filtração da bebida.
Olfato: Morango em compota, especiarias, alcaçuz, eucalipto e notas terrosas.
Paladar: Médio corpo e boa acidez, é um vinho leve, que traz no sabor as mesmas características encontradas no olfato.
Outras considerações: Elaborado com 60% Bonarda, 25% Syrah, 15% Tempranillo, maturou três meses em cubas de cimento. Tem 13,5% de álcool. O rótulo é bonito, mas não tem muito boa qualidade, ficando facilmente enrugado com a guarda na adega climatizada.

Classificação: Boa compra.
Média de preço: R$ 35 (www.buywine.com.br)

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Bom bonito e barato: Aves del Sur Merlot 2014

Quem me conhece sabe que eu adoro descobrir pechinchas. É certo que na maioria das vezes eu me dou mal, mas de vez em quando encontro uns achados como este aqui. Trata-se de um vinho simples, sem muita complexidade, mas que é macio, agradável e equilibrado. Uma ótima pedida para o dia a dia e para aqueles que estão iniciando no mundo dos vinhos. Além do mais, o rótulo é lindo.


Tipo: Tinto.
Produtor: Carta Vieja.
Origem: Vale do Maule, Chile.
Visual: Cor violeta de média profundidade.
Olfato: Aroma frutado, que remete a ameixa, cereja, canela e um leve toque de melaço.
Paladar: Apresenta corpo médio e taninos adocicados. Um vinho macio e fácil de tomar, que traz para o sabor as mesmas sensações do nariz. Final médio.
Outras considerações: Elaborado com uvas Merlot, tem 13% de álcool. Não tem passagem por madeira.

Classificação: Boa compra.
Média de preço: R$ 21,90 (Em promoção no Pão de Açúcar)

terça-feira, 19 de maio de 2015

Rui Paula incrementa o cardápio apostando em pratos menos sofisticados


O restaurante que tem uma das melhores cartas de vinho do Recife está de cardápio novo. O chef português Rui Paula (foto), que dá nome à casa, está passando uma temporada na cidade para ajustar os detalhes do menu. Ontem à noite, pude conhecer uma mostra do que vai ser servido no estabelecimento a partir da próxima semana. A proposta do chef é adaptar a sua culinária ao paladar local, utilizando ingredientes que estão ao alcance na própria região.

“São pratos mais simples, que vão ao encontro do gosto local”, explica Rui Paula. São cerca de 15 novas opções no cardápio, todas seguindo esse conceito, porém com algumas exceções, como o delicioso bacalhau coberto com um creme de azeitonas pretas e servido com purê de grão de bico envolto em um charuto de couve.


Nesta execução o chef mostra a sua apurada técnica compondo o prato com esferas de clara de ovo preservadas em azeite. Um primor de prato, que foi muito bem harmonizado com o vinho verde VARANDA DO CONDE ALVARINHO TRAJADURA 2013.


Aliás, os vinhos mostrados durante a apresentação do novo cardápio foram muito bem escolhidos – todos da Veloz Distribuição, que traz os rótulos das importadoras Casa Flora e Porto a Porto.

Rui Paula, que é integrante do júri do reality show Masterchef em Portugal, diz que o seu restaurante no Recife tem recebido uma boa média de público no almoço e que neste mais de um ano de funcionamento ele vem tentado traduzir o gosto do cliente brasileiro. 

Os preços, por exemplo, baixaram. A cozinha também tem se esforçado para atender as sugestões os clientes. “Porém o serviço diferenciado continua”, ressalta o chef, que possui três restaurantes com propostas diferentes em Portugal: DOC, DOP e Boa Nova - este último uma casa de chá para 30 pessoas.

Entre as outras boas opções para provar no novo cardápio do Rui Paula estão:

:: Entrada de camarão com purê de couve flor e molho de frutos do mar


A sugestão de acompanhamento é o tradicional cava DON ROMÁN BRUT.


:: Um prato simples e muito saboroso de feito da coxinha da asa de galinha acompanhada de batata recheada com tomate e molho aioli - preparado à base de alho, azeite e gemas de ovos. 


Vai bem com o vinho DUORUM COLHEITA 2012, um tinto do Douro muito macio e agradável.


:: Pica-pau de filet mignon com arroz de alho e picles da casa, criação inspirada em um prato servido no restaurante Pinóquio, em Lisboa. 


Este combinou perfeitamente com o tinto italiano CELLARO MICINA NERO D'AVOLA NERELLO MASCALESE 2013, produzido na Sicilia.


:: O divino parfait de vinho do Porto com castanhas do Pará, chocolate negro e laranja para a sobremesa. 


Experimente com o envolvente JUSTINO’S MADEIRA 3 ANOS.


Rui Paula Recife
Shopping RioMar, Pina, piso L1, Recife-PE.
Informações e reservas: (81) 3048-4293.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Vinhos brasileiros feitos com a uva Merlot têm mais resveratrol

Um estudo coordenado pela pesquisadora do Laboratório de Referência Enológica (Laren) e professora da Universidade de Caxias do Sul (UCS), Regina Vanderlinde (foto), concluiu que, em relação às demais variedades, os vinhos Merlot apresentaram maiores concentrações de resveratrol – polifenol presente na uva e que faz bem à saúde.


O teor máximo entre todas as amostras analisadas foi encontrado em um Merlot brasileiro (15,9 mg.L-1), onde também se identificou o maior teor médio de resveratrol (8,73 mg.L-1), diferenciando-se dos teores médios dos vinhos dos outros países que não apresentaram diferença estatística entre si: argentinos (1,71 mg.L-1), chilenos (2,64 mg.L-1) e uruguaios (4,93 mg.L-1).

“Os teores médios de resveratrol encontrados nos vinhos brasileiros são superiores aos encontrados em outros países sul-americanos. A variedade Merlot apresentou valor médio mais elevado das estudadas. Os teores de resveratrol nos vinhos brasileiros pressupõe propriedades benéficas à saúde mais elevadas que os vinhos de outros países”, resume Regina.


A concentração do resveratrol nas uvas e vinhos varia de acordo com a variedade, origem geográfica, ação de patógenos e processos de fermentação. A substância encontra-se nos grãos, raízes, sementes e, principalmente, nas cascas das uvas.

Insolia Y 2013


Tipo: Branco.
Produtor: Baglio di Pianetto.
Origem: Sicilia, Itália.
Visual: Coloração amarelo palha com reflexos dourados.
Olfato: Caráter frutado, com notas de abacaxi, pera, leve toque cítrico e de mel.
Paladar: Equilibrado, fresco e macio. De médio a encorpado, traz no sabor discretas notas minerais, junto com as mesmas sensações do nariz.
Outras considerações: Elaborado 100% com a variedade italiana Insolia, é um vinho fresco e elegante, que combina bem com a comida, principalmente pescados, frutos do mar e carnes brancas. Tem 12,5% de álcool.

Classificação: Muito Bom.
Média de preço: R$ 97 (Domno Importadora)

Jorge Rosas comanda degustação dos vinhos Ramos Pinto no Recife


O enólogo da vinícola portuguesa Ramos Pinto, Jorge Rosas, vai estar no Recife no próximo dia 22, onde comandará degustação e jantar no restaurante Azú, no Cabanga Iate Clube.

O evento é aberto ao público interessado, com inscrições no valor de R$ 190 por pessoa. Na ocasião, serão degustados seis rótulos, todos elaborados na região do Douro. A iniciativa é da LD Importação.

Informações e reservas: (81) 9128-7894 | 8938.4325.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

"O Vinho Perfeito" entra em cartaz este mês nas telonas brasileiras


O longa-metragem italiano "O Vinho Perfeito", dirigido pelo cineasta Ferdinando Vicentini, deve entrar em breve em exibição nos cinemas brasileiros. A trama, que mescla comédia e suspense, traz Vincenzo Amato no papel de Giovanni, o especialista em vinhos mais reverenciado da Itália.

Com fama de galanteador, Giovanni abandonou o emprego de bancário para se dedicar à arte de apreciar a bebida e reconhecer safras exclusivas. Até que, certo dia, ele é acusado pelo assassinato da esposa Adele (Giovanna Mezzogiorno) e vai parar na delegacia, onde o quebra-cabeça de sua paixão louca pelo vinho é desvendado.


A película foi exibida no ano passado, na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. A data exata da estreia ainda não foi informada, mas provavelmente acontecerá ainda este mês.

A divulgação no Brasil é da Tucuman Filmes.

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Degustação vertical do vinho Erasmo: safras de 2009, 2007, 2006 e 2002

Continuando o relato sobre a degustação com o conde Francesco Marone Cinzano, entramos agora na degustação vertical do vinho Erasmo realizada naquela noite, na Casa dos Frios, no Recife. Foram quatro safras da bebida: 2009, 2007, 2006 e 2002.


O Erasmo é um vinho de autor, produzido desde 2001 na Reserva de Caliboro, no Vale do Maule, no Chile. O seu nome é em homenagem a um produtor local que ajudou a preparar o solo e a plantar os vinhedos que viriam dar origem à bebida. É um vinho de guarda, não filtrado e de produção limitada, concebido pelo enólogo e consultor italiano Maurizio Castelli.

Na sua elaboração são usadas as castas Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc - o “trio de ouro” característico da região francesa de Bordeaux, e, eventualmente, a uva Syrah. A maturação é de um ano ou mais em carvalho francês e envelhecimento de mais um ano em garrafa.

Confira as impressões sobre os vinhos provados:

Erasmo 2009



Nesta safra, foram utilizados na elaboração do vinho 60% de Cabernet Sauvignon, 25% de Merlot, 10% Cabernet Franc e 5% de Syrah. A fermentação ocorreu com a utilização de leveduras nativas. Sua coloração apresentou-se rubi brilhante, de média profundidade. Os aromas trazem notas de ameixa, mentol, amora e pimenta do reino.  Paladar equilibrado, com taninos marcantes e boa acidez. O sabor reflete as sensações do nariz e traz ainda toques de café e noz moscada. Final de médio a prolongado. É um vinho que ainda vai evoluir. Maturou 18 meses em carvalho francês e mais 12 meses em garrafa.

Classificação: Muito Bom.

Erasmo 2007



Aqui aparece a composição tradicional do Erasmo, com 60% de Cabernet Sauvignon, 30% de Merlot e 10% de Cabernet Franc. Estagiou 18 meses em carvalho francês e mais 12 meses em garrafa. Tem coloração rubi de média profundidade e aromas que remetem a ameixas, menta, pimenta do reino, noz moscada, cânfora e um leve toque de couro. Um vinho bem estruturado, com ótimo ataque inicial de boca, remetendo a frutas, taninos envolventes e final prolongado. Já havia provado este vinho em 2012 e pude constatar que ele evoluiu bastante de lá para cá. Deve ainda melhorar com a guarda.

Classificação: Muito Bom/Excelente.
Preço: R$ 76,90 [No Recife, na Casa dos Frios]

Erasmo 2006




Repete-se a composição de 60% Cabernet Sauvignon, 30% Merlot e 10% Cabernet Franc, com estágio de 18 meses em carvalho francês e mais 12 meses em garrafa. Sua cor mostrou-se rubi clara com traços granada. O aroma traz notas de ameixa, canela, alcaçuz, café, mentol e toques terrosos. Na boca aparecem taninos finos e delicada acidez. O sabor é composto pelas mesmas características do nariz. Final prolongado e marcante. Ainda pode evoluir com a guarda.

Classificação: Excelente.

Erasmo 2002



O mais antigo da vertical também tem em sua composição 60% de Cabernet Sauvignon, 30% de Merlot e 10% de Cabernet Franc. A maturação em carvalho francês foi de 12 meses, assim como o descanso em garrafa. Apresentou coloração rubi clara com reflexos granada. No olfato já se nota sinais de evolução, com aromas terciários, tipo couro. Aparecem notas de casca de laranja, noz moscada, pimenta do reino e frutas vermelhas maduras. Paladar seco, envolvente e equilibrado, remetendo principalmente a flores secas. Final de boca persistente. Para mim, está no ponto para ser apreciado.

Classificação: Excelente.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Os vinhos do conde Francesco Marone Cinzano


Na semana passada, estive numa degustação com a presença do conde Francesco Marone Cinzano, que produz vinhos na região da Toscana, Itália, e Vale do Maule, no Chile. Ele é responsável por duas reconhecidas marcas mundiais da bebida: a Col d’Orcia, com seus belos Brunellos, e a Reserva de Caliboro, com o premiado Erasmo. O encontro aconteceu no Recife, na Casa dos Frios, numa iniciativa entre os importadores Franco Suissa e Licínio Dias.

A família de Francesco era proprietária da famosa marca de vermute Cinzano, que em 1997 passou a fazer parte do grupo Diageo e posteriormente foi vendida à Campari. Mas o vinho também faz parte da tradição dos seus parentes. Os antepassados do conde estão no ramo da bebida desde o século XVI. Tanto é que ele mesmo afirma que em suas veias “não corre sangue, mas sim vinho”.

Em 1973, o pai de Francesco adquiriu uma das vinícolas mais antigas da região de Montalcino, na Toscana, a Tenuta Col D’Orcia. Naquela época, os Brunellos não eram tão valorizados quanto na atualidade. Mais tarde, o conde assumiu os negócios com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento da marca nos mercados mundiais. Seus vinhos hoje estão presentes em mais de 60 países, sendo a própria Itália o seu principal mercado.


Em 1995, Francesco Marone Cinzano resolveu iniciar no Chile um novo negócio de vinhos de qualidade, com seu projeto Reserva di Caliboro. Localizada no Maule, dá origem aos vinhos Erasmo, feitos ao estilo do Velho Mundo.

Confira a avaliação sobre alguns vinhos degustados na noite, que contou com menu preparado pelo chef Jeff Collas:

Erasmo Barbera Garnacha 2013


Elaborado na Reserva di Caliboro, no Vale do Maule, Chile, este tinto com proposta de jovialidade é feito com as variedades Barbera (65%) Garnacha (25%) e uma pequena porção (10%) de Carignan. De coloração rubi violácea clara, traz aromas de frutas maduras, canela e flores secas. Paladar de corpo médio, mostrando boa acidez e persistência. O sabor exprime as mesmas sensações do nariz. Não tem passagem por madeira. Sua graduação alcoólica é de 14%.

Classificação: Bom.
Preço: R$ 79,90*.

Rosso di Montalcino Col D’Orcia 2009


“Irmão caçula” do Brunello, o Rosso é feito para ser apreciado mais jovem. Porém, este aqui mostra grande qualidade. Sua coloração mostrou-se granada, pouco profunda. O aroma envolve notas de cereja, flores secas, menta, alcaçuz e caramelo. Na boca, corpo leve, boa acidez, final persistente e equilibrado. Sabor delicado, ressaltando as ervas. Maturou de 10 a 12 meses em grandes barris de carvalho. Tem 14,5% de álcool.

Classificação: Muito Bom.
Preço: R$ 125*.

Brunello di Montalcino Col D’Orcia 2006


Este é o Brunello “de entrada” da Col D'Orcia, pois acima dele ainda vêm o Reserva e o Poggio al Vento. Com amadurecimento de três a quatro anos e carvalho francês e esloveno, é um tinto de cor granada pouco profunda. Merece boa aeração para que se sinta todo o potencial do seu aroma, onde se registram aromas de framboesa, tabaco, menta e café. Possui grande presença de boca, bem estruturado, com taninos maduros e elegantes. O sabor traz de volta as características do nariz e ainda notas terrosas e de especiarias. Final prolongado. Graduação alcoólica de 14%.

Classificação: Excelente (potencial de melhora).
Preço: R$ 315*.

No próximo post, uma vertical das safras de 2009, 2007, 2006 e 2002 do Erasmo.

SERVIÇO:
No Recife, os vinhos podem ser encontrados na Casa dos Frios*
Graças (81) 2125-0000 | Boa Viagem (81) 2125-0231.

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Conheça a melhor foto de vinho de 2015

Saíram os finalistas da edição 2015 do prêmio de fotografia gastronômica "Food Photographer of the Year".

São imagens de diversas situações relacionadas a comida e bebida, sendo uma delas de vinho, feita pelo fotógrafo australiano Victor Pugatschew. A foto é esta abaixo (clique para ampliar):


Segundo o crítico gastronômico e jurado da competição, Jay Rayner, a imagem saiu do clichê das fotos de vinho, que são garrafas e formas geométricas. Ela mostra a prensagem da uva Pinot Noir.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

.Nero Blanc de Blancs Golden Conceptual Edition

Já tinha provado anteriormente este excelente espumante brasileiro, mas não tinha falado ainda sobre ele por aqui. Neste feriadão, resolvi abrir outra garrafa, diga-se de passagem, uma das mais bonitas produzidas no território nacional, e confirmar mais uma vez a boa qualidade do produto.


Confira a avaliação:

Tipo: Espumante.
Produtor: Domno Brasil.
Origem: Vale dos Vinhedos (RS), Brasil.
Visual: Cor amarelo palha com tons esverdeados. Exibe borbulhas finas, numerosas e persistentes.
Olfato: Frutado delicado, que envolve notas de lichia, abacaxi, pera e mel.
Paladar: Cremoso, de boa acidez e sabor elegante, traz de volta as sensações sentidas no olfato. Final longo, com um leve toque de frutas secas.
Outras considerações: Este espumante é elaborado pelo método Charmat (com segunda fermentação em tanques de inox), porém com contato de 18 meses com suas leveduras. É elegante, fresco e com potencial de guarda. Produzido apenas com uvas Chardonnay, tem 12% de álcool. Vem em uma bonita embalagem dourada, o que reforça a preocupação da Domno também com a estética do produto. Uma ótima opção para presente.

Classificação: Excelente.
Média de preço: R$ 155 (rótulo com detalhe em metal) | R$ 104 (rótulo adesivado). No Recife, pode ser encontrado no Empório Pescadero, em Casa Forte.

Il Pastifício resgata as raízes da comida artesanal italiana

Conheci há alguns dias um lugar muito bacana no Recife. Localizado em Boa Viagem, o Il Pastifício é uma casa que tem como proposta oferecer massas, molhos, antepastos, sopas e outros produtos artesanais, preparados pelo chef italiano Paolo Cacitti, e também comercializar vinhos de diversas regiões daquele país.


São várias opções para o cliente levar para casa, tudo preparado com ingredientes selecionados, como a farinha de trigo legitimamente italiana. Mas quem quiser provar a culinária de Paolo Cacitti na própria loja, o espaço conta com uma simpática cantina, aberta para o almoço. O chef comanda o estabelecimento junto com sua esposa, Giovanna (na foto abaixo, com Paolo).


Entre algumas delícias que provei por lá, indico o Bacalhau alla Vicentina (foto abaixo), Lasagnette ai Frutti di Mare e Risoto al Barbaresco e Salsiccia. Outro prato interessante é a Torta Pasqualina, torta salgada que se come durante a Páscoa na Itália - uma espécie de massa folhada com ricota, parmesão e ovo. Para a sobremesa, experimente o tradicional Tiramisu.


Os pescados e frutos do mar caem bem com o vinho branco Cortese Alto Monferrato La Viola. Os demais pratos combinam com um tinto “coringa”, como o Chianti Poggio Capponi.


Falando de vinhos, a casa oferece uma boa gama de rótulos, entre espumantes, tintos e brancos. Um dos destaques é o Sasso di Sole Brunello di Montalcino. Outra boa pedida é o Cantina Rasore Barbaresco Torrato. Mas a carta também conta com opções para o dia a dia, como o Rasore Terre Siciliane Nero d'Avola IGT, Orme Nero di Troia Puglia IGT, Campo del Sole Sangiovese Superiore di Romagna e Les Caves du Roi Garganega Chardonnay Veneto IGT, entre outros.

SERVIÇO:

Il Pastificio
Rua Carlos Pereira Falcão 184, Boa Viagem, Recife, PE.
Fones: (81) 3325-9453
www.ilpastificio.com.br

terça-feira, 5 de maio de 2015

Saiba quais são os melhores Vinhos Verdes de 2015


A Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) divulgou, no final do último mês, a lista dos melhores rótulos de 2015. A cerimônia de premiação aconteceu na cidade do Porto, no Palácio da Bolsa.

Este ano, foram avaliadas mais de 250 amostras. Destas, cinco receberam a distinção “Best Of”, 12 foram classificados na categoria “Ouro” e 13 na categoria “Prata”, escolhidas por um júri internacional formado por especialistas e jornalistas.

Confira os ganhadores:

BEST OF:
  • Quinta de Linhares Arinto 2014 (Agri-Roncão Vinícola, Lda.)
  • Dona Paterna Alvarinho 2014 (Carlos Alberto Condesso)
  • Modestu’s Arinto 2014 (Modesto Augusto Freitas Castro)
  • Quinta das Pereirinhas Alvarinho 2014 (Quinta das Pereirinhas – Alvarinho de Monção, Lda.)
  • Terras de Monção Alvarinho 2014 (Savam – Sociedade Agrícola de Vinho Alvarinho de Monção, Lda.

OURO:
  • Curvos Branco Superior 2014 (Quinta de Curvos – Sociedade Agrícola, S.A.)
  • Quinta de Gomariz Rosé Colheita Seleccionada Padeiro 2014 (Quinta de Gomariz – Sociedade Agrícola e Comercial)
  • Estreia Tinto 2014 (Adega Cooperativa de Ponte da Barca, CRL)
  • Messala Alvarinho 2014 (Sociedade Agrícola Casa Pinheiro, Lda.)
  • S. Caetano Escolha Arinto 2014 (Vítor Agostinho Vieira Mendes)
  • Encostas de Caíz Grande Escolha Avesso 2014 (Quinta de Caíz Sociedade Agrícola, Lda.)
  • Quinta da Levada Azal 2014 (Quinta da Levada Sociedade Agrícola Unipessoal, Lda.)
  • Quinta de Linhares Loureiro 2014 (Agri-Roncão Vinícola, Lda.)
  • Santa Cristina Trajadura 2014 (Garantia das Quintas – Sociedade Agrícola e Comercial, Lda.)
  • Quinta de Gomariz Colheita Seleccionada Alvarinho 2014 Regional Minho (Quinta de Gomariz – Sociedade Agrícola e Comercial, Lda.)
  • Muralhas de Monção Espumante Branco Bruto Alvarinho 2012 (Adega Cooperativa Regional de Monção, CRL)
  • Aguardente Ferreirinha (Sogrape Vinhos, S.A.)

PRATA:
  • Quinta da Lixa Branco 2014 (Quinta da Lixa – Sociedade Agrícola, Lda.)
  • Arca Nova Rosé Espadeiro 2014 (Quinta das Arcas – Sociedade Agrícola, Lda.)
  • Conde Vilar Rosé Espadeiro 2014 (Quinta das Arcas – Sociedade Agrícola, Lda.)
  • Adega de Ponte de Lima Tinto Vinhão 2014 (Adega Cooperativa de Ponte de Lima, CRL)
  • Regueiro Reserva Alvarinho 2014 (Quinta do Regueiro – Produtor de Alvarinho de Melgaço, Lda.)
  • Dom Diogo Colheita Seleccionada Arinto 2014 (Quinta da Raza, Lda.)
  • Quinta de Linhares Avesso 2014 (Agri-Roncão Vinícola, Lda.)
  • Quinta de Linhares Azal 2014 (Agri-Roncão Vinícola, Lda.)
  • Quinta dos Curvos Loureiro 2014 (Quinta dos Curvos – Sociedade Agrícola, S.A.)
  • Quinta de Santa Cristina Fernão Pires 2014 (Garantia das Quintas – Sociedade Agrícola e Comercial, Lda.)
  • Quinta da Raza Espumante Branco Bruto 2012 (Quinta da Raza, Lda.)
  • Aguardente Adega Cooperativa de Ponte de Lima (Adega Cooperativa de Ponte de Lima, CRL)
  • Casa de Compostela Alvarinho 2014 Regional Minho (Casa Agrícola de Compostela, S.A.)

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Congresso Mundial do Vinho será realizado no Brasil em 2016


O Brasil vai sediar, no período de 24 a 28 de outubro de 2016, o Congresso Mundial do Vinho. O evento, que é realizado pela Organização Mundial da Vinha e do Vinho (OIV), deverá acontecer em Bento Gonçalves (RS). A notícia será anunciada oficialmente no próximo mês de julho, na Alemanha, país onde ocorre o encontro deste ano.

O evento é conhecido por definir as diretrizes para o setor, como as recomendações para boas práticas de produção de uva e vinho até condições adequadas para a conservação da bebida.
 No ano passado, o Congresso aconteceu na Argentina, com a presença de mais de cem brasileiros, entre representantes do setor e de órgãos federais, como a Embrapa Uva e Vinho e o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin).

Para Helder Borges, chefe da delegação brasileira e da Coordenação-Geral de Vinhos e Bebidas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a realização do evento no país possibilitará maior participação do setor nacional e da área científica brasileira nas discussões internacionais. “É um encontro que induz o desenvolvimento de novos projetos científicos e serve para mostrar ao mundo vitivinícola a nossa realidade”.

No ano passado, a OIV recebeu mais de 500 trabalhos científicos e aprovou dez resoluções durante o Congresso, como a definição das atribuições do sommelier e o código de boas práticas vinícolas para evitar ou limitar a contaminação da bebida por brettanomyces – um gênero de leveduras que interfere no sabor do vinho.

Harmonizando vinho do Porto e bolo de frutas (#CBE)

A sugestão de tema para ser comentado este mês na Confraria Brasileira de Enoblogs (CBE) foi do confrade Gil Mesquita, do blog Vinho Para Todos. Gil, que assim como eu é apreciador de uma boa corrida, fez um pedido nada light, porém muito interessante: qualquer vinho de sobremesa com uma dica de harmonização no post.

Aproveitei o aniversário da minha mãe, que foi ontem, e fiz a minha experiência com o bolo da festa. A iguaria, tipicamente pernambucana, é conhecida como bolo de noiva ou bolo de frutas. A receita original leva frutas cristalizadas e ameixas, mas este foi feito só com as ameixas. A massa também leva vinho do Porto ou moscatel. É um bolo que “apura” o sabor com o passar dos dias. Este estava com quatro dias de “maturação”. Simplesmente irresistível!

Para harmonizar, escolhi um clássico da Ramos Pinto:


Ramos Pinto Porto Tawny

Tipo: Vinho do Porto/Sobremesa/Licoroso/Fortificado.
Produtor: Ramos Pinto.
Origem: Douro, Portugal.
Visual: Cor granada profunda.
Olfato: Amêndoas, canela e frutas secas.
Paladar: Untuoso, com bom equilíbrio entre acidez e doçura. Exibe notas tostadas e traz de volta as sensações do olfato. Final prolongado.
Outras considerações: Elaborado com as variedades Tinta Roriz e Tinto Cão, este vinho maturou em cascos e tonéis de carvalho de três a cinco anos. Tem 19,5% de álcool.

Classificação: Muito Bom/Excelente.
Média de preço: R$ 70 [Licínio Dias (LD) Importação]

O resultado da harmonização:

Os dois elementos apresentaram o mesmo nível de doçura, tornando a combinação agradável. Outro ponto a favor foi o sabor das frutas secas, sentido tanto no bolo quanto no vinho. O sabor “apurado” da sobremesa também se encaixou perfeitamente com o caráter levemente oxidativo do vinho. Resumindo: uma excelente combinação.