segunda-feira, 12 de julho de 2010

Vinhos do Brasil: Boscato

Fotos: Daniela Villar
Localizada no platô do vale do rio das Antas, no pequeno município de Nova Pádua, na Serra Gaúcha, a Boscato é uma empresa familiar que vem mostrando garra de gigante na produção de seus vinhos. Comandada pelo viticultor Valmor Boscato, pelo enólogo Clóvis Roberto Boscato e por sua filha Roberta (foto), uma competente e apaixonada engenheira agrônoma, a vinícola tem 25 anos de história.

Um dos diferenciais da Boscato começa nos vinhedos. A empresa possui uma estação meteorológica própria que recebe informações via rádio e irrigação controlada por gotejamento. Tudo isso, segundo Roberta, contribui para um melhor monitoramento das condições de clima, de solo e da planta.

A plantação está distribuída em 14 hectares, onde predomina o solo basáltico. O controle biológico é feito de forma orgânica. “Já chegaram a me chamar de louca por eu passar de 60 a 90 dias sem aplicar nenhum produto antes da colheita”, revelou Roberta, que diz preferir correr riscos para garantir uma uva mais saudável.

Por falar em uvas, as variedades cultivadas pela Boscato são a Chardonnay, Gewürztraminer, Cabernet Sauvignon, Merlot, Ancellotta, Alicante Bouschet e Refosco.

Na cave, os vinhos são amadurecidos em barris de carvalho francês com no máximo três usos, que recebem assistência técnica da fabricante Segin Moreau. A vinícola também utiliza uma pequena parte de madeira americana e russa.

A produção atual da Boscato é de 400 mil litros por ano. A vinícola exporta para a Europa e Austrália e foi o primeiro produtor brasileiro a participar do “Leading Wineries of the World”.

Tive oportunidade de provar os seus vinhos (foto) durante uma degustação conduzida por Roberta Boscato, no espaço enogastrônomico da vinícola – diga-se de passagem, muito bem estruturado. A prova aconteceu semana passada, durante o Projeto Imagem, promovido pelo Instituto Brasileiro do Vinho.

Confira os vinhos experimentados:

Boscato Reserva Chardonnay - 2010

Elaborado 100% com a casta branca Chardonnay, este vinho tem cor amarelo ouro com reflexos esverdeados e exibe no nariz traços frutados, onde se destaca o abacaxi, além de flores brancas.

Tem paladar equilibrado, com características do abacaxi e de frutas secas. Particularmente, achei-o mais gostoso na boca. A graduação alcoólica é 12,8%.

Classificação: Bom.


Boscato Gran Reserva Merlot – 2005

Para ser servido, Roberta deixou este vinho arejando por um dia. Na taça, ele mostrou cor rubi com reflexos violeta e um belo halo aquoso, mostrando já algum sinal de evolução.

No nariz tem frutas vermelhas maduras, cravo e leve chocolate. Já na prova gustativa mostrou a fruta e madeira em equilíbrio, com bom corpo. Tem 12,8% de álcool.

Classificação: Muito bom.


Boscato Gran Reserva Cabernet Sauvignon – 2004

Também com uma ótima graduação alcoólica, de 12,5%, este vinho traz uma cor rubi viva, límpida e transparente, com delicados aromas de ameixa, menta, além de uma interessante característica que encontrei pela primeira vez em um vinho: lagosta na água e sal.

O paladar oferece ótima estrutura, onde se identifica mais ameixa, com toques tostados e defumados. Apesar de ser um tinto da uva Cabernet Sauvignon, que já apresenta certa potência, apostaria a harmonização por compatibilização com lagosta grelhada.

Classificação: Excelente.


Anima Vitis – 2005

Este é o top da Boscato, elaborado com as uvas Cabernet Sauvignon, Merlot, Ancellotta, Refosco e Alicante Bouschet. Foram produzidas apenas 10 mil garrafas deste vinho, que passou 13 meses em barricas de carvalho francês de primeiro uso.

O nome “Anima Vitis” quer dizer que o vinho reflete a alma da videira.

A cor é granada bem escura e os complexos aromas envolvem notas de compota de frutas vermelhas, especiarias, fumo e principalmente funghi.

Na boca é um vinho elegante, maduro, com a fruta mais comportada. Com certeza ainda vai melhorar e se tornar um vinho excepcional. Nesta prova, a garrafa foi aberta cerca de 24 horas antes.

Classificação: Excelente.

3 comentários

Silas Sequetin disse...

Sou fã do cabernet da Boscato!
Abraço
Silas

Andrea Nobrega disse...

Olá Fabiana ! Em viagem recente ao Vale dos Vinhedos juntamente com um grupo de amigos, tivemos a sorte de sermos apresentados "ao bom e velho Boscato" ( é assim que é chamado pelos gaúchos ). Um bom vinho, de ótimo custo-benefício, fácil de ser tomado e sempre presente na maioria das cartas dos restaurantes gaúchos. Um grande abraço e saúde !

Nilson Roberto disse...

Olá Andréa,como vai?
esse vinho, o Anima Vitis, realmente é um grande vinho, tive a imensa oportunidsade de participar de seu lançamento na Expovinis este ano, só ñão tinha em mente que estava diante do vinho mais caro já produzido no Brasil.
abs
Nilson