domingo, 11 de julho de 2010

Vinhos do Brasil: Don Laurindo

A primeira vinícola visitada esta semana através do Projeto Imagem, na Serra Gaúcha, foi a Don Laurindo. Fomos recebidos por Ademir, filho de Laurindo Brandelli, fundador da empresa. A propriedade, localizada no Vale dos Vinhedos, está nas mãos da família, de origem italiana, desde 1887.

Os Brandelli trabalharam o cultivo de uvas de mesa até o início da década de 70, vendendo a produção para vinícolas maiores. Em 1991, eles deram início à produção de vinhos finos e hoje, com 15 hectares de terras própria, produzem cerca de 120 mil garrafas por ano. A Don Laurindo exporta 2% de sua produção para os Estados Unidos, República Tcheca e México. No Brasil, Rio Grande do Sul e São Paulo absorvem 60% dos rótulos elaborados.

Segundo Ademir Brandelli, eles foram a primeira vinícola brasileira a não filtrar os seus vinhos - técnica adotada até hoje. Para o amadurecimento da bebida, a opção é pelo carvalho francês, pois “dá mais fineza e elegância no paladar”, justifica Ademir.

A Don Laurindo também foi a primeira vinícola brasileira a produzir um rótulo com a uva Tannat, em 1991 - vinho que tive o privilégio de tomar e descrevo logo mais abaixo.

E em breve, os negócios da família vão se expandir com o lançamento uma nova vinícola na Serra Gaúcha: a “Alma Única”. Mais um empreendimento para fortalecer o vinho brasileiro, com amor e profissionalismo - duas qualidades que a família mostra ter de sobra.

A seguir, os vinhos degustados durante a visita e as impressões do blog sobre cada um deles:

Don Laurindo Espumante Brut

Produzido pelo método tradicional com as castas Chardonnay e Riesling Itálico, este espumante tem cor amarelo clara com reflexos esverdeados. Mostra boa perlage, com bolhas fininhas e de média persistência, que chegam a fazer cócegas no nariz.

A bebida passou seis meses em contato com as leveduras. O preço é R$ 35.

Os aromas são de frutas secas, com toque floral. Já na boca, ele mostra um caráter amanteigado. A graduação alcoólica é de 12%.

Classificação: Bom

Don Laurindo Malvasia de Candia Reserva - 2009

Como o nome já diz, ele é produzido com a uva branca Malvasia de Candia. Aparece na taça com uma coloração amarelo palha com tons esverdeados e traz ao nariz traços florais e de maçã verde, com leve toque herbáceo.

É um vinho leve e refrescante, com apenas 10,5% de teor alcoólico, e que mantém na boca o sabor de maçã verde com boa persistência. O preço é R$ 25.

Classificação: Bom

Don Laurindo Chardonnay - 2010

Este vinho ainda não está à venda. Por sinal, ainda está até sem rótulo. A intenção é esperar a oficialização da D.O. (Denominação de Origem) Vale dos Vinhedos para já sair ao mercado com o selo.

A cor do vinho é amarelo ouro e os aromas são de abacaxi e florais, revelando um caráter bem tropical. No paladar é fresco, com boa acidez, médio corpo e média persistência. O sabor tostado é predominante, junto com um frutado tropical. O colega Álvaro César Galvão, que integrou o grupo participante da degustação, achou milho verde na prova do vinho. O teor alcoólico é 12%.

Classificação: Bom

Don Laurindo Merlot Reserva - 2009

Este é o Merlot “leve” da casa. A graduação alcoólica é de 11% e o vinho mostra cor rubi, límpida e transparente. Os aromas são de frutas escuras e café. Na boca, mostra taninos de boa qualidade e médio corpo. Deixa seu sabor no paladar por um longo tempo. O seu preço é R$ 25.

Classificação: Muito bom.


Don Laurindo Merlot Reserva - 2007

Este outro é o Merlot “encorpado”. A coloração é vermelho púrpura. No olfato, identifica-se frutas vermelhas e mentol. Já na boca, mostra novamente as frutas com um toque de baunilha e defumado. Tem boa persistência e final frutado. Um vinho excelente para gastronomia. Custa R$ 30. Tem 12,5% de teor alcoólico.

Classificação: Muito bom.

Don Laurindo Tannat Reserva 10 Anos - 2005

O rótulo comemora os 10 anos de comercialização do Tannat do Brasil.

De cor granada bem escura com tons violeta, a bebida espalha muitas lágrimas na taça, mostrando os seus 14% de teor alcoólico. Tem ótima complexidade aromática, envolvendo frutas vermelhas maduras, defumado e menta. Essas mesmas características vão à boca, que atambém apresenta bom corpo e equilíbrio. Tem potencial para guarda. Custa R$ 80.

Classificação: Excelente

Don Laurindo Estilo - 2008

Na composição deste vinho entram as uvas Malbec, Tannat e Acellotta. Seu nome já diz que é uma bebida com estilo - o que concordo plenamente. No nariz traz frutas vermelhas diversas e mentolado.É um vinho generoso, que oferece no paladar elegantes notas frutadas e toques de defumado. Vai bem com embutidos. O preço é R$ 50 e o teor alcoólico de 12%.

Classificação: Excelente

Don Laurindo Gran Reserva - 2002

É uma assemblage (mistura) das uvas Tannat (80%) e Acellotta (20%) que resultou numa bebida de cor granada e de ótima complexidade aromática, com notas frutadas, de couro e fumo. Envolve o nosso paladar com seus taninos redondos e excelente persistência. Um vinho de classe. Tem 13,7% de álcool. O preço é R$ 105.

Classificação: Excelente/Excepcional


Don Laurindo Gran Reserva - 2005

Assim como a safra 2002, também leva 80% de Tannat e 20% de Acellotta. A cor é rubi com traços violáceos. O aroma é frutado, já aparecendo algum defumado, além de notas de chocolate.

Já pode ser bebido com prazer. Porém, se tiver uma garrafa dessas, guarde por mais alguns anos para tomar.

Classificação: Muito bom/Excelente

Don Laurindo Tannat - 1991

Este foi o primeiro vinho produzido com a uva Tannat no Brasil, do qual só foram produzidas 3.850 garrafas. Durante um jantar no restaurante Sbornea’s, na Serra Gaúcha, Ademir Brandelli nos brindou com a garrafa nº 20 deste vinho - um privilégio sem tamanho.

O que posso dizer é que ele já mostra uma cor evoluída, com levíssimos traços alaranjados, e revela aromas de erva-doce, leve floral e caráter animal. É um vinho muito envolvente na boca, que parece estar em seu ápice. Por incrível que pareça, combinou incrivelmente com um risoto de polvo servido na casa.

Classificação: Excelente.