segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Las Perdices e Família Barberis: atrações em degustação no Recife

Conforme já havia anunciado aqui no blog, a distribuidora pernambucana Dom Vinho e a importadora Bodegas promoveram semana passada, no Recife, dois jantares harmonizados. Fui conferir o do restaurante Ponte Nova, na última segunda-feira, que contou com bons vinhos dos produtores argentinos Las Perdices e Família Barberis.

A degustação foi conduzida por Gérman Garfinkel (Bodegas) e Célio Vasconcelos (Dom Vinho), com comentários do sommelier Ângelo Miranda, do professor Ivan Miranda, e algumas palavras minhas sobre o vinho que fechou a degustação.

Foram seis vinhos provados (um espumante, um branco, três tintos e um late harvest), intercalados com a excelente culinária do chef Joca Pontes.

A seguir, minhas impressões sobre os melhores da noite:

Las Perdices Torrontés - 2010

Produtor: Viña Las Perdices
Origem: Luján de Cuyo, Mendoza, Argentina.
Visual: Cor amarelo claro com tons esverdeados.
Olfato: Notas florais e cítricas, estas últimas puxando para limão siciliano.
Paladar: Boa acidez, refrescante. Repete as impressões do nariz, deixando um longo final cítrico.
Outras considerações: Elaborado em Mendoza, com 100% de uva Torrontés plantadas em Mendoza. Essas videiras receberam enxerto de clones vindos da região de Cafayate.

Classificação: Bom

A harmonização foi um desafio: “A Massa especial com camarõezinhos” – uma massa italiana com camarõezinhos salteados na manteiga de alho, envoltos num molho de tomate minuto, servido sobre raspas super finas de gran formaggio derretido e finalizado com folhas de manjericão miúdo. A acidez do vinho “enfrentou” o molho de tomate e terminou fazendo um bom casamento entre os dois.

Família Barberis Cabernet Sauvignon - 2008

Produtor: Bodega Barberis.
Origem: Mendoza, Argentina.
Visual: Cor rubi com nuances granada.
Olfato: Compota de frutas vermelhas pimenta, leve mentolado.
Paladar: Taninos pulsantes, bem vivos. Final longo e madeira integrada ao conjunto.
Outras considerações: Elaborado com uvas Malbec de dois diferentes terroirs de Mendoza: Luján de Cuyo e Vistalba. Teve estágio parcial (30%) por 12 meses em barricas de carvalho francês e americano.

Classificação: Bom/Muito Bom.

Humberto Barberis Gran Reserva Malbec – 2006

Produtor: Bodega Barberis.
Origem: Mendoza, Argentina.
Visual: Rubi bem escuro.
Olfato: Bastante fruta vermelha, leve eucalipto, toques de pimenta.
Paladar: Um vinho elegante, com corpo e maciez. Além do frutado, Traz notas de tabaco, integradas com um sutil toque de madeira.
Outras considerações: Seu estágio em carvalho foi de 12 meses. Elaborado 100% com uvas Malbec de Luján de Cuyo.

Classificação: Excelente.

Las Perdices Viognier Late Harvest – 2009

Produtor: Viña Las Perdices.
Origem: Mendoza, Argentina.
Visual: Amarelo dourado.
Olfato: Notas florais, de mel e de pêssego.
Paladar: Ressalta o frutado, tendo como fundo uma boa acidez, que não faz o vinho ser enjoativo.
Outras considerações: Sua fermentação é interrompida com baixas temperaturas, deixando uma importante quantidade de açúcar residual (90 gr/L). A graduação alcoólica é de 13%. Foi elaborado apenas com uvas Viognier.

Classificação: Muito Bom.

O último vinho combinou bem com a sobremesa, que foi “A goiabada chique” (bolo de rolo com compota de goiaba e gengibre, queijo coalho queimado e castanha assada, sorvete de tapioca com flor de sal ao vinho doce). Por ser um vinho doce de boa acidez, os elementos salgados da sobremesa balancearam o sabor, não deixando a sobremesa esconder a doçura da bebida.