terça-feira, 25 de novembro de 2014

Vinho em meia garrafa vem tomando espaço no mercado brasileiro

Imagine a seguinte cena: um cliente chega a um restaurante e deseja apenas tomar apenas uma ou duas taças de vinho. Ao olhar a carta, ele termina optando por uma garrafa de tamanho normal (750ml) porque os preços da meia garrafa (375ml) e do vinho em taça não compensavam.

É provável que boa parte dos consumidores de vinho já tenha passado por essa situação, que acontece também nas lojas, na hora de levar a bebida para casa. Porém, de acordo com o analista de mercado de vinhos e co-fundador da www.wine.com.br , Aloisio Sotero (foto), os preços do vinho em meia garrafa vêm sofrendo ajustes e já dá para desfrutar dos benefícios da garrafinha sem muito sofrimento para o bolso.


Para ele, os preços vêm se tornando compatíveis com o das garrafas de tamanho normal e já dá para se encontrar boas opções no mercado, variando entre R$ 25 a R$ 50. “É uma boa média de preço para os vinhos de meia garrafa, considerando, por exemplo, o preço de um hambúrguer nas lanchonetes”, observa Sotero.

O analista diz que o vinho em meia garrafa é a melhor opção para se tomar em casa, como um “vinho pessoal”, sem o inconveniente de se guardar o restante para o dia seguinte. “Duas taças de vinho por dia tem função terapêutica. Esta é a quantidade de vinho de uma meia garrafa”, explica. Ele sugere que o consumidor escolha rótulos que já conhece e não aconselha grandes harmonizações com a bebida. Por ser um vinho do dia a dia, o tamanho da garrafa também desestimula um consumo exagerado da bebida. “Excessos e extremos são sempre nocivos”, ressalta o especialista.

O blog fez um levantamento dos preços de algumas opções interessantes de vinhos em meia garrafa disponíveis no mercado (pesquisa realizada em lojas do recife Recife e na internet). Confira:


:: Trapiche Malbec 375ml | Argentina - R$ 15,50 (RM Express)
:: Miolo Reserva Pinot Noir 375ml | Brasil - R$ 17,90 (RM Express)
:: León de Tarapacá Cabernet Sauvignon 375ml | Chile - R$ 19,90 (RM Express)
:: Canepa Novísimo Chardonnay 375ml | Chile - R$ 20,00 (wine.com.br)
:: Quinta de Pancas 375ml | Portugal - R$ 21,00 (wine.com.br)
:: Gran Tarapacá Reserva Carmenère 375ml | Chile - R$ 22,20 (RM Express)
:: Esporão Monte Velho 375ml | Portugal - R$ 24,50 (RM Express)
:: Ventisquero Reserva Sauvignon Blanc 375ml | Chile - R$ 26,90 (RM Express)
:: Crios Torrontés 375ml -| Argentina R$ 27,70 (RM Express)

E ainda uma interessante opção em pack:

:: Pack com 06 vinhos Cousiño Macul Don Luis Cabernet Sauvignon  375ml | Chile - R$ 130 [R$ 21,60 a garrafa] (Lacomex)

As seleções de vinhos do apresentador Galvão Bueno

Já havia tido a oportunidade de provar alguns vinhos do projeto Bella Vista Estate, sociedade entre o narrador esportivo Galvão Bueno e o grupo Miolo. Exemplares como o Bueno Cuvée Prestige Brut e o Bueno Paralelo 31 2008 me surpreenderam, mesmo sendo naquela época recém-lançados no mercado. Além dos vinhos produzidos no Brasil, hoje o projeto conta com rótulos elaborados na Itália, sob a supervisão do enólogo Roberto Cipresso.

Semana passada, voltei a provar rótulos da marca Bueno em mais uma degustação ao vivo do Winebar, prova de vinhos que une virtualmente jornalistas e enoblogueiros de todo o Brasil. Desta vez, o convidado foi o próprio Roberto Cipresso (à direita na foto), que conduziu a degustação comandada pelos colegas Daniel Perches (à esquerda na foto) e Alexandre Frias.


Confira a minha opinião sobre os rótulos degustados:

Bueno Paralelo 31 2011

Elaborado na Campanha Gaúcha, Brasil, com as variedades tintas Cabernet Sauvignon, Merlot e Petit Verdot, o vinho apresentou cor violácea profunda e aromas que remetem a frutas maduras, eucalipto e especiarias. O álcool ainda está aparente, mas melhora com a aeração. Paladar de boa acidez e taninos em equilíbrio. Fresco, longo e maduro. O sabor repete as sensações do nariz. Madeira integrada ao conjunto. Seu amadurecimento foi de 12 meses em barricas novas de carvalho francês e americano.

Classificação: Muito Bom.
Média de preço: R$ 89


Bueno La Valletta Sangiovese 2011

Este tinto vem da região da Toscana, na Itália, onde é elaborado 100% com a uva Sangiovese. Sua cor é rubi clara e brilhante. No nariz sentem-se notas de alcaçuz, especiarias e frutas maduras. No paladar aparecem taninos de qualidade e sabores que trazem novamente a fruta madura, além de toques de café e chocolate. Final prolongado. O vinho maturou em barricas de carvalho francês de segundo uso por 14 meses.

Classificação: Muito Bom (melhora com a guarda)
Média de preço: R$ 175

terça-feira, 18 de novembro de 2014

O blog provou o melhor vinho de 2014 eleito pela Wine Spectator

Há quase um ano, tive o prazer de participar de uma degustação promovida pela importadora Licínio Dias, com a presença do gerente de vendas da empresa de vinhos do Porto Dow’s, Pedro Leite. Na ocasião, foram provados alguns rótulos da marca, sendo o mais especial deles o Dow’s Vintage Port 2011. O vinho em questão foi eleito recentemente pela prestigiada revista norte-americana Wine Spectator o melhor de 2014, com 99 pontos, encabeçando uma lista de 100 amostras de todo o mundo.

Naquela degustação, o Dow’s Vintage Port 2011 ainda não tinha sido lançado no mercado. As garrafas estampavam o selo “cask sample” (amostra do barril). Portanto, foi realmente um privilégio provar em primeira mão a bebida, que em minha avaliação, à época, já levou a classificação de “excepcional”.


Confira novamente as minhas impressões sobre o vinho:

Dow’s 2011 Vintage Port

Tipo: Fortificado.
Produtor: Dow’s.
Origem: Douro, Portugal.
Visual: Cor violácea escura e concentrada.
Olfato: Fruta madura, jambo, especiarias, café e notas tostadas.
Paladar: Encorpado, ressalta notas de melaço e café.
Outras considerações: A safra de 2011 foi considerada excelente pela Symignton e eleita então um ano “vintage”. Para eles, tudo indica que esses vinhos se desenvolvam muito bem em garrafa durante as próximas décadas. Engarrafado em abril de 2013, tem 20% de álcool. Segundo Pedro Leite, é para guardar por 50 anos.

Classificação: Este já é excepcional.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Dois espumantes brasileiros que dão praia

No último final de semana levei para a praia dois espumantes da vinícola gaúcha Dunamis que eu ainda não havia provado. E acertei em cheio. Ambos são leves, frescos e muito agradáveis. Um deles, o Dunamis Ar Brut Rosé, é lançamento no mercado. Ambos fazem parte da linha Elementos, que também inclui um espumante Moscatel.

Confira a avaliação:

Dunamis Ar Brut


Tipo: Espumante.
Produtor: Dunamis.
Origem: Serra Gaúcha (RS), Brasil
Visual: Cor amarelo palha com reflexos dourados. Exibe bolhas finas, persistentes e uma duradoura coroa de espuma.
Olfato: Lembra frutas brancas, como pêra e maçã, além de leves notas florais.
Paladar: Boa acidez, leve doçura.
Outras considerações: Elaborado através do método Charmat (com fermentação em tanques de inox), tem em sua composição apenas a uva Chardonnay. Sua graduação alcoólica é de 11,5%. Um espumante leve, refrescante e agradável de tomar. Acompanha bem os petiscos de praia.

Classificação: Bom/Muito Bom.
Média de preço: R$ 54,90 (www.loja.dunamisvinhos.com.br)

Dunamis Ar Brut Rosé


Tipo:
Espumante.
Produtor: Dunamis.
Origem: Serra Gaúcha (RS), Brasil
Visual: Cor cereja. Bolhas finas e intensas.
Olfato: Rico em notas de frutas vermelhas silvestres, como morango e cereja.
Paladar: Acidez equilibrada, sabor frutado, final persistente.
Outras considerações: Na sua composição entram as uvas Malbec (50%) e Merlot (50%). O método de produção também é o Charmat (com fermentação em tanques de inox).  Delicado e fresco, vai bem sozinho ou acompanhando frutos do mar. Tem 12,5% de álcool.

Classificação: Muito Bom.
Média de preço: R$ R$ 54,90 (www.loja.dunamisvinhos.com.br)

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Saiu o resultado da promoção Festival Roda de Boteco

Saiu o resultado da promoção Festival Roda de Boteco realizada aqui no blog. Os vencedores levaram vouchers para degustar os petiscos de seis bares participantes da ação. Eles criaram as melhores respostas para a seguinte frase: “o que um boteco precisa ter para conquistar o seu coração?”.


Confira os ganhadores e as suas respostas:

Marcio Andrade:"Uma comida que conquiste o paladar, um ambiente que seduza os olhos e um atendimento que nos faça sentir em casa".

Ana Cláudia Araújo:"Precisa ter boa comida, bebida gelada, e um ambiente agradável para reunir a galera".

Monica Johnston:“Para conquistar meu coração um boteco tem que ter um sorriso largo para me recepcionar, comida gostosa e feita com amor, porque boa energia é tudo! Cerveja gelada, porque petisco é bom, mas é melhor ainda com esta maravilha fermentada. Assim, meu coração boêmio não resiste e se declara rapidinho, ao som de um autêntico chorinho”.

O blog já entrou em contato com cada um e eles já podem se deliciar com os petiscos do Festival, que vai até o próximo dia 22/11, no Recife.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

“Cartógrafo de Vinhos” e “Wine Care”: conheça novos conceitos profissionais no mundo do vinho

A importadora e distribuidora Lacomex vem movimentando o mercado de vinhos com algumas inovações. Recentemente, lançou o Clube das Cartas de Vinho e um aplicativo de compras pelo celular. Agora, criou uma nomenclatura para duas funções primordiais no desenvolvimento do seu negócio.

A primeira chama-se Cartógrafo de Vinhos. Este é o profissional que viaja por diferentes regiões vinícolas em busca de novidades, provando centenas de tipos diferentes de vinhos e, finalmente selecionando o que vai trazer para o mercado brasileiro. É ele também que apresenta aos restaurantes esses novos rótulos e orienta a montagem das cartas de vinhos dessas casas. É uma espécie de ampliação do trabalho do Wine Hunter.

Na Lacomex, a figura do Cartógrafo de Vinhos é representada pelo sommelier marco Antônio Freitas (foto abaixo). Formado pela ABS São Paulo e membro da Confraria Internacional dos Enófilos do Alentejo de Portugal, desde 1994 exerce o cargo de diretor comercial da empresa. Foi Marco Antônio quem selecionou os 50 rótulos franceses e italianos de importação própria. Em 2015, novos rótulos de Portugal e Espanha também vão ser incluídos no portfólio da casa, cada um com o aval do sommelier.


A outra função e não menos importante é a Wine Care. Este profissional faz o estudo logístico do vinho desde a origem até a mesa do restaurante ou a residência do consumidor. Quem está à frente desse trabalho na Lacomex é um outro diretor e também sommelier formado pela ABS São Paulo, Luiz Figueiredo Filho (foto abaixo). Segundo Luiz, as duas funções se completam, pois é preciso que o vinho chegue e se mantenha em bom estado até chegar à taça do consumidor.

“O Wine Care cuida da carga, faz o desembaraço da mercadoria, cuida do estoque e até da embalagem para a entrega”, explica ele. Na Lacomex, os vinhos ficam em uma adega interna com capacidade para três mil caixas de 12 unidades e temperatura constante na faixa dos 18°C. No caso de Luiz, ele também está junto ao Cartografo de Vinhos durante as viagens.


E o negócio não pára por aí. Em breve, eles lançarão o Wine in Pack. Trata-se de um varejo que vai comercializar para o Brasil inteiro kits exclusivos de quatro vinhos ou múltiplos de quatro.  No Wine in Pack, o cliente também vai ter a opção de montar o seu próprio kit. “Pretendemos lançar agora em novembro”, avisa o Wine Care.

SERVIÇO:
www.lacomex.com.br

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Wine & Soul e Quinta do Passadouro: encantos do Douro na taça

Eleito enólogo do ano pela revista Wine de Portugal em 2008 e 2011, Jorge Serôdio Borges (foto) é referência mundial quando se fala em vinhos do Douro. Além de prestar consultoria para vários produtores da região, ele está à frente da Quinta do Passadouro e desenvolve o projeto pessoal Wine & Soul junto com sua esposa, Sandra Tavares, que também é enóloga. A convite da Adega Alentejana, almocei com ele na última quinta-feira e pude conhecer mais sobre o seu encantador trabalho.


WINE & SOUL - Tudo começou em 2001, quando Jorge e Sandra decidiram fazer o seu primeiro vinho juntos. Compraram um velho armazém de vinho do Porto e compraram de um produtor da região uvas de uva vinhas com mais de 70 anos. Em 2003, adquiriram estas mesmas terras, com uma área de 2,5 hectares e mais de 30 diferentes variedades plantadas. Em 2008, eles receberam como herança a Quinta da Manoella, propriedade que pertence à família de Jorge há mais de 200 anos, o que aumentou a área de plantio do projeto para 20 hectares.

O primeiro vinho produzido foi o notável Pintas, que recebeu este nome em homenagem ao cachorro de estimação do casal. Depois veio o branco Guru, o Pintas Character, o Manoella e o Quinta da Manoella Vinhas Velhas. Jorge e Sandra ainda produzem uma pequena quantidade de vinho do Porto e do excelente azeite extra Virgem Pintas.

QUINTA DO PASSADOURO – Em 1991, o empresário alemão Dieter Bohrmann decidiu comprar a antiga propriedade, datada do século 18, situada no vale do Rio Pinhão. Ele acreditava que ali, além do produzir vinhos do Porto, era também possível elaborar vinhos de qualidade premium. Para colocar em prática o projeto, convidou Jorge Serôdio Borges.

Bohrmann faleceu em 2011, mas sua filha continuou o trabalho, adquirindo posteriormente a Quinta do Síbio, no Vale do Roncão – área reconhecida pela vocação para vinhos do Porto. Em ambos os projetos eles mantêm a tradição da pisa a pé. A Quinta do Passadouro também produz pequenas quantidades de azeite.

Confira as minhas impressões sobre os vinhos provados durante encontro, que aconteceu no tradicional restaurante Leite, no Recife:

Guru Branco 2012

Este branco chegou à mesa depois de ser decantado por meia hora. Segundo Jorge Serôdio, a aeração beneficia a bebida, que foi feita para envelhecer. Elaborado com as castas Códega do Larinho, Gouveio, Rabigato e Viosinho, cultivadas a 600 metros de altitude, o vinho estagiou seis meses em carvalho francês. Sua cor é amarelo palha com reflexos dourados. O aroma revela notas florais, de frutas brancas e um leve tostado. Paladar de excelente acidez, com características minerais e final prolongado, trazendo de volta as sensações do nariz. Apesar dos 12,5% de álcool é um vinho com boa presença de boca. Muito elegante.



Classificação: Excelente.
Média de preço: R$ 220
Onde encontrar: No Recife, no RM Express e Lacomex.

Passadouro Tinto 2011

Elaborado com as variedades Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e castas provenientes de vinhas velhas, o vinho apresenta coloração rubi com traços violáceos. No nariz surgem aromas de frutas vermelhas maduras, que se juntam a notas de caramelo, café, mentol e especiarias, compondo um interessante bouquet. Paladar fresco, de taninos sedosos e final persistente. O sabor remete às características do olfato. O vinho estagiou em barricas de carvalho francês por 16 meses. Apenas 30 mil garrafas foram produzidas nesta safra. A cada ano, o rótulo retrata um diferente animal da fauna local. Tem 14% de álcool.


Classificação: Muito Bom/Excelente.
Média de preço: R$ 120
Onde encontrar: No Recife, no RM Express.

Pintas 2012

Sem dúvida, um dos melhores representantes do Douro. Produzido com mais de 30 uvas provenientes de vinhas com mais de 70 anos de idade, o vinho tem produção limitada de cinco a seis mil garrafas por safra. É elaborado com o método de pisa a pé e fermenta em lagares com controle de temperatura. Seu estágio foi de 18 meses em barris de carvalho especialmente fabricados em duas tanoarias francesas. Mostrou na taça uma coloração rubi violácea. O rico e envolvente aroma traz notas de ameixa fresca, eucalipto, café, baunilha, canela e outras especiarias. Na boca é marcado pelo equilíbrio entre os seus elegantes taninos e a boa acidez. Um vinho fresco, macio e de sabor muito prolongado. Tem 14,5% de álcool.


Classificação: Excelente/Excepcional.
Média de preço: R$ 440
Onde encontrar: No Recife, no RM Express e Lacomex.

Wine & Soul Tawny 10 anos

Segundo Jorge, este é um Porto que na verdade tem 15 anos. Não é filtrado e sua produção é apenas de 2.500 garrafas. Produzido com mais de 20 castas provenientes de vinhas com mais de 50 anos de idade. A coloração é granada e o aroma sugere notas de amêndoas, nozes, fruta-passa, café e caramelo, com um leve toque de especiarias, como anis estrelado. Boa doçura, equilibrada pela acidez presente. Untuoso e potente, porém com um conjunto elegante conferido pelas características do sabor. Tem 19,5% de álcool.


Classificação: Excelente.
Média de preço: R$ 205
Onde encontrar: No Recife, no RM Express e Lacomex.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Enólogo faz degustação descontraída no Recife com os vinhos Quinta do Crasto

A Licínio Dias (LD) Importação vai trazer ao Recife, no próximo dia 18, o enólogo português Tomás Roquette para uma degustação descontraída no terraço do restaurante Azú, no Cabanga Iate Clube.

Roquette vai apresentar seis vinhos da Quinta do Crasto, entre eles rótulos premiados pela crítica internacional. O evento, para 50 participantes, dá direito a degustação no terraço da casa, com vista para a marina do Cabanga, além de jantar harmonizado realizado em seguida, na parte interna do restaurante. A entrada individual custa R$ 110.


Confira os vinhos que serão provados:

- Flor de Crasto Tinto
- Crasto Douro Branco
- Crasto Douro Tinto
- Crasto Superior Tinto
- Roquette e Cazes
- Crasto Porto LBV

SERVIÇO:
Degustação & jantar com Tomás Roquette
Quando: 18/11/14 (terça-feira)
Hora: 20h
Local: Restaurante Azú (Cabanga Iate Clube do Recife)
Reservas: (81) 9128-7894
Entrada Individual: R$ 110

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Escrivinhos sorteia vouchers para Festival Roda de Boteco do Recife

O blog Escrivinhos vai distribuir seis vouchers para os leitores se deliciarem com os pratos do Festival Roda de Boteco, que acontece no Recife até o próximo dia 22/11/14.  Participar é fácil. É só enviar um e-mail para imprensa@escrivinhos.com respondendo a seguinte pergunta:

“O que um boteco precisa ter para conquistar o seu coração?”

As melhores respostas vão faturar um passe livre para degustar um dos 35 deliciosos petiscos das casas envolvidas no Festival. O resultado sai às 14h da próxima terça-feira (11/11). Só serão válidas respostas enviadas até este horário. Participe!


RODA DE BOTECO - Através de uma comissão, o Roda de Boteco seleciona os melhores bares e botecos da cidade. Cada estabelecimento escolhe um prato exclusivo para o evento. Através de votação, o público escolhe o melhor tira-gosto, avalia a higiene do local, o atendimento e a temperatura da bebida. No Recife, o Festival vai de 24/10 a 22/11/14. Este é o 10º ano do projeto.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Tinto Uruguaio ganha Copa do Mundo de vinhos promovida pelo Hotel Village

“Como teria sido o resultado da Copa de 2014 se os países estivessem disputando com seus vinhos?”. Essa foi a proposta da degustação ‘Taças do Mundo’, conduzida pelo jornalista e degustador internacional Eduardo Viotti (foto abaixo), durante o Village Wine & Gourmet Week. O evento aconteceu na última semana, no Hotel Village, em Porto de Galinhas (PE), reunindo enófilos de diferentes partes do Brasil interessados em comer bem e degustar bons vinhos num cenário paradisíaco.


A degustação foi dividida em etapas, com sorteio de chaves e processo de eliminação durante as competições. O júri foi formado por jornalistas e por hóspedes que compraram o pacote especial para o evento.

Foram realizadas disputas classificatórias com seis degustações comparativas. Os vinhos competidores foram os seguintes:

- Espumante Pedrucci Milesime (Brasil)
- Cava Don Roman Brut Branco (Espanha)
- Champagne Deutz Brut Classic (França)
- Weingut Heinz Pfaffmann Riesling Trocken (Alemanha)
- Ironstone Reserva Chardonnay Murphys (Estados Unidos)
- Bertarose Rosato (Itália)
- Mitolo Jester Shiraz (Austrália)
- Carlos Montes Tannat Crianza (Uruguai)
- Nederburg Winemaster’s Reserve Pinotage (África do Sul)
- Viña Casablanca Cefiro Reserva Carmenere (Chile)
- Nieto Senetiner Malbec DOC (Argentina)
- Porto Messias White Dry (Portugal)

Na semifinal, seis vinhos se destacaram. As amostras foram a dos EUA, Chile, Espanha, Portugal, Uruguai e Brasil. Destes, três concorreram a grande final:


- Cava Don Roman Brut Branco (Espanha)
- Ironstone Reserva Chardonnay Murphys (Estados Unidos)
- Carlos Montes Tannat Crianza (Uruguai)

O vinho que alcançou a maior pontuação foi o uruguaio, dando um resultado surpreendente à competição.


Tudo foi feito de caráter lúdico, mas seguindo fichas usadas para pontuações em concursos internacionais. Foram dados prêmios aos que mais se aproximaram dos resultados ideais da avaliação e também para os que deram as notas mais altas e as mais baixas aos vinhos provados.


VILLAGE WINE & GOURMET WEEK – Este foi o segundo ano do evento, que agora já faz parte do calendário anual das programações do hotel Village Porto de Galinhas. Nestas duas edições, a curadoria do evento foi de Eduardo Viotti e contou com a participação do chef italiano Augusto Piras (foto abaixo). 


Este ano, foram oferecidos jantares temáticos com a culinária da Itália, Portugal e França. A programação também incluiu degustações à beira mar, na piscina e oficinas com chefs boulangers (na foto acima).

SERVIÇO:

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Wine relembra trajetória de seis anos no documentário “Por fora da caixa”

A Wine (www.wine.com.br), terceiro maior e-commerce de vinhos do mundo, está completando seis anos. Para comemorar a data, além de conceder descontos e frete grátis em todo o site, a empresa lançou o interessante documentário "Por fora da caixa". O filme traz depoimentos, mostra detalhes das seleções dos vinhos e momentos importantes que consolidaram a marca no país.


Até hoje, a Wine já entregou mais de 12 milhões garrafas em todo o Brasil. A empresa cresce 100% ao ano e prevê um faturamento de mais de R$ 200 milhões. Só no ClubeW,maior clube de vinhos da América Latina, são mais de 70 mil sócios.

“A Wine nasceu de um sonho, e hoje vivemos este sonho. Completamos seis anos de muito trabalho com a certeza de que estamos no caminho certo. É a nossa alegria que se reflete em cada Winebox que entregamos”, afirma Rogerio Salume, presidente da empresa.


Confira o filme, que tem 1h31m de duração:

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Um vinho branco brasileiro em homenagem à chegada do verão (#CBE)

“Um vinho branco brasileiro de qualquer valor" foi o tema sugerido para ser comentado este mês na Confraria Brasileira de Enoblogs (CBE). A ideia, que caiu muito bem com a proximidade do verão, foi da confrade Ju Gonçalves (Blog Vou de Vinho). A minha escolha foi de um branco leve e refrescante - ótima companhia para os dias de calor. Confira:

Viapiana Green


Tipo: Branco.
Produtor: Viapiana.
Origem: Altos Montes, Flores da Cunha (RS), Brasil
Visual: Cor amarela com reflexos esverdeados.
Olfato: Agradável. Traz notas florais, cítricas e de maçã verde.
Paladar: Bastante leve e refrescante, tem sabor de frutas brancas e mostra novamente um leve toque floral.
Outras considerações: Um brasileiro interessante com apenas 10,5% de álcool. Boa pedida para ser tomado como aperitivo ou ainda acompanhado pratos leves. Caiu muito bem com comida japonesa. Tem em sua composição as uvas Glera (a mesma do Prosecco), Viognier, Chardonnay e Sauvignon Gris. Não safrado.

Classificação: Muito Bom.
Média de preço: R$ 30.
Onde encontrar: www.portomediterraneo.com.br

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Pedalando pelo Rhône: Le Triporteur 2013

Esse é um dos vinhos da seleção Terroir do Clube das Cartas de Vinho Lacomex deste mês. O tema do pack é a região francesa do Vale do Rhône, com vinhos leves e fáceis de tomar. Confira a avaliação.

Le Triporteur 2013


Tipo: Tinto.
Produtor: Cellier des Princes.
Origem: Côtes du Rhône (I.G.P Principauté d’Orange), França.
Visual: Brilhante cor rubi clara, lembrando cereja.
Olfato: Frutas vermelhas do bosque, como framboesa e morango, além de um toque de especiarias
Paladar: Leve e de boa acidez, o vinho tem taninos de qualidade e retrogosto frutado.
Outras considerações: Um tinto leve, fresco e agradável elaborado com as variedades Grenache, Syrah, Caladoc e Carignan, que maturou seis meses em cubas de inox. Tem 13% de álcool. Recebeu medalha de ouro no guia francês de vinhos Gilbert & Gaillard.

Classificação: Bom/Muito Bom.
Média de preço: A seleção Terroir incluindo este rótulo, mais o vinho Chateau Saint Jean Plan de Dieu Côtes du Rhône Villages  2011 e uma ice bag Custa R$ 100.
Onde encontrar: www.lacomex.com.br/o-clube

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Mais um bom vinho da Salton com produção limitada

Provei este vinho já há alguns meses, mas não poderia deixar de falar sobre ele aqui no blog. Trata-se de um lançamento da vinícola gaúcha Salton, que passa a fazer parte da sua linha “Exclusividade”. Nela, estão incluídos rótulos com produção limitada e qualidade superior. O vinho me surpreendeu pela sua elegância e potencial de guarda. Confira a avaliação:

Salton Septimum 2009


Tipo:
Tinto.
Produtor: Salton.
Origem: Campanha Gaúcha, Brasil.
Visual: Cor rubi clara e brilhante.
Olfato: Frutas vermelhas maduras, especiarias doces (canela e noz moscada), café e baunilha.
Paladar: Macio, de taninos sedosos e elegantes, o vinho traz no sabor as mesmas características sentidas no olfato. Final prolongado com notas terrosas.
Outras considerações: O nome Septimum é uma referência às sete castas usadas neste corte: Tannat, Ancelota, Merlot, Cabernet Franc, Teroldego, Cabernet Sauvignon e Marselan. A fermentação é feita em barricas de carvalho. O amadurecimento foi de um ano em carvalho francês novo, com mais um ano de repouso nas caves da vinícola. Tem 13% de álcool. Nesta safra, somente 7.547 garrafas foram produzidas.

Classificação: Excelente.
Média de preço: R$ 100.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Leitores do Escrivinhos têm desconto para se associar ao ChefsClub

Quer comer e pagar menos em cerca de mil restaurantes em todo o Brasil? Esta é a proposta do ChefsClub, um clube que opera em mais de nove estados oferecendo de 30% a 50% de desconto em todas as opções do cardápio dos estabelecimentos cadastrados, exceto nas bebidas e sobremesas. Assim, dá até para pedir um vinho melhor, considerando o preço final da conta.

A gente testou o serviço e fechou uma parceria com o clube, oferecendo um desconto de R$ 10 na assinatura anual. De R$ 149, o plano baixa para R$ 139 ou 12 x R$ 11,66. Basta clicar no seguinte link: www.chefsclub.com.br/desconto/escrivinhos.


Além do site do ChefsClub na internet, o associado também pode consultar a lista de restaurantes parceiros em um aplicativo para celular que informa os endereços, os descontos e os horários de funcionamento, entre outras opções.

ChefsClub
Assinatura anual com desconto especial para os leitores do blog Escrivinhos:
www.chefsclub.com.br/desconto/escrivinhos

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Chianti Poggio Capponi DOCG 2012

Tipo: Tinto.
Produtor: Fattoria di Poggio Capponi.
Origem: Comune di Montespertoli, Toscana, Itália.
Visual: Cor rubi claro com traços granada.
Olfato: Frutas em compota, especiarias, baunilha e chocolate.
Paladar: Boa acidez, corpo médio e final prolongado. O sabor reflete as características do olfato.
Outras considerações: Elaborado com as variedades Sangiovese, Canaiolo Nero e Colorino, o vinho maturou parcialmente (30%) em barricas de carvalho francês durante 18 meses e envelheceu três meses em garrafa antes de ser lançado no mercado. Sua graduação alcoólica é de 13%. O rótulo traz uma bonita ilustração de parcelas de vinhedos na zona demarcada de Chianti.


Classificação: Muito Bom.
Média de preço: R$ 65 [No Recife, na Importadora Trinacria (81) 9975-4072]

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Altas Cumbres Viognier 2012

Vez por outra ando tomando esse vinho, principalmente para acompanhar ceviches e comidinhas do mar. Porém faz tempo que não falo dele por aqui. Então aí vai a avaliação da safra 2012 deste gostoso Viognier argentino:


Tipo: Branco.
Produtor: Lagarde.
Origem: Mendoza, Argentina.
Visual: Cor amarelo dourado.
Olfato: Exala notas agradáveis de flor de laranjeira, frutas brancas e mel.
Paladar: fresco e volumoso, com boa acidez e sabor frutado.
Outras considerações: Elaborado 100% com uvas Viognier, o vinho tem 13,7% de álcool.

Classificação: Muito Bom.
Média de preço: R$ 36 [No Recife, na Lacomex (81) 3081.211 | 3038.4682]

terça-feira, 21 de outubro de 2014

“Cozinha Retrô” é o tema de Festival que começa hoje em Pernambuco

Inspirado no tema Cozinha Retrô, começa hoje (21) o 13º Festival do Festival Gastronômico de Pernambuco. Esta primeira etapa do evento acontece até o dia 26 de outubro e envolve a apresentação de 30 chefs, que irão apresentar clássicos do receituário internacional dos anos 70, 80 e 90 numa arena montada na Praça de Eventos do Shopping Tacaruna.


No espaço, serão ensinadas receitas tais como Bacalhau Dourado (César Santos), Lagosta ao Thermidor (Carmem Virgínia), Risoto de Pernil à Califórnia (Luciana Sultanum), Sanduíche Gelado Bossa Nova (Héllida Kelsch) e Tiramissu Revisitado (Alberto Bernardini).

As aulas são gratuitas e acontecem das 12h às 20h. Para participar, é necessário se inscrever até 15 minutos antes do início de cada apresentação. As turmas são limitadas a 50 pessoas e ao término de cada aula haverá degustação da receita ensinada.

No final de semana (25 e 26 de outubro) acontecerá também a Arena Kids, às 14h, com aulas para as crianças de 5 a 8 anos. Nesta edição, crianças entre 8 e 12 anos serão contempladas com a Arena Teen, que acontece em seguida, às 16h. Para a garotada, a organização do Festival escolheu receitas que podem ser facilmente preparadas em casa, sempre com a supervisão de um adulto. Entre as guloseimas estão pizzas, cupcakes, brigadeirão e madeleines.


SEGUNDA ETAPA - A segunda parte do Festival acontece a partir do dia 29 de outubro em 18 restaurantes pernambucanos. Durante três dias, em cada casa participante haverá um menu exclusivo, assinado a quatro mãos por um chef convidado e pelo anfitrião.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Las Perdices Torrontés 2012

Tipo: Branco.
Produtor: Las Perdices.
Origem: Mendoza, Argentina.
Visual: Cor amarelo limão.
Olfato: Envolve agradáveis notas cítricas, herbáceas e de frutas brancas, como lichia.
Paladar: Um vinho marcado pela boa acidez. Leve, refrescante e saboroso. Predominam as notas frutadas, também aparecendo as outras sensações sentidas no olfato.  Final prolongado.
Outras considerações: Elaborado com uvas Torrontés cultivadas nas regiões Mendoza e Salta, o vinho tem 14% de álcool.


Classificação: Muito Bom/Excelente.
Média de preço: R$ 57 [No Recife, na Dom Vinho]

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Jogador da NBA declara que toma banhos de vinho para melhorar a saúde

O jogador de basquete norte-americano, Amare Stoudemire, declarou que toma banhos de vinho tinto para melhorar a saúde. Ele, inclusive, postou uma foto sua no Instagram com o corpo submerso em uma banheira com a bebida.


"O vinho tinto é muito importante pra mim porque me permite criar mais circulação nas células do meu sangue. É muito quente, como uma banheira quente", diz ele. E completa: "Depois de passar por esse dia de recuperação, minhas pernas parecem rejuvenescidas. Sinto-me ótimo, com certeza vou continuar."

O mais curioso é que o jogador diz que não conhece a qualidade do vinho usado em suas sessões.n “Nunca provei”, desabafou.

Stoudemire é pivô do New York Knicks, time que atua na Liga de Basquete dos Estados Unidos (NBA).

*Com informações da ESPN Brasil.