terça-feira, 14 de setembro de 2010

Rutini apresenta seus vinhos

A Zahil Recife realizou nesta segunda-feira (13) dois eventos exclusivos para divulgação dos rótulos da vinícola argentina Rutini Wines, com a presença do enólogo chefe da empresa, Mariano di Paola (foto), da enóloga dos vinhos da linha Cruz Alta, Paula Witkosky, e da diretora comercial e ex-miss Mendoza, Sol Asensio.

À tarde, o grupo fez uma palestra e degustação com donos de restaurantes, sommeliers, chefs de cozinha e formadores de opinião. Já à noite, houve um jantar harmonizado no Nez Bistrô, do qual tive a oportunidade de participar, com excelente serviço e os pratos clássicos da casa.

Fundada pelo imigrante italiano Felipe Rutini, a vinícola Rutini (também conhecida como La Rural) é uma das mais antigas da Argentina, com 125 anos de existência. Produz anualmente mais de 11 milhões de litros de vinho, prezando pela qualidade. Em 1994, a empresa foi vendida ao prestigiado grupo Catena.

De acordo com Sol Asensio (foto), a Rutini é a vinícola que implantou o estilo de Novo Mundo, com vinhos mais frutados. Segundo ela, também é a pioneira no plantio de vinhedos na região de Tupungato.

Sol ainda disse que o vê o Brasil como uma praça muito importante para os negócios da Rutini, por duas causas: “Pela proximidade da Argentina e pelo seu desenvolvimento econômico”.

Em seguida, apresentou os dois enólogos, que conduziram os comentários dos vinhos degustados durante o jantar.

Mariano di Paola é considerado um dos maiores enólogos argentinos da atualidade e trabalha há 16 anos na empresa. Titular da cadeira de Enologia da Universidade de Mendoza, ele já atuou por 20 anos na vinícola Catena. Já Paula Witkosky foi aluna de Mariano e hoje cuida dos vinhos de volume da Rutini.

O primeiro vinho da noite foi um Cruz Alta branco, que veio acompanhado de um interessante Gratin de Primma Donna (queijo Primma Donna caramelizado).

Confira:

Cruz Alta Sémillon / Sauvignon Blanc – 2009

Já havia provado a safra de 2008 deste vinho. A de 2009 veio um pouco diferente da anterior, mas com a mesma boa qualidade que o torna um vinho de bom custo-benefício.

O Cruz Alta é produzido pela Rutini Wines especialmente para o mercado brasileiro. Tem em sua composição corte típico de Bordeaux: 50% de Sauvignon Blanc e 50% de Sémillon.

Tem coloração dourada (análise um pouco prejudicada pela luz do local) e aromas predominantes de maçã verde, com leve mineralidade. É um vinho com boa acidez e que repete na boca as impressões do olfato, com persistência de média a longa. Ainda traz um discreto toque de erva doce.

Classificação: Muito bom (bom custo-benefício)
Faixa de preço: R$ 22


Rutini Chardonnay – 2008

Este vinho vem em uma belíssima garrafa em estilo borgonhês com o rótulo tradicional da Rutini. A bebida passou por nove meses em barris de carvalho francês de primeiro uso e ganhou uma coloração amarelo ouro e aromas de frutas cítricas e discreto mel.

É um vinho com mais corpo que o primeiro e mostra ótima acidez e frescor, além de um final longo e cítrico. A madeira está bem integrada ao conjunto, conferindo ao vinho um leve toque de baunilha.

Sua graduação é de 13,8%, mas o vinho não deixa transparecer o álcool elevado.

A harmonização foi com queijo com ervas de Provence.

Classificação: Muito Bom/Excelente
Faixa de preço: R$ 76


Cruz Alta Malbec – 2009

À primeira vista, este vinho não empolgou muito. Inicialmente, o álcool atacou o nariz e o paladar. Mas com um apenas alguns minutos aerando na taça, a bebida tomou outras características, ficando mais amena e fácil de beber.

Também demonstra características diferentes da safra de 2008, já provada pelo blog.

A cor é violácea e os aromas são de frutas vermelhas maduras e compota. Tem taninos jovens, mas de boa qualidade, e corpo médio. Aparecem novamente as frutas no paladar e um toque de pimenta do reino.

Cresceu com a comida e harmonizou perfeitamente bem com o fetuccini com pan cook da casa.

Classificação: Bom
Faixa de preço: R$ 22


Rutini Cabernet Sauvignon / Malbec – 2007

Vinho de cor rubi, com boa complexidade aromática, que traz características como frutas vermelhas maduras, chocolate, menta e especiarias.

A bebida estagiou 12 meses em carvalho e ganhou uma boa estrutura na boca, com frutas, baunilha e taninos delicados

Fácil de beber, acompanhou o espetacular nhoque ao ragu de ossobuco – um dos pratos mais prestigiados do Nez.

Classificação: Muito Bom / Excelente
Faixa de preço: R$ 76


Rutini Malbec – 2007

Este vinho tem uma cor rubi fechada e traz aromas de frutas vermelhas, predominando a ameixa, especiarias e menta.

Na boca, percebemos a madeira (o vinho passou 12 meses em barris de carvalho) e as mesmas características do nariz, acrescentando-se café.

Acredito que o vinho ainda pode melhorar com a aeração. A harmonização foi com um fantástico risoto de pato (foto acima).

Classificação: Muito Bom
Faixa de preço: R$ 76


Rutini Antologia XXI – 2006

Este rótulo tem produção limitada de apenas seis mil garrafas. Elaborado com 100% da uva Malbec proveniente da região de Tupungato, a 1.400 metro de altitude, ele mostra coloração rubi com tons violáceos.

O nariz mescla notas florais, frutadas (sobressaindo-se jambo maduro), eucalipto e algo que lembra cera de vela.

Um vinho com corpo, maciez e madeira integrada ao conjunto. Seu estágio foi de 18 meses em barricas novas de carvalho francês. O teor alcoólico é 13,5%.

Para fechar com chave de ouro, o vinho foi harmonizado com um Mignon em crosta de Prima Donna com risoto ao Malbec.

Classificação: Excelente
Faixa de preço: R$ 190

Serviço:
Rutini Wines
Onde encontrar: Importadora Zahil
No Recife:
>>Zahil Boa Viagem - Av. Conselheiro Aguiar, Boa Viagem, 1881-A. (81) 3325-3951 / 3325-3509
>>Nez Bistrô/Zahil Casa Forte - Praça de Casa Forte, 314, Casa Forte. (81) 3441-7873

3 comentários

Anônimo disse...

Fabiana,

Faz tempo que acompanho seu blog, um dos mais antigos e com boa movimentação dos enoblogs. Todos os meses vc posta o vinho do mês. Agora em outubro retornarei à Confraria, depois de dois meses afastado. Essa matéria dos vinhos Rutini está ótima. Gosto muito desses vinhos. São bem típicos, isto é, cada qual procura traduzir com fidelidade a uva do rótulo.
Entrei nos enoblogs e adicionei o seu aos meus favoritos. Visite o meu e se valer à pena, marque-o também.

Abraço

Jeriel

www.blogdojeriel.com.br

Anônimo disse...

Fabiana,

Faz tempo que acompanho seu blog, um dos mais antigos e com boa movimentação dos enoblogs. Todos os meses vc posta o vinho do mês. Agora em outubro retornarei à Confraria, depois de dois meses afastado. Essa matéria dos vinhos Rutini está ótima. Gosto muito desses vinhos. São bem típicos, isto é, cada qual procura traduzir com fidelidade a uva do rótulo.
Entrei nos enoblogs e adicionei o seu aos meus favoritos. Visite o meu e se valer à pena, marque-o também.

Abraço

Jeriel

www.blogdojeriel.com.br

Fernando disse...

Bom dia!

Deixo aqui um convite para quem puder comparecer... Amanhã, dia 16, terá um jantar harmonizado, no restaurante turco Kosebasi, aqui em São Paulo. O cardápio será regional harmonizado com os deliciosos Rutini com a presença do Mariano e da Sol! O preço é muito interessante, R$148,00 por pessoa. A reserva deve ser feita no restaurante.