quinta-feira, 13 de maio de 2010

Vivo promove noite de vinhos no Recife com a Bodega Alta Vista

Na última terça-feira (11), tive o prazer de participar do Vivo Convida, evento promovido pela operadora de telefonia Vivo, no restaurante Wiella Bistrô, em Boa Viagem, no Recife. Foi uma interessante noite de vinhos comandada pelo diretor da Bodega argentina Alta Vista, Benoit Berneron (à esquerda na foto).

Os convidados foram recebidos pelo diretor regional da Vivo Nordeste, Joaquim Perúcio (à direita na foto), que deram as boas vindas e apresentaram ao público o francês Benoit Berneron. Responsável pela parte comercial da empresa, Berneron falou sobre as regiões produtoras de vinhos da Argentina, sobre os vinhedos e o processo de produção da Bodega Alta Vista, além de fazer uma breve explanação sobre os vinhos degustados na noite.

De acordo com ele, atualmente 85% da produção de vinhos da Argentina é para consumo interno e apenas 15% para exportação. “Daí os vinhos chilenos serem mais conhecidos que os argentinos”, observou. O francês revelou que existe uma grande preocupação da vinícola com o vinhedo, uma vez não existe um bom vinho se não houver os cuidados adequados na plantação.

Todas as uvas produzidas pela Alta Vista são colhidas à mão e todos os seus vinhos passam por barris de carvalho, exceto os produzidos com a uva Torrontés

Por falar em Torrontés, o primeiro vinho degustado no evento foi um elaborado com a Torrontés, casta branca símbolo da Argentina:

Alta Vista Premium Torrontés - 2008

Trata-se de um vinho extremamente aromático, característica da uva Torrontés, produzido na região de Salta. Sua cor é amarelo clara com reflexos esverdeados, límpido, transparente e formas longas lágrimas na taça.

No nariz, traz notas cítricas, florais e herbáceas. Na boca, apresenta bom corpo, é refrescante e revela novamente notas cítricas, com um largo e duradouro final.

Classificação: Muito bom.

O segundo vinho da noite foi o que mais me encantou:

Alta Vista Single Vineyard Temis Malbec - 2006

Este vinho vem do Valle de Uco, Mendoza, trazendo para a taça uma cor rubi com reflexos violáceos e borda esfumaçada, além de lágrimas em abundância. Na boca identificam-se frutas vermelhas maduras, notas florais, compota e especiarias. Na boca, mostra caráter defumado, tabaco, frutas, taninos macios e grande persistência. Tem 14,5% e médio corpo.

Levou 92 pontos tanto da revista Wine Spectator quanto do crítico Robert Parker.

Classificação: Excelente.

A entrada servida pelo Wiella foi harmonizada com o primeiro tinto. A escolha da casa foi um terrine de filé sobre julianne de palmito fresco e creme de parmesão.

Já o terceiro vinho veio com o primeiro prato do jantar, um lombo de cordeiro em crosta de ervas com purê de inhame e molho porto.

Alta Vista Grande Reserve Terroir Selection Malbec - 2006

Belo Malbec produzido com uvas de Luján de Cuyo que passou 12 meses em barris de carvalho francês. A cor é rubi com reflexos violáceos e apresenta boa maciez, com notas de café, ameixa, baunilha. Demora na boca, deixando um gosto de especiarias. Tem aromas de frutas vermelhas frescas.

Classificação: Muito bom.

Para finalizar a noite, o top da vinícola:

Alta Vista Alto - 2006

Este é um potente e encorpado vinho, que precisa ser decantado pelo menos uma hora antes de ser servido. No evento, foi servido em decanters. Porém não sei quanto tempo passou respirando, pois achei que o álcool ainda estava um pouco pronunciado no nariz. É um vinho que tem potencial de guarda de 10 a 15 anos e estagiou 15 meses em barricas novas de carvalho francês.

De coloração fechada, com nuances violáceas, traz ao nariz aromas de amora, compotas, chocolate e café. Isso, depois do vinho passar mais tempo aerando na taça, pois o ataque do álcool foi grande no início.

É um vinho que enche a boca, com taninos maduros e as mesmas impressões do nariz. Vai bem com carnes vermelhas.

O Alto foi o primeiro vinho produzido pela Alta Vista. Esta safra levou 95 pontos das publicações Wine Spectator e Wine Advocate.

Classificação: Bom (acredito que pode chegar a ‘excelente se respirar o tempo adequado e a ‘excepcional’ com a guarda).

O útimo foi servido com o segundo prato do jantar: um delicioso medalhão de filé com risoto de parmesão e molho roti (foto).

Para finalizar, um pour pourri do chef. Uma amostra de sobremesas à base de chocolate e frutas vermelhas.

TECNOLOGIA - Além de conhecer as novas tecnologias em telefonia e internet móvel, ao final do evento os convidados receberam um celular Motorola Milestone habilitado pela Vivo (aliás, estou adorando o meu), além de desfrutar de uma ótima oportunidade para conhecer vinhos de qualidade, em um ótimo ambiente. Inclusive, o Wiella Bistrô acaba de ser premiado mais uma vez pela Veja Recife como a melhor carta de vinhos da cidade na edição 2010/2011.

Parabéns à Vivo pela iniciativa. Que venham outros encontros!

1 comentário

alemdovinho disse...

Belo post. E realço, Torrontés TEM QUE SER DE SALTA, mais precisamente no vale do Calchaquí. Muito bom de lá é o Crios da Susana Balbo.

Bonito blog, informações rápidas e eficientes, como deve ser no blog.

Dá uma olhada no meu blog alemdovinho.wordpress.com

Já inclui o seu no meu blog roll