quarta-feira, 15 de junho de 2011

Aventuras enogastronômicas no Chile e Argentina (Mendoza) - Parte 9

BODEGA NORTON - A história desta bodega, que foi a primeira fundada ao sul de Mendoza, na Argentina, começou em 1895, quando o engenheiro inglês Edmund James Palmer Norton conheceu aquele solo, durante a construção da estrada de ferro que ligaria Mendoza ao Chile. Trouxe mudas importadas da França e deu início à produção de vinhos.
Em 1989, o empresário austríaco Gernot Langes-Swarovski comprou a bodega. Já em 1991, o enólogo Michael Halstrick iniciou uma nova etapa, preparando a empresa para uma expansão internacional. Foi nesta época que a Norton começou a exportar vinhos finos e receber os primeiros prêmios e menções de qualidade.
Em 2004, Michael Halstrick ganhou o prêmio de melhor enólogo do ano e a Bodega Norton entrou na lista das 100 empresas mais admiradas da Argentina, divulgada pelos jornais La Nación e Clarín das. Em 2006, a revista Wine Spectator declara a vinícola uma das 20 melhores do mundo
Entre as variedades de maior destaque produzidas pela Norton estão a tinta Malbec e a branca Torrontés. Eles aplicam o conceito de viticultura de precisão, utilizando, inclusive, imagens de satélite para analisar a realidade e o potencial de cada vinhedo. Suas videiras têm vida útil de 80 a 100 anos. As mais antigas dão origem aos vinhos de alta gama.
A Bodega conta com mais de 4 mil barricas de carvalho francês e americano. Atualmente, os vinhos da Norton chegam a mais de 60 países. As caves subterrâneas abrigam 500 mil garrafas, que descansam numa temperatura entre 10ºC e 15ºC. Uma cave histórica guarda vinhos de safras antigas, desde 1935. O local preserva bem a história da vinícola, com equipamentos, rolhas e garrafas antigos.
É um local muito agradável de se visitar. As caves têm verdadeiros recantos para degustação, em meio aos vinhos. A arquitetura lembra uma série artérias ou labrintos que dão no coração da vinícola. Mas é um coração mesmo, enorme, colorido e iluminado, no meio do ambiente sombrio da adega.
LA VID
– Uma das melhores partes da visita à Bodega Norton foi ter o prazer de almoçar no restaurante da casa: o La Vid. Trata-se de um agradável bistrô com apenas sete mesas ,onde a culinária é uma verdadeira obra de arte. Desde a entrada até a sobremesa percebe-se a perfeição do preparo dos pratos, nos mínimos detalhes. Sem dúvida, um dos melhores restaurantes que já conheci.
Para entrada, experimente a tablita de frios. Para o prato principal, o Ojo de Bife, uma carne pra lá de saborosa. Os vinhos da carta, é claro, são todos da Norton. Conheça a série Elegido, que só vende na própria vinícola. Lá, provei o rótulo vermelho (mais básico), que está entre regular e bom. Mas já tive a oportunidade de degustar também o azul (intermediário), que é muito bom. Trouxe para casa o rótulo preto (top), que espero que seja melhor ainda.
Confira nos próximos posts as impressões sobre os vinhos degustados na Norton.