terça-feira, 29 de abril de 2008

Casa de Sabicos

Com uma área vitícola e uma adega tradicional herdada de antepassados em Portugal, uma senhora cultivou nos seus filhos e netos o prazer de beber e fazer vinhos. Em meados do século XIX, ela, a Avó Sabica, realizava anualmente um concurso que elegia o melhor vinho produzido na família. Quase dois séculos depois, de vinhas com as mesmas castas, surge o Casa de Sabicos, um vinho idealizado por Joaquim Madeira, um de seus netos, unindo tradição familiar à evolução da enologia.

Segundo o produtor, os vinhos da safra 2001 esgotaram-se em poucos meses no mercado português. Três anos depois, foi eleito pela Revista de Vinhos portuguesa o “produtor revelação” daquele ano.

Segue a minha descrição dos vinhos degustados:

Graça Rosé, 2006
Esta aí um ótimo rosé. Elaborado com as uvas Aragonez e Trincadeira, tem aromas de frutos vermelhos e minerais. Na boca mostra uma complexidade surpreendente para um rosado, com boa acidez. Indicado para os dias quentes. Tem teor alcoólico de 13%. Se estiver disposto (a) a pagar, custa R$ 50,40 na Atacamax, no Recife. O preço é um pouco salgado para sua categoria, mas vale a pena experimentar.


Joaquim Madeira Branco, 2006
O enólogo apostou neste vinho, batizando-o com seu próprio nome, e não decepcionou. Produzido com 50% da casta Antão Vaz, 45% Arinto e 5% Chardonnay é um vinho encorpado com toques de frutas cítricas, como o abacaxi. Tem 14% de teor alcoólico. No aroma apresenta notas frutadas. O Antão Vaz e o Chardonnay fermentaram em carvalho francês. Já o Arinto em inox. Apenas 4 mil garrafas foram produzidas. A unidade custa R$ 57,05 na Atacamax, no Recife. A caixa com seis garrafas é muito bonita, feita em madeira.


Alcatruz Tinto, 2005É um vinho jovem que traz no aroma notas de ameixa e frutos maduros. Tem teor alcoólico de 12,5% e é produzido com as uvas Alfrocheiro, Aragonez, Castelão e Trincadeira. Na boca é um vinho fresco e com bom equilíbrio. R$ 23,90 na Ingá Vinhos, no Recife. Bom para o dia-a-dia.





CSR Tinto, 2005
Este foi um dos que mais me agradou deste produtor. É feito com Alicante Bouschet, Aragonez e Trincadeira. O aroma revela frutos vermelhos e um pouco de madeira. O sabor é frutado e com boa acidez. O final é bem longo, deixando na boca marcas da madeira, porém bem balanceada com os taninos. Tem 12,5% de álcool e passou por seis meses em barricas de carvalho francês e americano. Bom custo-benefício. R$ 30,80.


Casa de Sabicos Reserva tinto, 2004
É um vinho complexo e agradável. Os aromas envolvem toques florais, assim com baunilha e tabaco. Na boca é encorpado e elegante, com notas de couro, baunilha e especiarias. Estagiou 12 meses em carvalho francês e tem 14,5% de álcool. As castas deste vinho são Alicante Bouschet, Aragonez, Cabernet Sauvignon e Trincadeira. No Recife custa R$ 60,75.