terça-feira, 23 de setembro de 2008

Bodega Rey Fernando de Castilla apresenta seus fortificados

Fotos: Wilton Marcelino/Vinhos Recife
A noite foi de vinhos fortificados, ontem, no restaurante Villa Bistrô, no Espinheiro. O diretor internacional da Bodega Rey Fernando de Castilla, o espanhol Jesús Peláez, fez uma apresentação de alguns rótulos de Jerez, representados pela distribuidora Vinhos Recife. O Jerez, Xérès ou Sherry é o vinho emblemático da Espanha e considerado um dos mais importantes fortificados do mundo, juntamente com o Porto e o Madeira.

Após a fermentação do vinho, normalmente produzido com as uvas Palomino, Pedro Ximenez e Moscatel, cria-se na bebida uma levedura chamada flor. A partir dela é que se determina qual tipo de Jerez poderá ser produzido. Com adição de aguardente vínica, pode dar origem aos tipos Fino (mais claro, aroma delicado e graduação alcoólica entre 15% e 17%), Oloroso (cor âmbar, aromas pronunciados e teor de 16% a 18% de álcool) e Amontilado (muito escuro e aromático, encorpado, com graduação até 20%).

Durante a apresentação, foram degustados cinco tipo de Jerez muito bem elaborados pela Bodega Rey Fernando de Castilla, pequena vinícola localizada em Jerez de la Frontera, na Andaluzia. O primeiro deles foi o Jerez Fino, um clássico produzido com a uva Palomino, de coloração palha e brilhante. Seus aromas remetem a frutas secas e pão. Tem boa acidez, com sabor de caráter mineral e boa persistência. Cai bem com comidas frescas, como sushi, presunto e frutos do mar, além das tradicionais "tapas" espanholas. O Fino passa pelo menos seis anos em barricas e tem 17,5% de álcool, devendo ser servido resfriado. (R$ 70, na Vinhos Recife).

O segundo rótulo degustado foi o Amontillado Rare Old. Trata-se de um Jerez doce, produzido 90% com a uva Palomino e 10% de Pedro Ximenez. É envelhecido no sistema de "soleras", onde os vinhos envelhecem em barris empilhados. Os mais antigos ficam na parte de baixo, no solo – daí o nome do método. De coloração âmbar, tem aromas de frutas secas e notas de oxidação. Deve ser servido em temperatura um pouco mais fresca que o ambiente. Segundo Jesús, vai bem com queijos, sopas e patês. Sua graduação alcoólica é de 19%. (R$ R$ 70, na Vinhos Recife).

Para acompanhar o Jerez Cream, a harmonização foi com costelinhas de cordeiro. Este é um vinho delicadamente doce, envelhecido de 10 a 12 anos. No nariz mostra notas de frutas secas e tostado. Na boca chega a ser cremoso, como já diz o nome. Também é aconselhado para acompanhar sobremesas e bolo de frutas secas. Tem 17,5% de teor alcoólico. (R$ R$ 70, na Vinhos Recife).


A melhor surpresa da noite ficou por conta do Antique Pedro Ximenez. "Uma das jóias da Bodega", segundo Jesús Peláez. Trata-se de um Jerez doce que cai muito bem para acompanhar sobremesas, principalmente à base de chocolate, ou ainda para ser "a própria" sobremesa. Elaborado com uvas de colheita tardia e passificadas, este vinho passa 30 anos em madeira. Com cor e aromas que lembram o melaço, também tem notas de chocolate, couro e tabaco no nariz. Na boca, apresenta uma doçura bastante agradável, que harmonizou perfeitamente com a sobremesa de sorvete de creme e bolo de chocolate com amêndoas. (R$ 200, na Vinhos Recife).

Quem se arrisca a sensações mais fortes deve experimentar o Brandy de Jerez Solera Reserva, com 36% de álcool. Depois de estagiar um ano em carvalho francês, este destilado passa por barricas que antes continham Jerez Oloroso e Amontilado. "É uma bebida que busca o caminho do vinho e não dos licores", explica Peláez. (R$ R$ 70, na Vinhos Recife).

O proprietário da Vinhos Recife, Ricardo Lopes, diz que pretende continuar divulgando o Jerez, já que a bebida não tem muita tradição em nosso país. Uma das estratégias é a dica de harmonização de alguns rótulos com sushis e comidas do mar. Presente em mais de 25 mercados, a Bodega Rey Fernando de Castilla, apesar de contar com uma estrutura reduzida, produz 12 tipos de vinhos, investindo em qualidade e tecnologia.

Além da Vinhos Recife e do Villa Bistrô, a marca pode ser encontrada no restaurante Pantagruel e na Casa dos Frios. A importadora é a Casa Flora.

Vinhos Recife
Rua Mem de Sá, 46, Encruzilhada, Recife – PE. Fone: (81) 3426-2090