sábado, 21 de janeiro de 2017

Como se tornar especialista em vinhos em 24 horas!



Você é daquelas pessoas que gostam de tomar vinho, mas sabe falar pouco sobre o assunto e tem interesse em saber mais? Então, já pode começar a ter um repertório mais apurado, pois acaba de chegar às prateleiras das livrarias o mais novo livro da jornalista, crítica de vinhos e escritora Jancis Robinson: Expert em vinhos em 24 horas. Claro que ninguém vai sair especialista em vinhos depois da leitura, mas com certeza saberá bem mais do que antes, e já dá pra não fazer feio em eventos e degustações por aí.

Com a proposta de que o leitor pode virar um especialista em vinhos em 24 horas, o livro de bolso tem 160 páginas.  Mais uma obra da responsável pela adega da rainha Elizabeth II, a publicação fala de maneira bem singular, prática e básica sobre assuntos e encontrará resposta para perguntas elementares sobre o universo dos vinhos, a exemplo das diferenças entre vinhos tinto, branco e rosé e a temperatura adequada da bebida, além do modo correto para armazenar as garrafas.


Jancis é a provadora de vinhos mais reputada do mundo, segundo a prestigiada revista Decanter. Autora de dezenas de livros sobre vinhos, a crítica de vinhos do Financial Times sugere que os vinhos sejam degustados em pequenos grupos ou junto de quem se gosta, apontando harmonizações entre rótulos e comidas, o que certamente facilita e muito a vida dos enófilos para aprender e trocar experiências.

Ao logo dos capítulos, ela aponta 10 mitos mais comuns sobre vinhos e a lista com as dez melhores dicas. A edição brasileira inclui um posfácio do sommelier do Grupo Fasano, Manoel Beato, que conta a história do vinho no Brasil e aponta os melhores exemplares nacionais. A autora fala ainda sobre como consultar um carta de vinhos, além de explicar sobre as castas mais plantadas no planeta e as regiões vitivinícolas, entre outros assuntos diversos. Ela destaca ainda o vocabulário base para que o enófilo iniciante não perca o Norte sobre o mundo dos vinhos.

Preço sugerido: R$ 33,90


quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Um vinho para ler ou uma história para beber?


Sabe aquela máxima de que não existe nada melhor do que a companhia de um bom vinho e um bom livro? Pois é, a iniciativa se concretizou e surgiu a partir da parceria entre a agência de design Reverse Innovation e a produtora de vinho italiana Matteo Correggia, que juntas criaram o “Librottiglia”. A ideia é juntar livro (libro) e garrafa (bottiglia), em italiano, e transformar os rótulos das bebidas em pequenas e interessantes obras literárias. Fundada em 1985, a Matteo Correggia é uma vinícola situada em Piedmont, Itália. Seus vinhedos possuem aproximadamente 20 hectares plantados de forma natural, e produz vinhos como Nebbiolo, Barbera, Arneis e Brachetto.

O projeto é uma coleção de vinhos e livros, com 75 ml, e que harmonizam com uma história diferente, cada qual de acordo com as características de cada vinho, com o gênero da literatura mais adequado ao rótulo.


A coleção é uma trilogia. O primeiro livro, “La Rana nella Pancia” (A Rã na Barriga), é da cantora e compositora italiana Patrizia Laquidara. Trata-se de uma fábula “enigmática como o vinho seco brachetto Anthos e seu surpreendente aroma adocicado de frutas vermelhas e rosas”.

O segundo livro é o romance “Ti amo. Dimenticami” (Te amo. Esqueça-me), da escritora brasileira e produtora cultural Regina Nadaes Marques, radicada em Milão. É uma história de amor “intensa como o tinto nebiolo da região de Roero, no Piemonte”.

Por fim, a trilogia se encerra com uma ação policial bem-humorada do autor satírico Danilo Zanelli, “L’Omicidio” (O Homicídio), cuja história é “leve e refrescante como o vinho branco Roero Arneis”.
Por enquanto, as histórias estão apenas no idioma italiano e vendidos por lá. Mas é possível adquirir na própria página: http://www.librottiglia.com/


quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Maria Izabel Blanc de Blancs Bruto 2014


Tipo: Espumante
Produtor: Quinta Maria Izabel.
Origem: Douro, Portugal.
Características: Lançamento da Quinta Maria Izabel - vinícola portuguesa com DNA pernambucano (saiba mais), este é um espumante elaborado através do método tradicional, com segunda fermentação em garrafa durante 15 meses. Na sua composição estão as uvas Gouveio, Malvasia Fina, Arinto e Touriga Franca. A bebida mostra uma coloração de tonalidade acobreada e uma boa formação de espuma, com borbulhas finas e intensas. O aroma traz características levemente cítricas, de pão tostado e melão. Na boca exibe caráter seco, cremoso e persistente. Os sabores refletem as impressões do nariz.

Classificação: Muito Bom/Excelente.
Média de preço: R$ 80 a 90 [Importado pela Ridouro]. 

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Pisano mantém viva a tradição da uva Tannat no Uruguai

Uma das últimas degustações de 2016 que participei foi promovida pela Mistral, no restaurante Coco Bambu, no Recife, com os vinhos da Pisano, uma das bodegas de maior destaque do Uruguai. A apresentação ficou a cargo do gerente de exportação da marca, o jovem e descolado Nikolás Kozic (foto), ou simplesmente Niko, que na ocasião conduziu uma prova guiada de cinco rótulos.


A Pisano é uma vinícola fundada em 1914, comandada atualmente pela quarta geração da mesma família, através dos irmãos Daniel, Gustavo e Eduardo Pisano. Está localizada na região de Progreso, no departamento de Canelones, onde possui 30 hectares. Apesar de contar com cerca de 20 diferentes variedades plantadas, o foco da vinícola continua sendo a uva Tannat – cepa francesa da região do Madiran que se adaptou muito bem ao Uruguai e hoje é a casta mais importante daquele país.

Os produtos da Pisano demonstram a qualidade de quem não está preocupado em colocar grandes quantidades de vinho no mercado. Trata-se de uma vinícola de médio porte, com cerca de 300 mil garrafas produzidas ao ano. Além disso, utilizam práticas sustentáveis em sua produção. “Somos 99% orgânicos. O que falta é apenas a certificação”, explica Niko, lembrando que este é um processo caro e burocrático no seu país.

Confira as minhas impressões sobre os vinhos degustados:

Cisplatino Torrontés 2015


Tipo: Branco.
Produtor: Pisano.
Origem: Progreso, Uruguai.
Características: Segundo Niko, este é o único vinho produzido no Uruguai com a uva Torrontés (a principal variedade branca cultivada na vizinha Argentina). A bebida apresentou uma cor amarelo palha com tons esverdeados. Aromas minerais aparecem junto com notas de aspargos e leves toques florais e cítricos. Possui boa acidez e não é enjoativo como me parecem alguns vinhos feitos com a variedade Torrontés. Além disso é mais encorpado que os argentinos, o que o torna um vinho mais gastronômico, bom para acompanhar frutos do mar e pescados mais gordurosos. Tem 13,5% de álcool.

Classificação: Bom.
Média de preço: R$ 67

Cisplatino Cabernet Franc Rosé 2015


Tipo: Rosé.
Produtor: Pisano.
Origem: Progreso, Uruguai.
Características: Elaborado 100% com a uva Cabernet Franc, a mesma usada na produção dos rosés do Vale do Loire, na França, é um vinho bem frutado, mas com uma ponta de elegância proporcionada por sua mineralidade e boa acidez. Sua cor cereja muito viva me causou um pouco de desconfiança no início (prefiro os rosés com menos extração, mais clarinhos, que costumas ser mais leves e harmoniosos). Porém a impressão foi logo desfeita ao prova-lo. É um ótimo vinho para comida, como peixes e frutos do mar ou saladas. Sua graduação alcoólica é de 13%.

Classificação: Bom/Muito Bom.
Média de preço: R$ 67.

Cisplatino Tannat 2013


Tipo: Tinto.
Produtor: Pisano.
Origem: Progreso, Uruguai.
Características: Em sua composição foram usadas uvas Tannat de oito diferentes localizações de vinhedos. Parte do vinho estagiou de três a quatro meses em barricas de carvalho usadas e outra parte em tanques de inox. De coloração rubi com média profundidade, a bebida traz no olfato notas de ameixa madura, violeta, pimenta do reino, erva-doce e menta. Paladar encorpado, com taninos de qualidade e boa persistência. O teor alcoólico é de 13%.

Classificação: Bom/Muito Bom.
Média de preço: R$ 67.

Rio de los Pájaros Reserve Tannat 2013


Tipo: Tinto.
Produtor: Pisano.
Origem: Progreso, Uruguai.
Características: Este é o vinho da Pisano mais vendido em todos os mercados onde a marca está presente. Elaborado apenas com uvas Tannat, maturou durante seis meses em barricas de carvalho de segundo uso. Os aromas são de azeitonas pretas, frutas escuras, mentol, alcaçuz, floral e um toque discreto de couro. Na boca é encorpado, maduro, com taninos de boa qualidade. Tem 13% de álcool.

Classificação: Muito Bom.
Média de preço: R$ 85.

RPF Tannat 2011


Tipo: Tinto.
Produtor: Pisano.
Origem: Progreso, Uruguai.
Características: O Reserva Personal de Familia é elaborado 100% com uvas Tannat e maturado 12 meses em barricas francesas de primeiro uso. Com coloração rubi de média profundidade, este belo exemplar da Pisano traz no nariz notas de alcaçuz, frutas em compota (negras e vermelhas), minerais, café, chocolate, menta e especiarias. Encorpado, de taninos finos e boa persistência, o sabor repete as sensações do nariz. Sua graduação alcoólica é de 13%.

Classificação: Excelente.
Média de preço: R$ 128.

ONDE ENCONTRAR: No Recife, os vinhos da Mistral podem ser encontrados na Distribuidora DLP, BarChef e Casa dos Frios.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Vinakoper Refošk 2015 (#CBE)

O primeiro post de 2017 chega com um tema bem interessante proposto pelo confrade Victor Beltrami (Balaio do Victor) para a nossa Confraria Brasileira de Enoblogs - onde comentamos a cada início de mês um vinho seguindo as características propostas por um dos participantes do grupo. Para o primeiro post do ano, ele sugeriu o seguinte: “um vinho de um país que nunca provamos, branco ou tinto, e se possível propormos uma harmonização”.

Como o mês de dezembro foi muito corrido, resolvi buscar um vinho que havia provado em 2016 e não tinha comentado ainda no blog. Este exemplar foi um dos que mais me surpreenderam numa degustação de vinhos da Eslovênia, promovida no Recife pelo consulado daquele país. Confira:


Tipo: Tinto.
Produtor: Vinakoper.
Origem: Ístria Eslovena, Eslovênia.
Características: Este vinho é elaborado 100% com a variedade Refosco, muito conhecida na Itália, mas como ressaltou o importador Mihael Margon, é originária da Eslovênia, onde tem Denominação de Origem Protegida.  A bebida ficou em contato por 14 dias com as suas cascas e maturou parcialmente em grandes tonéis de madeira e em tanques de aço inox. Segundo Margon, é um vinho para ser consumido até dois anos após a sua produção. Uma de suas características é a acidez elevada.

De cor rubi profunda com tons violáceos, o vinho mostrou no aroma interessantes aromas de frutas negras, café, caramelo e bala de morango. Na boca surgem taninos macios e acidez bem presente. O corpo é médio e os sabores ressaltam especiarias e trazem novamente as frutas negras. Final de médio a prolongado. O teor alcoólico é moderado (12,5%). Vai bem com pratos gordurosos e carnes grelhadas.

Classificação: Muito Bom/Excelente (Importado pela Lonmar – lonmarkoper@yahoo.com).

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

A riqueza aromática do vinho



Cada vinho tem um aroma, e cada aroma possui uma peculiaridade de cada uva, cada rótulo. Assim, cada vinho de determinada uva tem algo em comum, mas cada um deles é bem particular, o que varia de acordo com o corte, fermentação, passagem em carvalho, maturação, terroir, etc.

Em geral muitas pessoas acham complicado identificar estes aromas. Mas com o treino, aos poucos é possível reconhecer e entender. É importante compreender que o vinho é um composto de aromas. Saber apreciá-lo facilita identificar os de sua preferência. Se ele tem aroma de chocolate ou mel ou especiarias, não significa que estes elementos tenham sido colocados dentro do vinho. Tudo é uma questão de química! E muito do que achamos que vem do paladar, na verdade vem da riqueza do aroma. Podemos classificar os aromas do vinho como primário, secundário e terciário, que dependem, respectivamente, das uvas, da fermentação e do envelhecimento.

O aroma primário é aquele que você sente assim que é colocado na taça. E , como já falamos, varia de acordo com o tipo de uva (variedade, cepa ou casta) com a qual o rótulo foi feito. Segundo o enólogo e gerente de produção da Famiglia Zanlorenzi, Ricardo Morari, “vinhos elaborados com uvas moscatéis, por exemplo, lembram as uvas que lhes deram origem. Estes aromas nos dão a sensação de ‘doces’ e lembram uva de mesa”, explica. Ele completa que, em vinhos produzidos a partir da mesma casta, observa-se semelhança aromática. “Entretanto, a região de procedência, o clima, o tipo de solo e a forma de condução agronômica do vinhedo tem muita influência no processo (natural) da vinificação e na formação dos aromas, por isso apenas falamos de semelhança entre vinhos do mesmo varietal”, ensina.

Depois que se gira a taça, esta libera outros aromas. Este é o que chamamos de aroma secundário, que são os que se desenvolvem durante o processo de vinificação. Enquanto as leveduras atuam sobre os açúcares da fruta, que se transformam em álcool, diversas reações químicas (naturais, de novo) ocorrem no mosto e, dependendo do ambiente em que a fermentação ocorre agregam (ou não) aromas diferentes que se juntarão aos primários e poderão ser identificado na hora da degustação. É preciso entender que nem todos os vinhos apresentam este tipo de aroma. Os mais jovens, fermentados em tanques de aço inox, por exemplo, dificilmente desenvolvem aroma secundário.

Por fim, vem o aroma terciário, também conhecido por bouquet, que é o mais complexo. Esta classe de aroma se desenvolve após a fermentação, quando o vinho afina, geralmente em barris de madeira. Em seguida, o vinho é engarrafado e no ambiente redutivo (com pouco ou nenhum contato com o oxigênio ) da garrafa, estes aromas se aprimoram e se expandem até o momento sublime da degustação, quando percebemos a grande riqueza aromática de certos tintos, onde a sobreposição dos aromas primários, secundários e terciários formam o bouquet do vinho.


Se o vinho é floral, terá aroma de rosa, violeta, jasmim, etc. Já nos frutados é possível perceber o aroma de cereja, morango, ameixa e pêssego entre outros. Quando dizemos que tem cheiro de especiarias, é possível perceber pimenta-do-reino, cravo, canela, noz-moscada, e assim por diante. Cada tipo de uva libera um aroma de elementos diferentes.

Há quem coloque estes ingredientes dentro de taças e faça os degustadores terem  o prazer sensorial de perceber os aromas diretamente da fonte, assim fica mais fácil aprender e identificar cada vinho. Vale aprender, testar e degustar. Com certeza será uma grande experiência!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Bodega Garzón dá novos ares ao vinho uruguaio

Estive semana passada com a embaixadora da bodega uruguaia Garzón, Ana Paula Oliveira, durante um jantar promovido no Recife pela importadora World Wine e a distribuidora local Cave d’Or, de Taciana Carvalho. O encontro aconteceu no restaurante Ponte Nova, com um impecável jantar harmonizado.

A VINÍCOLA - O projeto da Bodega Garzón é jovem. As primeiras vinhas foram plantadas em 2007 e a primeira safra colhida foi em 2011. A vinícola pertence simplesmente ao homem mais rico da Argentina: Alejandro Bulgheroni. Em 1999 ele visitou o Uruguai e conheceu a região onde hoje está localizada a Garzón, vendo ali a sua “pequena Toscana” - um local com grande potencial para desenvolver um projeto vitivinícola de qualidade. Bulgheroni, que possui sete vinícolas em diferentes partes do mundo, investiu mais de 85 milhões de dólares na bodega. Além de vinhos, lá também são produzidos excelentes azeites (Colinas de Garzón). 


São mais de cinco mil hectares de terras, na região conhecida como Maldonado, a 18 km de distância do Oceano Atlântico.  Foi a primeira bodega sustentável a ser construída fora da América do Norte e utiliza muita tecnologia a favor da elaboração de produtos de qualidade. 

OS VINHOS - Alejandro Bulgheroni convidou o enólogo italiano Alberto Antonini (proprietário da vinícola argentina Alto las Hormigas) para chefiar a produção dos vinhos. Ao contrário da maior parte das bodegas, as atenções não estão só voltadas para a Tannat - uva de origem francesa que se tornou o ícone do Uruguai. Outras variedades não tão comuns aquele país, como a Albariño, também são plantadas e utilizadas em seus rótulos.

Os vinhos da Garzón prezam pela pureza da fruta, deixando a madeira como um elemento de segundo plano no processo de vinificação. Os tintos só são elaborados com leveduras indígenas e é comum a utilização de tanques ovais de cimento. Os brancos passam pela técnica de sur lie, onde ficam em contato com as peles das uvas por um determinado período.

Uma das minhas constatações durante a degustação é que os vinhos da Garzón feitos com a cepa Tannat, caracterizada por transmitir ao vinho taninos intensos e rústicos, passam longe de serem "duros" e predominantes. Pelo contrário, os taninos estão presentes, mas têm maciez e se mantêm equilibrados com a acidez da bebida.

Confira as minhas impressões sobre os vinhos provados:

Garzón Albariño 2015


Tipo: Branco.
Produtor: Bodega Garzón.
Origem: Maldonado, Uruguai.
Características: A degustação começou logo com essa bela surpresa. Um branco feito 100% com a uva Albariño, variedade muito usada na região espanhola da Galícia e também com o nome Alvarinho no norte de Portugal. O vinho mostrou na taça uma cor amarelo palha com reflexos esverdeados. O aroma, muito gostoso, envolve frutas brancas, como lichia e pêssego, leve toque cítrico, notas florais, minerais e lácteas – estas últimas provenientes do contato de seis meses com as peles das uvas (sur lie) em tanques de aço inox. De médio corpo, o paladar pareceu muito fresco, com sua ótima acidez. Um vinho bem gastronômico, que acompanha bem pratos de frutos do mar.

Classificação: Muito Bom/Excelente
Média de preço: R$ 90.

Garzón Pinot Noir Rosé 2014


Tipo: Rosé.
Produtor: Bodega Garzón.
Origem: Maldonado, Uruguai.
Características: Vinho jovem de coloração rosada vibrante, que traz no aroma notas de frutas vermelhas silvestres como framboesa e morango. As mesmas sensações se repetem no paladar, que possui boa acidez, mas diferentemente do branco anterior, que se mostrou bem seco, este traz um toque a mais de doçura. Leve e jovem, deve ser servido bem fresco. Sua graduação alcoólica é de 13,5%.

Classificação: Bom.
Média de preço: R$ 90.

Garzón Tannat 2014


Tipo: Tinto.
Produtor: Bodega Garzón.
Origem: Maldonado, Uruguai.
Características: Para mim, o melhor vinho da degustação, tendo em vista a sua excelente qualidade e bom preço. De coloração violeta de média profundidade, traz no nariz uma boa gama de sensações, como de frutas negras e vermelhas maduras, notas mentoladas, flores secas, licor, pimenta do reino, cominho, caramelo e um discreto tostado. Paladar de médio a encorpado, o vinho tem sabor compatível com o aroma, trazendo ainda um toque de café. De médio a encorpado, apresenta boa persistência na boca. Teve seis meses em contato com as peles e mais seis meses de maturação barricas de carvalho francês. Tem 14% de álcool.

Classificação: Excelente/Excepcional.
Média de preço: R$ 90.

Garzón Reserva Tannat 2013


Tipo: Tinto.
Produtor: Bodega Garzón.
Origem: Maldonado, Uruguai.
Características: Um vinho com bom potencial de evolução, que maturou 18 meses em barricas de carvalho francês. O visual mostra uma cor violeta profunda, enquanto no nariz surgem notas intensas de frutas em compota, chocolate, baunilha, café com leite e um toque licoroso. Taninos polidos marcam o paladar. O sabor repete as impressões do nariz, revelando ainda notas de especiarias.  Tem 14,5% de álcool.

Classificação: Muito Bom/Excelente (evolui com a guarda)
Média de preço: R$ 165.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Pão de Açúcar investe em sua marca própria de vinhos


Os rótulos do Club des Sommeliers são uma marca própria e exclusiva da Rede e são provenientes de 11 diferentes nacionalidades. São diversas opções de vinhos tintos, brancos e espumantes para harmonizar com os principais pratos das festas de final de ano e presentear amigos que apreciam uma boa bebida.

A marca conta com prêmios importantes, como o CATAD’OR Wine Awards Santiago de Chile 2016 Ouro – Vinho Merlot Chileno; Internation Brazil Wine Challenge 2016 Prata – Vinho Blend Selection Cabernet Sauvignon |Tannat | Merlot,  Vinho Selection Merlot, Espumante Brut, vinho Gran Rerva Carmenère Chileno e Cabernet Sauvignon Reserva Chileno; entre outras premiações. “O Club des Sommeliers tem uma extensa variedade de segmentos, desde espumantes e vinhos Reserva, até Porto e Gran Reserva. As possibilidades de harmonização são muitas e nossos clientes ficam satisfeitos com as indicações”, afirma o consultor Carlos André.

A marca possui opções para todos os gostos e bolsos que vão desde frisantes e vinhos jovens, que custam em média R$ 20, até uma linha Gran Reserva, com preço em torno de R$ 89.

Conheça algumas dicas sugeridas pelos especialistas:

Espumante Brut Vibrant - Brasil
Resultado de um corte de Chardonnay, Prosecco e Trebiano oriundas da Serra Gaúcha, o espumante conta com finos aromas de flores – como a acácia – e frutas – como maçã verde -, conferindo um sabor fresco.  A bebida harmoniza de forma ideal com pratos como salada caprese, massas leves e frutos do mar.
Preço sugerido: R$ 39,90.

Gran Reserva Carménère 2010 Prata - Chile
Com aroma frutado e persistente na boca. De coloração rubi-intenso, acompanha perfeitamente massas e carnes cozidas.
Preço sugerido: R$ 79,90

Pinotage – África do Sul
Um ícone da África do sul, a Pinotage é uma uva híbrida das variedades Pinot Noir e Cinsault, traz notas frutadas e leve sabor herbáceo. De coloração rubi-brilhante escuro, este exemplar tem paladar de corpo médio e harmoniza perfeitamente com carnes vermelhas pouco condimentadas.
Preço sugerido: R$ 37,90

Cabernet Merlot – Austrália
Vinho de corte Bordalês, combinação de uvas Cabernet Sauvignon e Merlot, une os sabores desses varietais apresentando aromas de frutas vermelhas e chocolate. De coloração vermelho-intenso, este vinho possui médio corpo e sabores persistentes de frutas vermelhas, chocolate e delicado toque de baunilha. Ideal para acompanhar pratos à base de carnes vermelhas e massas.
Preço sugerido: R$ 31,99

Pinot Gris – Nova Zelândia
A uva vinda da Alsace, França, se encontra nas terras inspiradoras e montanhosas da Nova Zelândia, dando origem a um vinho encorpado e de acidez precisa. Vinho de coloração amarelo-ouro claro possui aroma e sabor com delicadas nuances cítricas. Perfeito para acompanhar peixes grelhados, entradas delicadas e massas com molhos leves.
Preço sugerido: R$ 67,90

Vinho do Porto Tawny - Portugal
Vinho fortificado elaborado na região do Douro, que tem o título de primeira região demarcada do mundo. Tem aromas complexos e mostra evolução no paladar. Ideal para ser apreciado sozinho e acompanhando sobremesas, especialmente à base de frutas secas.
Preço sugerido: R$ 44,90

Consultoria para queijos e vinhos


A rede Pão de Açúcar cria diferencial e disponibiliza consultores de queijos e vinhos treinados para auxiliar os consumidores que não entendem do assunto. O intuito é que seus clientes recebam sugestões de como harmonizar vinhos e montar tábuas de frios para receber os amigos para encontros informais e festas de fim de ano em casa.

Fernando Oliveira e os consultores de queijos

















O serviço está disponível em todas as lojas de Pernambuco. Os consultores das lojas são profissionais capacitados tanto pelo especialista em queijos Fernando Oliveira como pelo especialista em vinhos Carlos Cabral e dão dicas de combinações e apresentam os melhores produtos e ofertas de acordo com cada ocasião.

O consultor de vinhos da unidade Pão de Açúcar da Rosa e Silva, Carlos André, afirma que a procura por estes produtos cresceu bastante e com a proximidade das festas de fim de ano, aumentou ainda mais. ”Estamos aqui para ajudar o consumidor a entender mais sobre esses produtos, trazendo dicas de harmonização entre eles, além de contar um pouco das características e curiosidades das principais uvas e queijos – mais doces ou picantes, com texturas, tipos e paladares tão variados, para as melhores opções harmonizações.

Carlos Cabral e os consultores de vinhos

















Com uma enorme variedade de rótulos ofertados aos clientes, a rede Pão de Açúcar oferece a premiada linha Club des Sommeliers, que tem 15 anos de existência e conta com mais de 90 rótulos em seu portfólio.  Para quem ainda não conhece, a Club des Sommeliers é a maior marca de vinhos no Brasil e conta com uma seleção que passa por diversas uvas e regiões produtoras de todo o mundo e com a consultoria do enófilo Carlos Cabral, que visita pessoalmente cada vinícola e faz uma seleção das uvas e safras para compor a linha.

Conheça aqui algumas sugestões de rótulos Club des Sommeliers para o fim de ano.

Evento – Recentemente, a rede realizou evento de confraternização com seus clientes no Castelo Eventos, em Boa Viagem e apresentou palestra com os consultores Fernando Oliveira e Carlos Cabral, que deram dicas e explicaram peculiaridades sobre queijos e vinhos. Na ocasião, os clientes puderam harmonizar alguns rótulos com os pratos da ceia de fim de ano oferecida pelo grupo em suas lojas, sob encomenda.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Vinhos do Uruguai em Olinda


O Recife Convention & Visitors Bureau (Recife CVB),  no ano de comemoração dos seus 15 anos, realiza Festival de Vinho – Edição Uruguai, que reúne hoje (15/12) 12 bodegas uruguaias em uma noite de degustação de vinhos, azeites e queijos em Olinda, no Convento de São Francisco.

O vinho foi eleito como tema chave da missão empresarial, uma vez que a produção vinícola do país é reconhecida internacionalmente.O Uruguai está entre o terceiro e quarto maior produtor de vinhos finos do continente e entre os dez maiores consumidores per capita do mundo. São aproximadamente 300 vinícolas no Uruguai.

A ação é realizada em parceria com o Governo de Pernambuco (Empetur), a Secretaria de Turismo de Olinda, o Consulado do Uruguai em Pernambuco e a GOL Linhas Aéreas. “O projeto foi desenvolvido para manter a viabilidade da nova conexão direta entre os destinos Recife e Montevidéu”, afirma o presidente do Recife CVB, Bruno Herbert.

O evento é exclusivo para apenas 250 pessoas.  Os não associados ao Recife Convention Bureau podem adquirir ingresso ao preço de cem reais.  Informações: 3328.8300.

Vinícolas presentes 
Juanicó
Montes Toscanini
Antigua Bodega Stagnari
Pizzorno
De Lucca
Giménez Mendez
Pisano
Garzón
Castillo Viejo
Artesana

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Cantina del Valdarno Superiore Chianti Classico DOCG 2014


Tipo: Tinto.
Produtor: Cantina del Valdarno Superiore.
Origem: Toscana, Itália.
Características: Elaborado com 90% de uvas Sangiovese e 10% de Merlot, este vinho maturou 12 meses em barris de carvalho e mais três meses em garrafa. Tem coloração rubi de média profundidade com traços violeta e o seu elegante aroma remete a ameixas, canela, alcaçuz, baunilha e flores secas. Na boca, mostra leve a médio corpo, muito equilibrado e persistente. O sabor traz de volta sensações do nariz.Tem 13% de álcool. Um vinho correto em todos os sentido e muito saboroso.

Classificação: Excelente/Excepcional.
Média de preço: Trazido ao Brasil pela Importadora Trinacria, custa nas lojas por volta de R$ 100.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Planalto Reserva Douro DOC 2015 (#CBE)

No primeiro dia do mês, como de costume, eu sempre trago aqui o tema da Confraria Brasileira de Enoblogs (#CBE). Desta vez, a pedida foi do confrade Felipe Silva (Blog BebadoVinho), que chegou com uma ótima proposta para esta época de festas. Ele sugeriu o seguinte tema:

"Como no fim do ano o pessoal gosta de saborear um bacalhau (eu me incluo), e como geralmente a noite de natal é uma noite quente, que tal um vinho branco português para acompanhar? De preferência feito com a uva Arinto (varietal ou com ela na composição). Mas caso não encontre, qualquer branco português está valendo".

Eu não escolhi um 100% Arinto, mas um vinho que tem essa uva na composição, junto com outras variedades. Ele foi provado recentemente no evento Wine Day Casa dos Frios, no Recife, com o pessoal da importadora Zahil. É um vinho que eu já conheço e acho simplesmente incrível e que, com certeza, cai muito bem com um bom bacalhau. Confira a avaliação:


Tipo: Branco.
Produtor: Casa Ferreirinha.
Origem: Douro, Portugal.
Características: Elaborado com as castas Viosinho, Malvasia Fina, Gouveio,  Códega, Arinto, Rabigato e Moscatel,  exibe na taça uma coloração amarelo palha com leves traços esverdeados. Possui uma fineza aromática impressionante, trazendo notas cítricas, de frutas brancas e florais. Presença marcante na boca, com sua ótima acidez, bom corpo e sabor que remete novamente ao caráter cítrico e frutado, com uma ponta de mineralidade. Final longo e duradouro. O vinho não tem passagem por madeira e sua graduação alcoólica é de 13%.

Classificação: Excelente (Importado pela Zahil. No Recife, à venda na Casa dos Frios)
Média de preço: R$ 120

sábado, 26 de novembro de 2016

Empresa cria vinho para cães


O mundo do vinho está cada vez mais democrático e inclusivo: até os cães agora podem saborear rótulos específicos para eles. Acaba de ser lançado o Dog´s Wine, produto nacional pioneiro no segmento pet. O produto foi elaborado com a intenção de proporcionar experiências e momentos únicos entre os donos e seus cães.


Segundo o empresário da marca, Lucas Marques, trata-se de um petisco líquido e sofisticado para que os donos de cães que são apreciadores de vinhos possam incluir seus pets nas comemorações em família, ou até mesmo no dia a dia. “Optamos por ingredientes naturais, como o suco de carne com água e corante natural de beterraba”, explica Lucas. “Para dar um toque especial ao produto, acrescentamos aroma artificial de vinho”, completa.

O Dog´s Wine foi criado por uma empresa de consultoria em produtos pet e passou por vários testes de palatabilidade. “O vinho foi muito bem aceito pelos pets e não causou nenhum problema relacionado à saúde”, conta o empresário, que destaca ainda que o corante natural não permite que a bebida manche os pelos do pet. O novo produto pode ser encontrado em garrafas de 250 mL, ideal para cães de todos os portes. Tal qual os vinhos para o humanos, a bebida canina é lacrada com rolha e chega ao preço médio de R$14,90 (apenas a garrafa) e R$19,90 (garrafa em embalagem especial).

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

RM Express realiza encontro “Amigos do Sommelier”

Agostinho Lopes, Luciano Vieira, Bruno Bello e Ricardo Gonçalves
A RM Express da Madalena investe em novo modelo de eventos onde apresenta vinhos e produtos com degustação promovida pelo sommelier e consultor de vinhos da RM Express, Agostinho Lopes. O encontro intitulado “Amigos do Sommelier” reúne os participantes do recém ministrado curso de “Introdução ao Mundo do Vinho”, na própria loja em agosto. O mesmo formato também está sendo aplicado em outras lojas do grupo, a exemplo de Boa Viagem e Caruaru.


A primeira edição do evento aconteceu no último dia 16/11 e, segundo o organizador do evento Agostinho Lopes, o objetivo é reunir pessoas que foram agregadas ao mundo do vinho para que conheçam novos rótulos e participem de experiências com a presença de representantes de uma distribuidora ou importadora para debater sobre vinhos.  “O objetivo maior é que este seja um encontro de amigos. Queremos reunir pessoas neste espaço das adegas das lojas RM Express, pois vinho é algo que agrega, reúne e cria amizades. Vamos trazer cada vez mais pessoas para serem multiplicadoras deste universo”.


Na ocasião, estavam presentes Luciano Vieira, que apresentou os produtos da linha Sapore (mini milho e molho para bruscheta) e o representante da Importadora  Winebrands , Ricardo Gonçalves, que é o representante local através da RB Representações, que trouxe três grandes rótulos: um espanhol branco da uva Verdejo – Real Compañia, de Rioja; um Pinot Noir argentino, Norton Roble e um francês Saint Cosme Côtes Du Rhône Rouge, que foi o auge da noite e aclamado pelos participantes.  A ideia é que o encontro aconteça a cada dois meses.


terça-feira, 22 de novembro de 2016

Wine sorteia 30 viagens para vinícolas em comemoração aos seus oito anos


A Wine.com.br, maior operação de e-commerce de vinhos da América Latina, está celebrando os seus oito anos de operação com a campanha mais arrojada da história da empresa até hoje. Durante este mês de novembro, o site está sorteando 30 viagens com acompanhante para oito vinícolas parceiras localizadas em diferentes partes do mundo: Las Perdices (Argentina), Canepa (Itália), Maycas (Chile), Fantinel (Itália), Reedwood Creek (EUA), Quinta da Bacalhôa (Portugal), JM Cazes (França) e Protos (Espanha).

Com a iniciativa, a empresa pretende trazer mais informações sobre os vinhos que chegam na casa dos clientes. “A história de cada vinho começa antes do rótulo chegar às residências. Cada garrafa,  cada terroir tem suas peculiaridades e por trás da sua produção há muita coisa para se contar. Os aromas, as regiões, o trabalho feito nessas vinícolas. Queremos oferecer essa experiência para nossos clientes” afirma Luis Martini, diretor de marketing da Wine.com.br.

Para participar, os clientes têm que fazer pelo menos uma compra de R$ 250 durante o mês de novembro para receber um número da sorte. Quanto maior a quantidade de compras, maiores são as chances de ganhar, já que não há limites de número da sorte por pessoa. Os ganhadores serão anunciados pelas redes sociais e viajarão com passagem aérea, hotel, refeições e passeios nas vinícolas com degustações incluídas.

“Percebemos que existia um interesse dos clientes e sócios do ClubeW pelas vinícolas quando fizemos a degustação online, em março deste ano para a comemoração do aniversário do ClubeW. Tivemos esse feedback e pensamos que poderia ser uma boa oportunidade de elevar a experiência do vinho que já trazemos para eles”, diz Luis.


NA TORCIDA – Como cliente Wine quase desde a fundação da empresa, resolvi apostar e fiz as minhas comprinhas. Além disso, a empresa também me enviou, como cortesia, alguns dos rótulos (foto acima) que estão em promoção neste mês de aniversário para avaliação e divulgação. Resultado: mesmo se não for sorteada já saí ganhando, pois aproveitei a baixa de preços e ainda terei a satisfação de degustar alguns rótulos que ainda não conhecia. Parabéns e vida longa à wine.com.br!

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Enólogo da Cortes de Cima comanda degustação harmonizada no Recife


O enólogo Hamilton Reis, da vinícola portuguesa Cortes de Cima, vai comandar uma degustação harmonizada na próxima quinta-feira (24), na loja RM Express do bairro da Madalena, no Recife. O evento acontece das 19h às 21h e o valor da inscrição individual custa R$ 120,00, dos quais R$ 50,00 poderão ser revertidos na compra de produtos da marca.

Instalada na região do Alentejo, a Cortes de Cima foi fundada nos anos 80 por um casal de origem dinamarquesa e americana. Eles foram os primeiros a plantar a casta Syrah no Alentejo e ficaram conhecidos especialmente pelos vinhos feitos com esta uva. Hoje também produzem azeites e são amplamente premiada tanto com seus brancos quantos com os tintos.


Mais informações: (81) 3127.9494.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Vinho brasileiro será tema do próximo Globo Repórter


Nesta sexta-feira (18) vai ao ar mais um Globo Repórter especial sobre os vinhos brasileiros. Essa será a terceira vez que a vitivinicultura brasileira pautará o programa em menos de dois anos.

Gravado pela TV Globo no início do segundo semestre deste ano, a produção mostrará as diferentes formas de paixão pelo vinho e a diversidade dos terroirs nacionais. As filmagens foram realizadas em diferentes regiões do Vale do São Francisco, Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Serra Gaúcha.

Entre os temas abordados estarão a produção de vinhos orgânicos e biodinâmicos e os aspectos históricos, mostrando, inclusive, as primeiras vinhas viníferas do Rio Grande do Sul, localizadas no município de Flores da Cunha.

As vinícolas e os locais de gravação foram selecionados pela produção do Globo Repórter e as informações sobre o setor foram fornecidas pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e pela Embrapa Uva e Vinho, que também acompanharam as gravações no estado do Rio Grande do Sul.

Em 2015, o Globo Repórter produziu e colocou no ar dois programas especiais sobre o segmento vitivinícola. O primeiro foi exibido em maio e abordou os benefícios do suco de uva e os demais derivados da fruta. Em dezembro, o programa da TV Globo apontou a importância da imigração italiana na cultura do vinho no Rio Grande do Sul.

O programa será exibido após a novela das 21h.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Wine Day reunirá grandes marcas de rótulos importados no Recife


A Casa dos Frios, em parceria com a escola Enoclass, irá promover no próximo dia 18/11 (sexta-feira), um evento voltado para a apresentação de vinhos de diversas nacionalidades. Trata-se da primeira edição do Wine Day, feira que acontecerá no andar superior da Casa dos Frios das Graças, a partir das 18h.

Na ocasião, cerca de cem rótulos estarão disponíveis para degustação, inclusive ícones da vitivinicultura mundial, como o italiano supertoscano Tignanello, o português Chryseia, o argentino Achaval Ferrer Finca Altamira e o champagne Louis Roederer Brut Premier, entre outros. Na lista dos expositores estão a Licínio Dias Importação (LD), Mistral, Estampa Wines, Zahil, Casa Flora, Porto a Porto, Winebrands, Berkmann Wine Cellars, além da própria Casa dos Frios, com seus rótulos de importação direta.

Durante o evento, os participantes terão a oportunidade de comprar os vinhos demonstrados na feira por preços bem abaixo da tabela normal. Outra vantagem é que na compra de um ingresso para participar do Wine Day, que custa R$ 100, o cliente poderá reverter metade desse valor para a compra de vinhos no local.

As entradas estão sendo comercializadas apenas na Casa dos Frios (unidades Graças, Boa Viagem e RioMar Shopping). Somente 200 ingressos serão disponibilizados. Não haverá reservas.

SERVIÇO:

WINE DAY
Quando: 18/11/16 (sexta-feira)
Horário: Das 18h às 22h
Onde: Casa dos Frios (Av. Rui Barbosa, 412, Graças, Recife-PE)
Ingressos individuais: R$ 100 (dos quais R$ 50 podem ser revertidos em compras de vinhos no local). Vendas apenas na Casa dos Frios (Graças | Boa Viagem | RioMar)

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Salton Intenso Merlot Tannat 2014 (#CBE)

Novembro chegou trazendo novidades. Agora, tenho a nobre tarefa de coordenar os trabalhos da Confraria Brasileira de Enoblogs (CBE), missão que me foi passada pelo amigo e confrade Gil Mesquita, do blog Vinho Para Todos. Como tudo foi para mim meio que uma surpresa, achei por bem eu mesma indicar o tema de novembro, para que a partir dos próximos meses possamos seguir normalmente o nosso rodízio, com cada confrade sugerindo um tema por mês.

E a minha pedida foi bem singela, mas ao mesmo tempo desafiadora. Encontrar um vinho legal de até R$ 40 nas promoções da vida e compartilhar aqui com a gente.

Segue o vinho que escolhi:


Já havia provado a safra de 2011 desse vinho e tinha adorado. Voltei a prová-lo numa oportunidade mais que especial: para indicar o tema da CBE! Quando o avistei na prateleira do supermercado com a plaquinha de preço estampando R$ 25,90, meus olhos brilharam (o seu preço normal é por volta de R$ 40).  Peguei as três garrafas que restavam e trouxe pra casa.  

Confira os detalhes:

Tipo: Tinto.
Produtor: Salton
Origem: Serra Gaúcha (Merlot) e Campanha Gaúcha (Tannat), Brasil.
Características: As uvas das variedades Merlot e Tannat foram vinificadas em separado. Após o blend, o vinho estagiou seis meses em barricas de carvalho francês e americano. Sua coloração mostra-se rubi de intensidade média a profunda. O nariz exala notas de alcaçuz, especiarias e ameixa madura. Paladar de médio a encorpado, frutado presente, bom equilíbrio entre taninos e acidez, além da presença de madeira de forma bem integrada ao conjunto.

Classificação: Boa compra.
Média de preço: R$ 40 (comprado por R$ 25,90 no Walmart)

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Governo inclui vinhos e espumantes no Supersimples


 *Com informações da assessoria do deputado federal Afonso Hamm

O presidente da República, Michel Temer e os ministros-chefes da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima e da Casa Civil, Eliseu Padilha, durante reunião no Palácio do Planalto, no final da tarde de hoje (25), garantiram a manutenção do texto que incluí os vinhos, espumantes, licores e cachaças artesanais na nova legislação do Simples Nacional, que será sancionada nesta semana. A informação é do deputado federal Afonso Hamm, que estava na reunião junto com o presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Micro e Pequena Empresa, presidente Jorginho Melo e o deputado Carlos Melles.

Na Câmara dos Deputados, Hamm foi  autor da emenda que inclui os vinhos e espumantes no Supersimples. Ele comentou que a reunião, iniciada com o ministro Eliseu Padilha, foi oportuna para buscar a garantia dos avanços necessários no Supersimples. A articulação também contou com o apoio do líder do governo na Câmara dos Deputados, André Moura. “Foi garantido que não teremos vetos em relação ao setor de bebidas”, sintetiza o parlamentar ao acrescentar que a nova legislação facilitará o acesso ao crédito e diminuirá a tributação para as micro e pequenas empresas, contribuindo na valorização da cadeia produtiva e na geração de renda e de novos empregos.

Outro tema que foi abordado com Padilha foi sobre a necessidade da publicação, por parte do governo federal, de um decreto que sinalize a redução do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) do vinhos,  espumantes, licores e cachaças artesanais.

NOTA DO BLOG - Comemoramos a decisão e continuamos na torcida para a redução do IPI.