segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Vinhos da Bodega Barberis são apresentados pela Dom Vinho

Este foi o segundo jantar harmonizado realizado semana passada no Recife pela distribuidora Dom Vinho junto com a importadora Bodegas – Selecionadores de Vinhos. O evento aconteceu no agradável restaurante Ponte Nova, onde os participantes puderam provar vinhos da Bodega Barberis, junto com um menu preparado especialmente para aquela noite.

A apresentação foi novamente conduzida por Gérman Garfinkel, da importadora Bodegas. Ele explicou que a Bodega Barberis pertence a uma família de origem italiana estabelecida há 50 anos na Argentina. Atualmente, cerca de 93% da sua produção é exportada, sendo o Brasil um dos principais países consumidores.

Para a entrada, foi servido um crostini gratinado com rotoloni de berinjela, harmonizado com o agradável espumante nacional Fausto Brut, da Pizzato, já comentado aqui no blog.

Logo após, saiu um filé de saramunete empanado sobre mix de folhas e frutas ao vinagrete de manjericão (foto). Nesta entrada, o chef Joca Pontes deu um ar mais elegante ao saramunete, peixe utilizado normalmente como tira-gosto de beira de praia. E a ideia foi boa, principalmente pela harmonização com o vinho escolhido, simples e correto:

Cava Negra Chardonnay - 2009

Produzido com 100% de uvas da variedade Chardonnay plantadas em Vistalba, este também é um vinho de bom custo-benefício da linha (o blog também já avaliou o Cava Negra Malbec). Custa na faixa de R$ 22.

A bebida tem cor amarelo palha e aromas de frutas cítricas e tropicais, com destaque para o abacaxi. Na boca, apresenta leveza e frescor, junto com um agradável frutado. Tem 13,5% de álcool.

É um vinho bom para a beira de piscina, servido bem geladinho e acompanhando frutos do mar.

Classificação: Bom custo-benefício.

O próximo vinho servido veio acompanhando um filé mignon em aroma de ervas tostadas sobre mix de cogumelos refogados com acelga e pimenta dedo-de-moça, molho de assado perfumado com pitanga.

Logo de cara, a combinação parecia não combinar devido à variedade de ingredientes do prato, inclusive a pimenta, que poderia confundir o paladar. Mas o vinho a seguir cumpriu bem o papel e o casamento acabou dando certo.


Finca La Daniela Malbec - 2008


Segundo Gérman, apenas uma pequena porcentagem deste vinho passou por madeira de 2º e 3º uso. È feito 100% com uvas Malbec de Luján de Cuyo.

A bebida tem cor rubi escura e os seus aromas trazem frutas bem maduras, leve chocolate e especiarias.

É um vinho fácil de tomar. Seus taninos são macios e a percepção da boca é muito parecida com a do nariz. A graduação alcoólica é de 13,5%.

Classificação: Muito Bom

Mas a melhor harmonização da noite ainda estava por vir. E ela chegou com um cordeiro prensado/grelhado ao molho de cerveja preta, que de tão macio se derretia na boca, acompanhado de arroz jasmine com jerimum, queijo Brie e couve frita.

O responsável pela combinação perfeita foi o vinho a seguir.

Familia Barberis Cabernet Sauvignon - 2006


Este vinho de cor rubi intensa estagiou parcialmente (30%) em madeira por nove meses. Assim como o anterior, também apresenta aromas de frutas vermelhas maduras, especiarias, baunilha e chocolate.

À boca é redondo e envolvente, com taninos bem trabalhados e boa persistência.

Suas uvas, da variedade Cabernet Sauvignon, vêm de Luján de Cuyo. O teor alcoólico do vinho é de 13,5%.

Classificação: Muito Bom/Excelente.

A deliciosa noite encerrou com um sorvete de coco com calda de cassis e praliné de castanha de caju e casquinha de tapioca crocante. Para bebericar, um Pasus Semidulce Rioja, também já comentado aqui no blog.

1 comentário

Paulo Tamburro disse...

OLÁ FABIANA!

FINÍSSIMO BOM GOSTO, POIS AQUI NO RIO DE JANEIRO ESTA UMA CHUVINHA GOSTOSA E UM BOM VINHO TEM TUDO A VER.

FALA SÉRIO! RS

UM CONVITE:

VISITE MEU BLOG DE HUMOR:"HUMOR EM TEXTO.

A CRÔNICA DA SEMANA É:

"O CARDÍACO".

EIS UM TRECHO:

"Certas pessoas carregam consigo o eterno e sombrio medo de uma doença.

São os hipocondríacos que podem ser polivalentes,quando acreditam terem dezenas de doenças simultâneas e tomam muitos e variados remédios indiscriminadamente, sem a menor preocupação de se intoxicarem.

Porém existe aquele que elege uma doença, e com ela convive o resto da vida.

O Adamastor é um caso típico."

CASO TENHA GOSTADO ATÉ AQUI, VÁ ATÉ LÁ E CONHEÇA MEU BLOG.

COMBINADO?

UM ABRAÇÃO CARIOCA!!!