quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Cavas faz mais um encontro regado com vinhos da Casa Valduga

A Confraria Amigos do Vinho Vale São Francisco (Cavas) realizou o seu 27º encontro valorizando mais uma vez os vinhos nacionais. Desta vez, os confrades reuniram-se no Antenor Ristorante, no Pina (Recife), com a presença de João Valduga, um dos proprietários da Casa Valduga.

Além de bons vinhos, ele trouxe interessantes comentários sobre a empresa, processo de produção e outras curiosidades. Para se ter ideia, a Casa Valduga tem um faturamento de R$ 60 milhões por ano. Possui 156 hectares de vinhedos próprios, que produzem de 3 a 4 toneladas de uva, cada um. Em média, são processados 1,5 milhão de quilos de uva por ano. [Para saber mais sobre a Casa Valduga, confira aqui post anterior do Escrivinhos].

Apesar do dia, uma terça-feira, os confrades compareceram para prestigiar o evento, que teve as presenças especiais do especialista Ivan Miranda e do padre Cláudio Jacinto, capelão da Marinha, da repórter de gastronomia Mariana Lôbo, além dos representantes da Empório Recife – distribuidor local dos vinhos da Casa Valduga. Na cozinha, Antenor Silveira comandou as panelas, elaborando um menu de primeira.

Para abrir a degustação foram servidos os espumantes Amante Rosé Brut Malbec 2009, o impecável 130 Brut e o Prosecco 2008.

De entrada, Antenor preparou um Pannino (pão italiano recheado com camarão flambado com conhaque em molho roseado e queijo emmentha, gratinado ao forno). A harmonização escolhida foi o Casa Valduga Gran Reserva Chardonnay 2010.

Casa Valduga Gran Reserva Chardonnay 2010






[Branco feito com a uva Chardonnay. Maturou seis meses em barris de carvalho romeno, ganhando no paladar um leve tostado proveniente da madeira. Sua cor é dourada e os aromas remetem a abacaxi, mel e frutas tropicais. Untuoso e com boa acidez, é um vinho gastronômico].

Já para o prato principal, foi servido um suculento filé alto grelhado ao molho três castas trufado e champignons de Paris frescos, puxados na manteiga, acompanhado da inconfundível massa caseira. Um vinho à altura acompanhou o prato: o Villa Lobos Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2006.

Villa Lobos Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2006





[Marcado pela complexidade aromática, este tinto apresenta frutas maduras, menta, café, baunilha, chocolate e leve herbáceo. Na boca, taninos de boa qualidade indicam seu potencial de guarda. Estagiou um ano em carvalho francês. Parte do dinheiro arrecadado com sua venda é doado para a Associação de Músicos do Rio de Janeiro].

De sobremesa, um TarteauxPomme (massa folhada recheada com creme de maçã acompanhada de sorvete de creme e praliné de amêndoas. Fechando a harmonização com chave de ouro, o Casa Valduga Espumante Premium Moscatel 2011.

Casa Valduga Espumante Premium Moscatel 2011






[Elaborado com a uva Moscato, tem doçura equilibrada com a boa acidez. Na taça, bolhas finas e persistentes surgem junto com um visual amarelo palha. Maçã verde e guaraná são os aromas mais evidentes. Leve, é uma boa opção para acompanhar sorvetes e saladas de frutas].

Ao final do evento, houve o sorteio de uma garrafa  do espumante vintage Maria Valduga Brut.

Como de costume, Ricardo e Gustavo Lustosa deram um show na organização do evento. Parabéns a eles e a todos os participantes.

Até a próxima!