sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Vinho e sushi

Quando vou a restaurantes japoneses, tenho o costume de observar o que as pessoas estão bebendo. A grande maioria, inclusive eu, aposta na boa e velha Coca-Cola para acompanhar as iguarias da culinária oriental. Não é comum entre os brasileiros o hábito de tomar saquê, bebida japonesa à base de arroz fermentado, que, teoricamente, acompanha bem os sushis, sashimis, etc e tal. Mas todo apreciador de vinho que se preze já pensou em tentar ou tentou harmonizar a comida da terra do sol nascente com a bebida. Afinal, algum vinho combina com japonesa?

Os vinhos brancos, espumantes e os rosés são os mais indicados para acompanhar esse tipo de comida. Deve preferir-se os brancos mais jovens, pouco encorpados. Em minha opinião, existem dois vilões japoneses que podem “fulminar” um vinho: o molho shoyu e o wasabi. Tentando harmonizar sem a presença desses acompanhamentos ou usando bem pouco deles, o resultado pode ser satisfatório.

Existem hoje no mercado algumas interessantes opções de vinhos feitas exclusivamente para acompanhar a comida japonesa. Uma delas é o argentino Oroya, produzido na região de Mendoza, na Argentina. A bebida foi desenvolvida pela enóloga japonesa Yoko Sato, que utilizou as uvas Torrontés e Pinot Noir na composição. “É um vinho jovem, com corpo firme e pleno, com acidez equilibrada e agradável", explica Fabrício Navarro, da distribuidora Ingá (consulte endereços), que traz com exclusividade o Oroya ao Recife. O vinho custa R$ 22,50.

Outra opção é o brasileiro Sushi Vin. Produzido na Serra Gaúcha, leva em sua composição as cepas Chardonnay, Malvasia Bianca e Moscato. A proposta do primeiro vinho nacional feito para harmonização com a gastronomia oriental é de uma bebida leve e refrescante, com ricos aromas. Foi criado em parceria por uma equipe composta por agrônomos, enólogos e sommeliers, em busca do equilíbrio com a comida japonesa. A sugestão de temperatura para consumo é bem gelado, de 6 a 8 ºC. A média de preço é R$ 20.