sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Jogador da NBA declara que toma banhos de vinho para melhorar a saúde

O jogador de basquete norte-americano, Amare Stoudemire, declarou que toma banhos de vinho tinto para melhorar a saúde. Ele, inclusive, postou uma foto sua no Instagram com o corpo submerso em uma banheira com a bebida.


"O vinho tinto é muito importante pra mim porque me permite criar mais circulação nas células do meu sangue. É muito quente, como uma banheira quente", diz ele. E completa: "Depois de passar por esse dia de recuperação, minhas pernas parecem rejuvenescidas. Sinto-me ótimo, com certeza vou continuar."

O mais curioso é que o jogador diz que não conhece a qualidade do vinho usado em suas sessões.n “Nunca provei”, desabafou.

Stoudemire é pivô do New York Knicks, time que atua na Liga de Basquete dos Estados Unidos (NBA).

*Com informações da ESPN Brasil.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Salton Paradoxo Gewürztraminer 2014

Esta semana pude participar de mais um Winebar ao vivo, evento que reúne blogueiros de vinhos de todo o Brasil para degustar vinhos e comentá-los simultaneamente através da internet. Nesta última edição, os rótulos degustados foram da vinícola gaúcha Salton. A degustação, capitaneada pelos colegas Daniel Perches  e Alexandre Frias, contou com a presença do enólogo-chefe da Salton, Lucindo Copat. Foram provados três lançamentos da marca, entre eles este ótimo branco. Confira a avaliação:


Tipo: Branco.
Produtor: Salton.
Origem: Campanha Gaúcha, Brasil.
Visual: Cor amarelo limão.
Olfato: Aromático, o vinho mostra notas florais, cítricas e de frutas brancas, como lichia.
Paladar: Leve e agradável, com acidez de moderada a intensa. O sabor reflete as mesmas sensações do nariz.
Outras considerações: Elaborado com uvas Gewürztraminer, originárias da região francesa da Alsácia, o vinho tem 12,5% de álcool. Fez belo par com um risoto de camarão. É um vinho diferente e elegante. Boa compra para a sua faixa de preço.


Classificação: Boa compra.
Média de preço: R$ 25.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Natal e João Pessoa recebem Wine Road Show hoje e amanhã

As importadoras Licínio Dias e Épice estão promovendo dois grandes eventos de vinhos esta semana em duas capitais do Nordeste. Um acontece hoje (14), em Natal, e o outro amanhã (15), em João Pessoa. O Wine Road Show vai reunir produtores de 18 vinícolas da Europa e América do Sul, que apresentarão pessoalmente aos participantes mais de 60 rótulos, entre tintos, brancos, espumantes e fortificados.


Em Natal, a degustação acontece no Mercatto. Já em João Pessoa, será realizada no Empório San Patrick. Ambos os eventos acontecem das 18h às 22h.

A participação no Wine Road Show custa R$ 80 por pessoa, dos quais R$ 30 podem ser convertidos em compra de vinhos das vinícolas expositoras do evento.

Participarão vinícolas como Tarapacá (Chile), Viñamar (Chile), Alta Vista (Argentina), Herdade do Esporão (Portugal), Quinta do Crasto (Portugal), Herdade dos Grous (Portugal) e Emilio Moro (Espanha), entre várias outras.

Informações/inscrições:

Natal (RN): Mercatto (84) 2010-5555
João Pessoa (PB): San Patrick (83) 3248-3701

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

E-book gratuito ensina consumidor a tirar proveito das cartas de vinho nos restaurantes

“Use a carta de vinhos a seu favor”. Esse é o mote do e-book que está sendo disponibilizado gratuitamente pela importadora e distribuidora Lacomex aos interessados no mundo do vinho. Trata-se de um guia completo para orientar os consumidores a fazerem a melhor escolha do vinho no restaurante.

O e-book foi escrito pela jornalista e especialista em vinhos Etiene Carvalho, que procurou, de forma simples e descomplicada, ensinar o consumidor a tirar proveito das dicas do sommelier, escolher entre os vinhos do Novo e do Velho Mundo e analisar a relação entre preço e qualidade da bebida, entre várias outras dicas.


O guia é bastante útil tanto para quem não está familiarizado com o assunto quanto para quem já tem uma certa "intimidade" com cartas de vinho. Outros temas que provocam dúvidas, como taxa de rolha, temperatura do vinho e apresentação da rolha e da garrafa também são contemplados no texto.

Essa é uma das ações que a Lacomex vai passar a oferecer para ajudar o consumidor a degustar vinhos em restaurantes da maneira mais proveitosa possível.

Para baixar gratuitamente o e-book “Dicas para beber vinho em restaurantes”, é só entrar no seguinte endereço: www.lacomex.com.br/ebook

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Porto de Galinhas recebe segunda edição de evento de vinhos e gastronomia

O Hotel Village Porto de Galinhas está com uma proposta tentadora para aqueles que amam turismo, vinhos e boa comida. De 29 de outubro a 02 de novembro, o local vai receber o Village Wine & Gourmet Week, evento que tem como proposta oferecer aos hóspedes a possibilidade de provar vinhos europeus harmonizados com pratos da alta gastronomia, tendo como cenário a paradisíaca praia de Porto de Galinhas, litoral sul de Pernambuco.


Os participantes poderão desfrutar de cerca de 40 rótulos do Velho Mundo e participar de três jantares temáticos, que prometem trazer o melhor de Portugal, Itália e França. Assim como aconteceu na primeira edição da Wine Week, o somellier paulistano Eduardo Viotti, editor da revista Wine Magazine e jurado internacional de vinhos, será o responsável pela curadoria do evento. Ele fez a seleção dos rótulos, entre espumantes, brancos, rosés, tintos e fortificados, que melhor acompanham o sofisticado menu preparado pelo chef italiano Augusto Piras, atualmente residente em São Paulo.

Além dos jantares temáticos, ao longo dos três dias haverá uma programação especial voltada para os amantes do vinho, com open bar de espumantes branco e rosé à beira mar ou na piscina, palestras e atividades enoculturais sobre degustação e avaliação de vinhos, oficinas de panificação e o Sunset Coktail (degustações diárias ao pôr do sol).


Nas oficinas “Mão na Massa”, as chefs boulangers paulistanas Eda Tavares e Mariane Bagodi vão ensinar os enófilos a preparar focaccias, cascas d’alho e brioches salgados, que serão degustados posteriormente nos jantares. Outro momento que promete muita diversão será a brincadeira “Taças do Mundo”. Imagine como seria uma Copa do Mundo se os países disputassem com seus vinhos? E assim os participantes aprenderão a degustar e julgar vinhos, elegendo o rótulo campeão do Village Wine & Gourmet Week 2014.

Todas as noites, após o jantar, haverá apresentações musicais. Na noite de abertura, um show de ritmos pernambucanos. O cantor italiano Francesco Meo será o responsável pela noite de clássicos italianos e a Banda Supernova capitaneará a noite do sábado, com repertório britânico.

Os pacotes variam de R$ 400,00 a R$ 900,00 além do valor das diárias.

SERVIÇO:
Village Wine & Gourmet Week
Data: De 30 de outubro a 02 de novembro de 2014.
Local: Hotel Village Porto de Galinhas, Pernambuco | www.villageportodegalinhas.com.br

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

ChefsClub já funciona a todo vapor no Recife

Acabei de testar (e aprovar) o ChefsClub, um serviço que dá uma “aliviada” no bolso de quem frequenta restaurantes. O clube, que opera em mais de nove estados brasileiros, chegou há pouco tempo no Recife e já conta com cerca de 30 restaurantes parceiros.


Ao se associar ao clube, o cliente tem direito a descontos que variam de 30% a 50% em todas as opções do cardápio dos estabelecimentos cadastrados, exceto nas bebidas e sobremesas. Assim, dá para tomar um bom vinho considerando o desconto que você vai ter na refeição.

Além do site do ChefsClub na internet, o associado também pode consultar a lista de restaurantes parceiros em um aplicativo para celular que informa os endereços, os descontos e os horários de funcionamento, entre outras opções.

Para se associar ao ChefsClub o interessado pode fazer uma assinatura semestral (R$ 99,90) ou anual (R$ 149,90 ou 12x R$ 12,49). O cartão é válido em todo o Brasil, por onde estão espalhados mais de 900 restaurantes conveniados.

Confira as opções até o momento de restaurantes parceiros do ChefsClub no Recife:

Mura Orora
858 café Bistrô
Club Bardot
Winner Sports Bar
Mirage
Empório Pasta & Pesto
Villa Cozinha de Bistrô
Siwichi Cebicheria Peruana
Thaal Cuisine
Snaubar
Restaurante Ponte Nova
Sansa Saunduíches e Saladas
Mocó da Vila Bar Gourmet
Sardinha
Hotspot
Roda Café
Migué
Saturday's Zona Norte e Zona Sul
Spettus Boa Viagem
Creperia Rouge
Botequim Avenida
Canela Gastrobar
Bazza Bar e Comedoria
Amaro restaurante
Le Olive Pizzeria
Guadalupe
Herculano
Ça Va Bistrô

SERVIÇO:

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Jancis Robinson destaca espumante da Miolo como best-seller de loja de vinhos francesa

A Soif d’Ailleurs é uma conhecida loja de vinhos parisiense localizada no bairro de Marais que, curiosamente, não vende vinhos franceses. Em sua última coluna no jornal inglês Financial Times, a crítica de vinhos Jancis Robinson descreveu a casa como “a mais concorrida e interessante loja de vinhos de Paris”. E elegeu o espumante Cuvée Tradition Brut, da brasileira Miolo, como o best-seller do estabelecimento.


A Soif d’Ailleurs oferece vinhos de países como a Síria, Croácia, Washington, Nova Zelândia e Inglaterra. No artigo, Jancis conta que enquanto visitou a loja, um casal estava de saída encantado com uma garrafa do espumante brasileiro, feito “à imagem de um champagne”. E isso lhe chamou a atenção para a bebida.

O superintendente do Grupo Miolo, Adriano Miolo, afirmou que este espumante está fazendo um grande sucesso na França. Por isso, a empresa estará na Europa no fim deste mês para definir uma estratégia de promoção e suporte às vendas e também para introduzir o produto Cuvée Tradition Brut Rosé na loja de vinhos indicada por Jancis Robinson.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Veuve Clicquot homenageia cartas da viúva

As cartas permitiam à Madame Clicquot, grande dama do champagne, atingir seu audacioso objetivo: desbravar fronteiras. Por trás de sua escrivaninha em Reims, no coração do comércio de Champagne, a viúva liderou seu império, manejando sua caneta-tinteiro para comunicar-se com os clientes e expedir as caixas de seu champagne para os quatro cantos do mundo.


Para resgatar a tradição da sua fundadora em se comunicar por meio das correspondências, a Veuve Clicquot acaba de lançar a Coleção Clicquot Mail. São quatro embalagens colecionáveis que remetem ao mundo das carta de papel, com um design contemporâneo.

Conheça a coleção:

VCP MAILBOX

Releitura das caixas de correio vintage americanas, Clicquot Mailbox é uma caixa de correio metálica desenhada para acomodar uma garrafa de 750 ml de Veuve Clicquot Brut.


Preço sugerido: R$ 320,00

CLICQUOT ENVELOPE

A embalagem dobrável e totalmente articulável tem contornos de um envelope. Dentro da caixa vai uma garrafa de 750 ml de Veuve Clicquot Brut.


Preço sugerido: R$ 320,00 

CLICQUOT CLUTCH 

Bolsa envelope que acomoda uma garrafa de 750 ml de Veuve Clicquot Brut. Possui um nicho isotérmico, capaz de manter a garrafa na temperatura ideal para consumo por até duas horas. Tem acabamento e alça em couro e uma janela transparente para facilitar a personalização.


Preço sugerido: R$ 390,00 

CLICQUOT EXPRESS

De papel cartão resistente, é um cartucho estilizado que remete às embalagens de correio. Acompanha uma garrafa de 750 ml de Veuve Clicquot Brut


Preço sugerido: R$ 320,00

SAC LVMH: (11) 3062-8388

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Maximo Boschi Merlot 2005

A safra de 2005 foi história para a Serra Gaúcha. Tive a oportunidade de provar diferentes exemplares brasileiros daquele ano e pude realmente confirmar a qualidade superior dos vinhos produzidos. Um dos últimos que abri foi este, da vinícola Maximo Boschi. Estava muito elegante e ainda com potencial para guarda. Confira a avaliação:


Tipo: Tinto.
Produtor: Maximo Boschi.
Origem: Bento Gonçalves, Serra Gaúcha, Brasil.
Visual: Rubi claro. Bastante sedimento.
Olfato: Frutas vermelhas maduras, como jambo, e envolventes notas de chocolate.
Paladar: Macio e equilibrado, com taninos de qualidade e acidez na medida. O sabor traz de volta as sensações do nariz. Final prolongado e elegante.
Outras considerações: Elaborado 100% com uvas Merlot, o vinho amadureceu durante um ano em barricas de carvalho francês. Tem 13% de álcool.

Classificação: Excelente.
Média de preço: R$ 62

Restaurante Rui Paula completa um ano com jantar de celebração

O restaurante Rui Paula, no Recife, vai comemorar o seu primeiro ano de funcionamento realizando um jantar harmonizado com vinhos da Quinta da Romaneira. O evento será no dia 29 de outubro, com participação aberta ao público.


Para a ocasião, o chef Rui Paula vai preparar um menu especial para combinar com os brancos, tintos e Porto da vinícola, localizada no Douro. Cada rótulo será comentado pelo CEO da Quinta da Romaneira, Christian Seely. Serão provados desde o Tinto Romaneira Reserva 2008 ao Romaneira Porto Tawny 40 anos.

No menu, estão especialidades como vieiras, terrine de foie gras, bacalhau com broa e lombinho black angus, entre outros pratos. A squencia inclui amouse bouche, entrada fria, entrada quente, peixe, intermezzo, carne, pré-sobremesa e sobremesa.

A participação individual custa R$ 170 + 10% de taxa de serviço. Inclui o menu e os vinhos.

Reservas e informações: (81) 3048-4293

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Chandon e Diletto lançam picolé feito com espumante

A Chandon e a gelateria Diletto estão lançando uma edição limitada de um picolé inspirado no drink italiano Sgroppino. Feita à base de sorbet de limão siciliano e espumante, a bebida foi inventada na região do Vêneto, em 1528.


Na nova receita, o tradicional picolé de limão siciliano da Diletto é preparado acrescentando-se uma taça do espumante Chandon Riche Demi-Sec e gotas de limoncello.

Os picolés Sgroppino estão à venda apenas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Campinas, por R$10.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Sasso di Sole Brunello di Montalcino 2009

Tipo: Tinto.
Produtor: Legnaia.
Origem: Toscana, Itália.
Visual: Cor granada, de média intensidade.
Olfato: Rico, persistente e fino, lembrando frutas secas, especiarias, floral, mentol, melaço e frutas em compota.
Paladar: De médio a encorpado, o vinho mostra-se fresco, com bom equilíbrio entre acidez e taninos. O sabor traz de volta as sensações do nariz.
Outras considerações: Elaborado 100% com a variedade Sangiovese, o vinho amadureceu 36 meses em tonéis de carvalho esloveno e mais 12 meses em garrafa. Tem 14% de álcool.


Classificação: Excelente.
Média de preço: R$ 220 [No Recife, na importadora Trinacria (81) 9975-4072]

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Importadora do Recife lança clube de vinhos com proposta diferenciada

A importadora e distribuidora Lacomex, com sede no Recife, acaba de lançar uma novidade em termos de clube de vinhos. Trata-se do Clube das Cartas de Vinho: um programa onde os sócios recebem em casa mensalmente diferentes seleções de rótulos e podem escolher o restaurante na cidade onde irá degustá-los, sem pagar taxa de rolha. E as casas parceiras ainda oferecem um menu especial para harmonizar com cada seleção.


Ao se associar ao Clube, os participantes podem optar por receber duas, quatro ou seis garrafas de vinho. Também poderão escolher se vão assinar a seleção “Terroir Lacomex” ou “Vintage Lacomex”. A primeira envolve vinhos para o dia a dia. Já a segunda oferece rótulos mais especiais. São sempre dois rótulos diferentes a cada mês.

Fazendo a assinatura, o cliente recebe os vinhos entre os dias 20 e 25 de cada mês e com o frete grátis.


A Seleção Terroir dispõe das seguintes opções: duas garrafas por R$ 100; quatro garrafas por R$ 190 e seis garrafas por R$ 280. Já a Seleção Vintage oferece a seguinte opção: duas garrafas por R$ 300.
A primeira seleção oferecida foi neste mês de setembro, com rótulos franceses da região de Bordeaux escolhidos pelo sommelier Marco Antônio Freitas.

Provei os vinhos da Seleção Terroir e conto aqui as minhas impressões sobre os dois rótulos. Confira:

Chateau Savariaud Bordeaux Supérieur 2009

Tinto elaborado com as variedades Cabernet Sauvignon (30%), Merlot (60%), Cabernet Franc (5%) e Malbec (5%). De coloração rubi claro e brilhante, traz aromas de frutas vermelhas frescas, como goiaba e groselha, além de toques de especiarias. Paladar fresco, de boa acidez, frutado e de médio corpo. É uma bebida agradável e de caráter jovem. Tem 14% de álcool.


Classificação: Bom.

Chateau Du Barry Bordeaux 2009

Traz em sua composição as variedades tintas Merlot e Cabernet Franc. Sua cor é granada clara e no nariz mostra notas de frutos vermelhos silvestres, especiarias, baunilha e leve eucalipto. Sabor leve e bom equilíbrio entre acidez e taninos. Além das sensações sentidas no aroma, também envolve notas de café e chocolate. Sua graduação alcoólica é de 13%.


Classificação: Bom.

Ambos os rótulos cumprem a proposta de "vinho para o dia a dia". São agradáveis, descomplicados e com preço justo.

APLICATIVO – Outra novidade que a Lacomex está trazendo para os assinantes do Clube das Cartas de Vinho é um aplicativo para celular onde os associados podem adquirir packs de vinhos com desconto. Já rodando no sistema Android e em fase de testes no iOS.

Saiba mais:www.lacomex.com.br/o-clube

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Chandon aposta nas cores em seus novos kits para o fim do ano

Apostando já nas vendas de final de ano, a Chandon está lançando os kits Chandon Colors Collection. São três diferentes opções da bebida acompanhadas de taças coloridas, tudo em uma embalagem especial.

A Chandon Colors Collection Brut traz combinações de duas taças acompanhadas uma garrafa de Chandon Resérve Brut ou de Chandon Brut Rosé.


A marca traz também oferece Pack Chandon 6+1, pensando nas comemorações entre família e amigos: embalagem especial com seis garrafas de Chandon Réserve Brut (750 ml) e uma garrafa de Chandon Réserve Brut Magnum (1,5L).

As novidades podem ser encontradas nas principais delicatessens, empórios e supermercados de todo o Brasil.

Preços sugeridos:

Chandon Colors Collection Brut - R$ 120,00
Chandon Colors Collection Rosé - R$ 130,00
Chandon 6+1: R$ 480,00

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Kit Kat tem chocolate sabor vinho tinto

Muita gente sabe que a marca de chocolates Kit Kat, pertencente à multinacional Nestlé, é um verdadeiro fenômeno no Japão. Mas o que a maioria nunca deve ter imaginado é a quantidade de sabores que eles inventaram para a guloseima, desenvolvidos exclusivamente para os consumidores da Terra do Sol Nascente, como por exemplo de batata doce ou de sanduíche de anko (feijão vermelho).


Entre uma infinidade de tipos de Kit Kat no Japão está um que chamou a minha atenção: o de vinho tinto. Pela imagem, o chocolate está mais para sabor vinho rosé, devido à sua coloração cor de rosa. Vi em algum site que ele é feito com Merlot, mas não consegui confirmar a informação. Se alguém for ao Japão e quiser trazer um desses para eu provar, garanto que coloco o relato aqui no blog.

A título de curiosidade, aí vai uma listinha com sabores inusitados de Kit Kat, dos cerca de 200 comercializados no Japão:


Pera
Maçã de Shinshu
Edamame (soja verde)
Biscoito de canela
Cheesecake de morango
Matcha (chá verde em pó)
Hojicha (chá verde torrado)
Wasabi
Vinagre de Maçã
Queijo Parmesão
Panqueca
Molho de soja
Abóbora
Milho

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Navarro Correas Colección Privada Malbec 2012


Tipo: Tinto.
Produtor: Bodega Navarro Correas.
Origem: Mendoza, Argentina.
Visual: Cor rubi com reflexos violeta.
Olfato: Morango em compota, canela, baunilha e pimenta.
Paladar: Um Malbec leve e de taninos macios, bastante frutado e com um discreto toque de madeira.
Outras considerações: Elaborado 100% com a variedade Malbec, amadureceu parcialmente (40%) em barricas de carvalho francês. “Cresce” bastante se acompanhado de carnes vermelhas. Tem 13,9% de álcool.

Classificação: Bom/Muito Bom.
Média de preço: R$ 60 [Importadora Interfood].

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Torres mostra porque foi considerada a marca de vinhos mais admirada do mundo

É sempre um aprendizado poder conversar com pessoas atuantes e de destaque no mundo do vinho. Ontem pude estar com uma delas: Miguel Torres, vinicultor pertencente à 5ª geração da família espanhola Torres e um dos mais respeitados nomes da enologia mundial. Ele esteve no Recife, numa parceria com as importadoras Lacomex e Devinum, onde realizou duas apresentações.


Durante agradável almoço no Wiella Bistrô, Miguel Torres falou um pouco sobre o posicionamento da empresa, eleita pela revista britânica Drinks International como a marca mais admirada no mundo, e abriu alguns dos seus vinhos para serem provados.

A vinícola Torres foi fundada em 1870, na região de Penedès, na Catalunha, Espanha. Atravessou a Guerra Civil naquele país, quando foi parcialmente destruída, mas conseguiu logo em seguida se reerguer. Em 1975, Marimar Torres, tia de Miguel Torres, se instala na California, Estados Unidos, começando a plantar em 1982 e inaugurando a vinícola Marimar Estate em 1993. Em 1979, a Torres inicia atividade no Chile, sendo a primeira vinícola estrangeira a se estabelecer naquelas terras. Foi eleita em 1999 pela Wine Spectator a bodega mais importante da Espanha e em 2006 a melhor bodega europeia.

Além do Penedès, a vinícola hoje produz vinhos de diversas regiões da Espanha e possui empresas de distribuição na naquele país, no Brasil e na China, exportando para mais de 160 nacionalidades. “É a marca espanhola mais premiada em concursos internacionais”, destaca Torres.

Confira as minhas impressões sobre alguns vinhos provados durante o encontro:

Santa Digna Estelado Rosé

Este espumante rosado é produzido no Vale do Curicó, no Chile, através do método tradicional – com segunda fermentação em garrafa. Tem em sua composição uma uva quase desconhecida no resto do mundo: trata-se da País, uma casta tinta antiga que vem sendo resgatada no Chile. Sua coloração é de um discreto rosado, apresentando também bolhas finas e uma boa intensidade de espuma na taça. O aroma envolve notas de morango e framboesa, que aparecem também no paladar. Sabor leve, fresco e prolongado, com um toque de leveduras. Tem 12% de álcool.


Classificação: Muito Bom/Excelente.
Média de preço: R$ 72 [No Recife, na DOC Distribuidora]

Milmanda 2008

Milmanda é o nome de um castelo localizado na região de Conca de Barberà, localizada entre Penedès e Priorato, na Espanha. Este mesmo local dá origem a este belo vinho branco elaborado 100% com a casta Chardonnay. A bebida vinificou em carvalho novo francês, onde amadureceu em contato com as borras de 9 a 12 meses. Sua cor é amarela dourada e os aromas minerais, tostados, de mel e abacaxi em calda. Na boca aparece uma textura amanteigada, com média acidez e final prolongado. Segundo Torres, este é um vinho apreciado pela família real espanhola. Sua graduação alcoólica é de 13,5%.


Classificação: Muito Bom/Excelente.
Média de preço: R$ 140 [No Recife, na Lacomex]

Cordillera Carmenère 2009

Vem do Vale do Curicó, no Chile, o primeiro vinho de Miguel Torres feito com a uva Carmenère. Tem cor rubi de média intensidade com reflexos violeta. O nariz é rico em percepções, como frutas vermelhas frescas, eucalipto, pimenta, floral e cravo. De médio corpo, traz na boca as mesmas sensações do olfato e mais notas tostadas, envolvidas numa estrutura equilibrada e de sabor persistente. Maturou 12 meses em carvalho francês (30% novo). Tem 14,5% de álcool.


Classificação: Muito Bom.
Média de preço: R$ 78 [No Recife, na DOC Distribuidora]

Salmos 2011

O nome do vinho é uma homenagem aos monges pioneiros na elaboração de vinhos no Priorato. Segundo Miguel, ao trabalhar nas vinhas eles cantavam e recitavam salmos. O vinho é um tinto feito naquela mesma região com as variedades Garnacha Tinta, Syrah e Cariñena. Sua maturação foi de 12 meses em carvalho francês novo. De cor rubi clara e brilhante, a bebida tem aromas de frutas vermelhas frescas, cravo e pimenta. Leve, traz na boca novamente a fruta e as especiarias, mescladas a toques de chocolate. Sabor exótico e prolongado. Tem 14,5% de graduação alcoólica.


Classificação: Excelente.
Média de preço: R$ 157 [No Recife, na Lacomex]

Mas La Plana 2009

Vem do Penedès este encantador Cabernet Sauvignon maturado 18 meses em barricas novas de carvalho francês de primeira qualidade. Sua cor é rubi de média intensidade e o nariz mostra toques florais, de ameixa, chocolate, eucalipto e especiarias. Paladar marcado pela boa qualidade dos taninos e equilíbrio da acidez. De médio corpo, tem final longo e sabor semelhante às sensações do olfato. Elegante e com boa capacidade de guarda.


Classificação: Excelente/Excepcional
Média de preço: R$ 180 [No Recife, na Lacomex]

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Provamos o vinho laranja de Gravner

Numa degustação entre amigos, um deles nos presenteou com alguns bons rótulos trazidos da Itália. Um deles eu tinha grande curiosidade em provar: o “vinho laranja" do produtor Josko Gravner. A bebida, elaborada na região de Friuli, norte do país, tem como diferencial uma fermentação prolongada em contato com as cascas, realizada dentro de antigas ânforas de barro. Devido a esta maturação, o vinho ganha uma cor alaranjada. Daí o seu apelido de “vinho laranja”.

Quando teve a ideia, Gravner queria simplesmente fazer vinhos diferentes, porém de uma maneira mais natural. As vinhas de onde saem as uvas de sua produção são cultivadas de maneira orgânica, sem a utilização de defensivos agrícolas, e também seguindo práticas biodinâmicas, com a observação dos ciclos lunares.

Atualmente, Gravner possui cerca de 50 ânforas, compradas na Georgia, região do Cáucaso - berço da vitivinicultura. Esses recipientes ficam enterrados no solo da sua adega, onde os vinhos repousam sem controle de temperatura.

Confira a avaliação do rótulo provado:


Gravner Anfora 2006

Tipo: Branco (ou Laranja, se preferir)
Produtor: Gravner.
Origem: Friuli, Itália (com metade dos vinhedos localizados na Eslovênia).
Visual: Cor alaranjada, clara e brilhante.
Olfato: Exótico, envolve notas minerais, de toranja, pimenta, anis estrelado, flores secas e toffee.
Paladar: Bastante seco, traz no sabor algo que lembra erva doce e baunilha, junto com um discreto toque oxidado. Final prolongado.
Outras considerações: Elaborado com uvas brancas da variedade Ribolla Gialla, o vinho fermentou espontaneamente em ânforas de terracota por um período de sete meses. Ainda maturou três meses em carvalho esloveno e foi engarrafado na lua minguante, sem clarificação e filtração. Tem 14,5% de álcool.

Classificação: Hors concours.
Média de preço: No Brasil, R$ 433 [Importadora Decanter]

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Riedel comprova porque a taça faz diferença na hora da degustação

Tive a oportunidade de participar semana passada de uma demonstração da marca de cristais austríaca Riedel, referência mundial em taças para vinhos, em parceria com a importadora Mistral. O encontro aconteceu na Casa dos Frios, no Recife, com a presença da brand manager Cristina Geremias (foto).


A intenção era comprovar que a taça correta pode causar uma sensação completamente diferente e prazerosa na degustação de um vinho.

Antes de comprovar a teoria, Cristina falou sobre a história da marca, que começou há mais de 250 anos com o fabricante de vidros Christoph Riedel. O negócio atravessou 11 gerações, sempre nas mãos da mesma família. Mas foi na década de 50, com Claus Riedel, que a marca deu o “pulo do gato”, desenvolvendo a série Sommeliers, com copos especialmente desenvolvidos para realçar tipos de vinhos específicos.

Na década de 80, Georg Riedel aperfeiçoou o fabrico das peças desenvolvendo copos mais resistentes, porém de qualidade superior. Em 2004, a Riedel se tornou proprietária da empresa vidreira alemã Nachtmann, país onde instalou a sua produção mecânica. Além da Nachtmann, a Riedel também é proprietária da Spiegelau.

Mas como a Riedel consegui se tornar símbolo de excelência em cristais para vinhos? Nada melhor do que a prática para responder à pergunta. Com diferentes copos da linha para restaurantes dispostos à frente de cada participante, Cristina passou a conduzir uma degustação diferente, lembrando um show de mágica - porém totalmente baseada em conceitos de física e química.


Ela fez os presentes passarem um Catena Chardonnay 2012 (vinho branco maturado em carvalho) por diferentes taças, inclusive de plástico, para mostrar que dependendo do modelo do copo, os aromas somem e o vinho ganha caráter amargo na boca. Na taça Restaurant Chardonnay, o vinho aparece vívido, com características de mel, abacaxi, baunilha e nozes, além de acidez equilibrada e sabor frutado. A explicação é que neste tipo de taça o diâmetro da borda é mais largo para ressaltar a acidez da bebida.

O segundo teste foi com um Pinot Noir Montes Alpha 2012, um vinho com aromas de frutas do bosque, eucalipto e especiarias, paladar leve, com fruta expressiva e final prolongado. Depois de uma degustação perfeita na taça Restaurant Pinot Noir, Cristina nos fez transferir a bebida para uma taça de vinho branco. O resultado: surgiu um amargor que não havia sido sentido na taça adequada. Neste caso, a taça para Pinot Noir tem bojo largo e borda mais estreita, que ajuda a ressaltar a doçura e amenizar a acidez do tinto.


Num terceiro experimento, ela utilizou o australiano Domaine Tournon Mathilda Victoria 2012, elaborado com a uva Shiraz, servindo-o na taça modelo Restaurant Hermitage. Este modelo direciona o vinho para o centro da boca, ressaltando o seu corpo. A bebida, que traz notas de especiarias, frutas maduras e eucalipto, além de bom corpo, sabor fresco e frutado, ficou amarga na taça para Pinot Noir. A fruta percebida anteriormente também ficou mais fraca na taça inadequada.

Por último, o modelo Restaurant Cabernet Sauvignon, usado para degustar um Montes Alpha Cabernet Sauvignon 2012 - desenhado para ressaltar o corpo e acidez do vinho. Frutas maduras, menta, chocolate, eucalipto, café e tabaco aparecem no aroma da bebida. É um vinho carnudo no paladar, com sabor que remete às sensações do nariz. Em um outro copo, o vinho ganhou um amargor não sentido na taça correta.

Segundo Cristina Geremias, os copos Riedel têm um vidro com imperfeições microscópicas, projetadas para quebrar moléculas do vinho. “Por isso, não é necessário balançar as nossas taças para liberar os aromas”, explicou, ressaltando que a marca é a única no mundo que tem uma taça para cada tipo de varietal.

Por causa da sensação de “degustação perfeita”, a brand manager observou que a venda de vinho nos restaurantes que usam Riedel crescem 20% mesmo sem alterações na carta da bebida. “O primeiro gole já vende uma segunda garrafa”, comenta.

A Riedel também fabrica decanter especiais, com tecnologias inovadoras, além de copos específicos para destilados, como single malt wisky,conhaque e tequila, entre outros.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Ave de peito vermelho inspira linha da Viña Bisquertt

Um simpático passarinho de nome igualmente agradável estampa o rótulo de um vinho que tomei recentemente. Trata-se do Reserva Petirrojo, elaborado pela chilena Viña Bisquertt, em homenagem ao Petirrojo - uma ave de peito vermelho que vive brincando nos vinhedos da região do Vale de Colchagua.

A linha Petirrojo conta com três tintos barricados (Cabernet Sauvignon, Merlot e Carmenère) e dois brancos sem passagem por madeira (Chardonnay e Sauvignon). Provei o último deles e conto aqui as minhas impressões:


Reserva Petirrojo Sauvignon Blanc 2013

Tipo: Branco.
Produtor: Viña Bisquertt.
Origem: Vale de Colchágua, Chile.
Visual: Coloração verde limão.
Olfato: Mescla notas cítricas, florais, herbáceas, minerais e de frutas brancas, como melão.
Paladar: Leve e refrescante, com acidez bastante presente. O sabor traz de volta as mesmas características sentidas no nariz.
Outras considerações: Elaborado com uvas Sauvignon Blanc, o vinho tem 13% de álcool. Vai bem como aperitivo ou acompanhando frutos do mar.

Classificação: Bom/Muito Bom.
Média de preço: R$ 50 (No Recife, na Dom Vinho)