quinta-feira, 5 de maio de 2011

Aventuras enogastronômicas no Chile e Argentina (Mendoza) - Parte 3


Quem for ao Vale de Casablanca, distante 75 km de Santiago, tem muita coisa legal para ver em termos de vinicultura. É considerado atualmente o melhor local para a produção de vinhos brancos do Chile, principalmente das uvas Sauvignon Blanc, Chardonnay, Viognier e Gewürztraminer. Mas os produtores também vêm apostando no plantio das tintas Pinot Noir e Syrah.

Por estar próxima ao Oceano Pacífico e mais distante das cordilheiras, a região é bastante fria durante as manhãs, onde não são raros nevoeiros. A amplitude térmica é de até 19º entre o dia e a noite, permitindo maturação mais lenta das uvas.

No local estão renomadas vinícolas como Casa Lapostolle, Viñamar, Casas Del Bosque, Indómita, Morandé, Quintay e Veramonte. Algumas empresas, como a gigante Concha y Toro, mantêm apenas vinhedos no local, principalmente de uvas brancas.

Um dos produtores imperdíveis de se conhecer no Vale de Casablanca é a Emiliana, que produz vinhos orgânicos e biodinâmicos, além de azeites feitos com a mesma filosofia.

Nas plantações pode se ver galinhas, gansos e até lhamas passeando livremente. Esses animais são formas naturais de se combater pragas nos vinhedos, uma vez que o uso de agrotóxicos é terminantemente vetado.

Degustações podem ser feitas em um salão dentro da loja ou em agradável terraço com vista para os bem cuidados jardins da vinícola. A degustação Premium (com quatro rótulos) custa apenas R$ 24 por pessoa. Ainda há possibilidade de tour Premium (R$ 36), que é feito através de marcação de horário; tour de queijos e vinhos (R$ 44); tour de chocolates e vinhos (R$ 44) e degustação às cegas (R$ 38).

Confira as avaliações dos vinhos degustados no Vale de Casablanca nos próximos posts.

Mais informações sobre o Vale de Casablanca: www.casablancavalley.cl