quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Saiba o que disse o editor da Wine Enthusiast sobre os vinhos do Brasil

A edição de novembro da revista americana Wine Enthusiast, uma das mais conceituadas do mundo, vem com boas notícias sobre os vinhos do Brasil. Adam Strum (foto), fundador, presidente e editor da publicação, dedicou boa parte de sua coluna para narrar suas impressões sobre recente viagem que fez à Serra Gaúcha, a convite do projeto Wines of Brasil.

Leia a seguir a tradução do seu texto:

Chile, Argentina e agora Brasil

Algumas das melhores expressões do método Champenoise fora da França podem ser encontradas nas regiões vinícolas do sul do Brasil. Surpreso?

Brasil. O nome evoca todos os tipos de associações, desde a exuberante floresta tropical até a praia, o carnaval e cruzeiros exóticos no Amazonas. Agora adicione esta palavra: vinho. O Brasil pode ser o próximo país emergente da América do Sul a causar um impacto nos EUA e mercados globais, seguindo os passos dos seus vizinhos mais consagrados, a Argentina e o Chile.

Essa nova região vitivinícola excitante, centralizada em torno da cidade de Bento Gonçalves, possui um grande número de vinhedos que são comemorados no Brasil, mas são pouco conhecidos lá fora, mas isso deve mudar conforme hotéis do nível do esplêndido Hotel Spa do Vinho Caudalie são abertos para acolher os visitantes. Passear de carro ao redor de Bento Gonçalves é o mesmo que fazer uma excursão na região de Toscana. Colinas ondulantes dão lugar a paisagens espetaculares, a região rural é mágica. E os vinhedos contêm magia também; os produtores de vinho aqui estão fazendo excelentes Merlot e Cabernet Franc e espumantes excepcionais.

Os vinhos não são amplamente distribuídos nos EUA ainda, mas em breve fique atento aos Merlots achocolatados, intensos e frutados da Pizzato, o Cabernet Franc com sabor licoroso da Casa Valduga, bem como cortes de Tannat, Cabernet Franc e Malbec, que podem competir com os melhores vinhos de seus vizinhos. O Miolo Wine Group contratou o consultor Michel Rolland, que tem aproveitado suas modernas instalações para produzir vinhos e espumantes excepcionais, incluindo cortes de Meritage Bordeaux que são vendidos na faixa de $30 - $50, sendo que vinhos de qualidade comparável na Argentina e Chile custam entre $50 - $100. Lídio Carraro oferece o Quorum, um corte de Merlot, Tannat e Cabernet Franc que proporciona grande variedade de sabores de menta e groselha preta, e o Singular, um exemplar excelente de Nebbiolo, que fornece características maravilhosas de Piemonte.

Mas o grande lance é o espumante. Moët et Chandon tem suas próprias instalações aqui para produzir um espumante Chandon brasileiro de uvas Pinot Noir e Chardonnay em toda sua glória frutada e tostada. Na faixa de preço de $10 a $15 dólares há muito para escolher. O espumante Chardonnay da Aurora (juntamente com seus vinhos Cabernet Franc, Carmenère e Cabernet Sauvingnon) oferece ótima qualidade pelo seu preço abaixo de $10. A Casa Valduga produz Malbec Rosé agradável, tanto o vinho quanto o espumante. Mas o melhor produtor de espumantes da região, sem dúvida nenhuma, é Cave Geisse. Situada no sul de Bento Gonçalves, seus vinhedos encontram-se em altitudes muito elevadas, onde as colinas são uma reminiscência da Toscana, mas com muito mais frio. Tando o Brut, como o Natural e o Rosé da Cave Geisse pontuariam na casa dos 90 no cartão de pontuação de qualquer crítico.

O Brasil é prova de que a América do Sul é um continente passando por mudanças substanciais, mas há mais. O Chile é tradicionalmente considerado machista, mas como relata Michael Schachner em seu artigo sobre mulheres vitivinicultoras do Chile (página 60), durante a última década, as mulheres tomaram o centro do palco como influentes produtoras de vinho.

No entanto, outro país preso à tradição que está passando por rápidas mudanças é Portugal - mais especificamente o Douro. Enquanto as vendas de Vinho do Porto têm diminuído na última década - não devido a qualquer falta de qualidade, certamente, mas principalmente por uma mudança no estilo de vida e moda - os vitivinicultores do Douro tem redirecionado suas ótimas habilidades para elaboração de vinhos de mesa. Na história que começa na página 76, o Editor europeu Roger Voss desenterra preciosidades para você comprar hoje.

O mundo do vinho está cheio de surpresas e prazeres inesperados no copo. Por exemplo, os apreciadores de vinho com certo nível de experiência que pensam que conhecem Pinot Grigio podem se surpreender com o relatório global sobre o Pinot Grigio / Pinot Gris, que começa na página 67. Há alguns vinhos notáveis, elegantes e distintos sendo produzido. É um guia excelente para um vinho que as pessoas clamam.

E se você está procurando por preciosidades vinícolas de qualidade e com bom preço, tenho certeza que a história da capa já chamou sua atenção. Uma de nossas características mais populares todos os anos é nossa seleção dos Top 100 Best Buys (página 42) - vinhos que têm alta qualidade em relação ao seu preço. Você vai encontrar uma grande variedade de vinhos que obtiveram 90 pontos ou mais, cujo preço de varejo é de $15 ou menos. É o artigo certo para levar com você quando fizer o estoque de vinhos para a diversão durante suas férias.

Nos próximos anos, esperamos que os vinhos do Brasil assuma seu lugar entre muitos outros em tais listas, incluindo as nossa listas Cellar Selections e Enthusiast 100 que vão aparecer nas próximas edições. Nosso editor que cobre a América do Sul, Michael Schachner, apresentará reportagens sobre o Brasil e comentará sobre seus vinhos em futuras edições. Estamos felizes em chamar sua atenção para as surpresas, os valores e a qualidade.

Saúde!