segunda-feira, 31 de março de 2008

Ragú del Diablo

No último fim de semana, um grupo de amigos se reuniu para um encontro regado a vinhos que terminou (literalmente) em um ‘turbinado’ ragú - adaptação da tradicional receita italiana preparada por Tavinho, meu marido.

Cada casal levou seu(s) vinho(s) para o encontro. A sugestão da noite era Cabernet Sauvignon – uma uva à altura da potência do prato. A grande curiosidade foi que, sem combinar, todos os cinco casais participantes, incluindo nós, escolheram apenas rótulos chilenos e argentinos.

Dos sete vinhos degustados, um deles roubou a cena. O consagrado chileno Casillero del Diablo mostrou porque é um dos ícones da vinícola Concha y Toro. Embora jovem (Cabernet Sauvigon, 2006), a bebida já estava pronta. Foi o terceiro vinho da noite a ser degustado. Chocolate, baunilha e frutas vermelhas marcam o seu aroma. Na boca é aveludado e permanecem as mesmas impressões do olfato. Harmonizou perfeitamente com a bruschetta de pão sírio integral preparada por Aline Feitosa.

Dois vinhos argentinos ficaram concorrendo ao segundo lugar da noite: o Nieto Senetiner Cabernet Sauvignon 2006 e o Finca Flichman Malbec Roble 2006. Na minha opinião, o Nieto se saiu um pouco melhor, talvez ajudado pelo prato, pois foi o vinho que acompanhou o Ragú a Rachel de Castro Borba (homenagem à admiradora nº 1 da invenção). Nos próximos posts falarei um pouco mais sobre os dois vinhos, além do Cosecha Tarapacá, um rótulo com bom custo-benefício da chilena Viña Tarapacá, que também foi degustado naquela noite.

Voltando ao Ragú, o prato é elaborado com carne bovina e suína escolhidas cuidadosamente e moídas no açougue, lingüiças portuguesa e italiana, bacon e molho de tomate caseiro com especiarias. Depois de pronto é servido com penne grano duro e parmesão ralado na hora. Depois disso tudo e, com aquele tempinho chuvoso, não teve vinho que resistisse. Fim de farra.

Abraços a Rodrigo e Vanessa (os anfitriões), Aline, Beto, Silvana, Henrique, Rafa e Bibi, que participaram e presenciaram algumas “viagens” no vinho.

5 comentários

Rodrigo disse...

Massa! Tu acredita que eu tava lendo e sentindo o cheiro dele? Literalmente! Tá sendo requentado aqui o Ragú agora só falta el Diablo! hehehe
bjão

rodrigo

silvana disse...

Ei... Nós também comemos o ragão-kissoba requentado ontem... Hum! E eu como antiga e fiel degustadora de vinho (mas quase novata apreciadora pelo diferencial de seus rótulos) e como boa notívaga, até toparia mais umas taças para acompanhar o “sorobou”... Pena que o meu penne não ter saiu al dente, o queijo era ralado de saquinho e o meu maridão Henrique não encararia. E, antes de qualquer tentativa de oferecê-lo uma taça, preferi me poupar de ouvir: “Ora Sil, quem já se viu beber em noites de Domingo?” Ahahahaha... Buá... Pois é, depois de comermos o delicioso Ragú, com a maravilhosa massa passada do ponto e Kuat light, desliguei a peste do Domingão Faustão e seus BBBs e tentei bloquear os canais esportivos, optando por nos entorpecer com muito namoro. Bom demais. Mas então fica combinado: faremos um novo Ragu Del Diabo, mas dessa vez os ovos cozidos entrarão no preparo da massa, né Tavinho? Valeu Bina, Rodrigo, Vanessa, Aline, Beto, crianças, Rafa e Bibi... A noite foi maravilhosa, as companhias especiais e as viagens Del Diabo?? Perfeitas! Beijos, Silvana/Henrique

aLiNe FeiTosA disse...

Ragú perfeito entre amigos, com Del Diablo e perfeito no dia seguinte com espagete dominical. Tive a udácia de regá-lo com um pouco mais de Cabernet Sauvignon, para dar mais molho. O mesmo cabernet, só que dessa vez o FF, acompanhou. Bom, mas não como o campeão Del Diablo.
bjs
af

rlobope disse...

galera,
foi muito bom... gostaria de ter isso sempre, noite chique, com vinhos, o ragú e bons papos.
Muito legal, beijos e abraços para todos.

Anônimo disse...

Meu Deus... tô me sentindo uma pessoa chique!!! heheheeheh
Lendo tudo que foi escrito, acho que não posso mais recusar um bom vinho. Talvez na próxima eu...
Adorei a noite!
Beijos a todos!
Bianka