terça-feira, 11 de outubro de 2011

“Tamanho não é documento” – pequenas vinícolas, grandes vinhos do Brasil

Fotos: Daniela Villar

O segundo painel do Projeto Imagem, ação promovida mês passado pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), foi sobre as vinícolas brasileiras pequenas em tamanho, mas que estão produzindo vinhos de qualidade. O encontro aconteceu na bela vinícola Almaúnica, no Vale dos Vinhedos, e reuniu produtores das empresas Sozo, Antônio Dias, Don Bonifácio, Aracuri, Pizzato e Calza, além da própria anfitriã.

SOZO - A primeira a apresentar-se foi a Sozo, comandada por José Sozo. A vinícola fica em Campos de Cima da Serra, região com altitude que varia entre 800 a 1.400 metros. Numa área de apenas dez hectares, eles produzem variedades como Cabernet Sauvignon, Merlot, Petit Verdot, Pinot Noir, Chardonnay e Sauvignon Blanc. Elaboram varietais e um espumante brut elaborado através do método tradicional. Destaque para o Sozo Sauvignon Blanc 2009, que comento nas próximas postagens.

QUINTA DON BONIFÁCIO – Marina Libardi, diretora comercial, falou sobre a empresa - única que produz vinhos finos em Caxias do Sul. Com apenas dois anos e meio de vida, a Quinta Don Bonifácio tem produção atual de 80 mil litros de vinhos por ano, elaborados com uvas de vinhedos próprios. A vinícola, que ainda está tendo o seu prédio construído, comercializa três linha de varietais (uma delas Reserva), outra de espumantes, suco de uva, vinho suave e bag in box. Destaques: Habitat Champenoise e Quinta Don Bonifácio Rosé Brut, que serão comentados posteriormente.

ALMAÚNICA – Fundada em 2008 a vinícola foi criada pelos irmãos gêmeos Magda e Márcio Brandelli, filhos de Laurindo Brandelli, proprietário da Don Laurindo. A sua filosofia é “elaborar vinhos com alma, onde cada garrafa é única”, daí o nome Almaúnica. Produzem 73 mil garrafas de vinho tinto e 19 mil de espumantes, numa estrutura moderna encravada no Vale dos Vinhedos, onde possuem cinco parcelas de terra e plantam 6,5 mil pés por hectare. São elaborados tintos Reserva, espumantes e suco de uva. Super destaque para o Reserva Almaúnica Syrah 2010, que ainda será comentado no blog.

ANTÔNIO DIAS – Quem apresentou a empresa foi o proprietário Vilnei Mendes, explicando que a vinícola Antônio Dias está localizada em um novo terroir, na cidade de Três Palmeiras, na região do Alto Uruguai, Rio Grande do Sul. Voltada à produção de vinhos de boutique, conta com cinco hectares de vinhedos, onde são plantadas as variedades Cabernet Sauvignon, Merlot, Tannat, Chardonnay, Acelota, Pinot Noir e Touriga Nacional, tudo com produção limitada por planta. Também está equipada para elaboração de grappa. Destaques: os rótulos Antônio Dias Cabernet Sauvignon 2008 e Antônio Dias Tannat 2008, que ainda serão devidamente comentados.

ARACURI – Instalada em Campos de Cima da Serra, a vinícola, apresentada pelo enólogo Cristiano Zorzan, foi fundada em 2005. Localizada numa altitude de 960 metros onde são cultivados dez hectares próprios de uvas Cabernet Sauvignon, Merlot e Sauvignon Blanc, teve sua primeira safra em 2007. O nome da vinícola significa “pássaro de árvore alta”, na linguagem indígena. Tem em seu catálogo cinco rótulos, com grande destaque para o Aracuri Collector Cabernet Sauvignon 2008. Também vale a pena lembrar o Aracuri Cabernet Sauvignon | Merlot 2009. Ambos serão comentados a seguir aqui no blog.

CALZA – Antoninho Calza, enólogo e diretor, apresentou a sua vinícola, localizada em Monte Belo do Sul, região que fica a 15 km do centro de Bento Gonçalves. As uvas utilizadas na produção dos vinhos finos e espumantes vêm 70% de vinhedos próprios e 30% de parceiros. A Calza conta com área construída de três mil metros quadrados e tem capacidade para elaborar 680 mil litros de vinho por ano. Utiliza as variedades Cabernet Sauvignon, Merlot, Riesling, Tannat, Ancellota e Sangiovese. Os destaques provados: o excelente Calza Tannat 2008 e o Calza Ouro Negro Merlot 2005.

PIZZATO – Já havia falado mais detalhadamente aqui sobre a Pizzato após um encontro que participei com Jane Pizzato, diretora comercial da empresa. Desta vez, a apresentação ficou por conta do enólogo Flávio Pizzato, que defendeu o consumo de espumantes, brancos e rosés no Brasil, mas também apresentou ótimos tintos produzidos por sua vinícola, como o Concentus 2006 e o DNA 99 Merlot 2005, sobre os quais falarei nos posts seguintes. Possuem 42 hectares de vinhedos na localidade de Dr. Fausto de Castro e 26 hectares no Vale dos Vinhedos. No ano passado, a produção foi de 120 mil garrafas, entre tintos, brancos, espumantes e rosés.