quarta-feira, 7 de julho de 2010

Ibravin fortalece a imagem do vinho brasileiro

As boas-vindas ao grupo de dez jornalistas que estão participando do Projeto Imagem, promovido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), aconteceu no auditório do Hotel e SPA do Vinho Caudalie, em Bento Gonçalves, na tarde da última segunda-feira (05).

Fomos recebidos pelo gerente de marketing e pelo assessor de imprensa do Instituto, Diego Bertolini e Orestes de Andrade Jr, respectivamente, que traçaram um rápido painel sobre o papel do Ibravin e mostraram dados sobre o vinho brasileiro.

O Instituto trabalha com o intuito de promover o vinho nacional, associando pessoas jurídicas que representam produtores de uva, cooperativas e indústrias vinícolas. Ele executa projetos através de convênios com instituições brasileiras, tendo como parceiros a Secretaria de Agricultura, Pesca e Agronegócio (Seappa), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Ministério da Agricultura e Abastecimento, Ministério de Desenvolvimento Agrário, Associação Brasileira de Enologia (ABE), Embrapa Uva e vinho, Sindicatos de Trabalhadores Rurais, Emater, universidades e centros de pesquisa.

O andamento das ações do Ibravin são acompanhadas por um conselho deliberativo que conta com proposições técnicas e pareceres do conselho consultivo.

De acordo com Diego Bertolini, o Ibravin se mantém através do repasse de 25% do imposto sobre a uva processada, que vai para um Fundo de Promoção. O pagamento é feito pelos produtores diretamente ao Instituto.

CRESCIMENTO

Responsável por 90% da produção nacional, o Rio Grande do Sul registrou um acréscimo de 1,3% na comercialização de seus rótulos nos primeiros cinco meses deste ano. Foram vendidos 75,9 milhões de litros de vinhos finos e de mesa neste período, ante 74,9 milhões de litros na mesma época do ano passado. Os resultados foram divulgados durante a abertura do Projeto Imagem, na última segunda-feira (05).

As vendas dos vinhos finos teve incremento de 4,5% de janeiro a maio, com a colocação de 5,75 milhões de litros - o maior volume desde 2007. Mas a grande “explosão” das vendas veio com os espumantes. No mesmo período, o aumento na comercialização foi de 22,7% - maior resultado da história.

Para Diego Bertolini, os números são um reflexo da qualificação das vinícolas, investimento comercial mais agressivo, além da campanha institucional promovida pelo Ibravin e a participação em feiras e eventos.

A ideia é fazer com que o público “abra a cabeça” em relação ao vinho nacional. Mídias como a internet e o Twitter vêm sendo utilizadas também para atingir o público, sobretudo o mais jovem. A prova disso é uma interessante ação promovida recentemente pelo Instituto foi um teste cego realizado durante a última Expovinis, em São Paulo, e em restaurantes de Porto Alegre, onde um sommelier perguntava de que país o público achava que era o vinho que ele estava servindo. O divertido resultado você pode conferir aqui.