quarta-feira, 8 de junho de 2011

Os vinhos da Bodegas Muga

Fotos: Gleyson Ramos
A Licínio Dias - LD Importação trouxe esta semana ao Recife Juan Muga, enólogo e proprietário da Bodegas Muga, tradicional vinícola espanhola da região da Rioja. Ele conduziu uma degustação de sete rótulos da marca, num evento informal na Casa dos Frios, nas Graças.

A família Muga está no mundo do vinho há cerca de 120 anos. Porém, a empresa propriamente dita foi fundada em 1932 pelo avô de Juan, o Sr. Isaac Muga Martínez. Depois de mais de 35 anos elaborando vinhos jovens, em 1968 a vinícola fez o seu primeiro vinho amadurecido em barrica de madeira. Hoje, a empresa é conhecida por não utilizar aço inoxidável na produção dos vinhos, apenas carvalho. Inclusive, os barris utilizados na Muga são fabricados em uma tanoaria própria.

A vinícola possui 200 hectares de vinhedos próprios na Rioja Alta, onde produz variedades como Tempranillo, Garnacha, Mazuelo e Graciano (tintas) e Viura e Malvasia (brancas).

Durante o amadurecimento nos barris, que pode durar de 24 a 26 meses, dependendo do vinho, a cada quatro meses é feita a trasfega por gravidade, que consiste em passar o vinho de um barril para outro com objetivo de eliminar impurezas e oxigenar a bebida, sem o auxílio de bombas mecânicas.

Outra tradição da empresa é a clarificação pelo método tradicional, onde se acrescenta clara de ovos para “arrastar” as impurezas e suavizar os taninos da bebida antes de ser engarrafada. Os vinhos descansam de nove a 36 meses em garrafa antes de sair para o mercado.

Embora costume seguir a mesma filosofia das antigas gerações, a vinícola está “antenada” nas novas tendências. Segundo Juan Muga, os seus vinhos agora têm mais cor e fruta fresca, além de se usar barricas mais novas na produção.

Confira nos próximos posts os comentários sobre os vinhos degustados.