segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Se liga, Brasil!

Os vinhos brasileiros voltaram a ser tema da minha coluna deste mês da Revista Mon Quartier, publicação que circula no Recife. Para quem não tem acesso à revista, o Escrivinhos reproduz aqui. Confira:

Se liga, Brasil!

Perante a prateleira de uma loja ou supermercado para escolher um vinho, no que você pensa para decidir a sua compra? Certamente leva em consideração o preço, o país de origem e o tipo do vinho (se é branco, tinto, seco, suave, etc). Concorda?

Mas pode ter certeza que a procedência do vinho conta muito nessa hora. Imagino até a cena: “Rapaz, comprei um vinho chileno de primeira pra gente tomar lá em casa”. Ou então: “Me disseram que os vinhos da África do Sul estão bombando! Comprei um pra provar”.

E o vinho brasileiro? Por que a gente quase não fala sobre ele? Será que é preconceito ou mania de dar valor apenas ao que é de fora?

O Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) está fazendo um trabalho muito bonito de valorização do produto nacional. Recentemente, realizou um interessante teste durante a Expovinis, feira de vinhos realizada em São Paulo, e em restaurantes de Porto Alegre. A ação consistia no seguinte: um sommelier oferecia um vinho às pessoas e depois perguntava de onde elas achavam que era aquela bebida. O resultado foi surpreendente.

Foram ouvidas 380 pessoas, entre profissionais e consumidores interessados. Apenas 20% dos degustadores voluntários acertaram que era vinho nacional. A grande maioria (80%) disse que os vinhos apreciados eram de outros países, especialmente do Chile, Argentina, França, Espanha e Uruguai.

Ao revelar que o vinho era brasileiro, a surpresa era grande entre os consumidores. “Muitos aplaudiram e parabenizaram a iniciativa”, contou Diego Bertolini, gerente de Promoção e Marketing do Ibravin.

No último mês, tive a oportunidade de “mergulhar” no mundo do vinho nacional em uma série de visitas técnicas a vinícolas do Sul do país. Provei vinhos espetaculares e vi de perto o amor e a dedicação com que muitas famílias fazem o seu trabalho, desde o cultivo das uvas até a chegada das garrafas no mercado.

O país cresceu muito em técnicas de produção e já conseguiu premiações importantes em concursos internacionais.

Portanto, na próxima compra, olhe com mais carinho a prateleira com a bandeirinha verde e amarela. Se quiser dicas de rótulos, consulte o blog http://www.escrivinhos.com/.

Um brinde!