quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Jornalista portuguesa se diz espantada com preços dos vinhos no Brasil

A jornalista portuguesa especializada em vinhos Maria João de Almeida esteve recentemente no Brasil e escreveu em seu site um artigo onde se mostrou bem espantada com o aumento do preço dos vinhos e de outros produtos aqui no país.

No texto, ela elogia os vinhos da marca Rio Sol, produzidos no Vale do São Francisco, e diz que o Brasil está elaborando vinhos bem melhores do que há uma década – época em que fez algumas provas no Rio Grande do Sul e saiu de algumas “completamente aterrorizada”.

Confira abaixo o seu interessante relato:

O Brasil está caro (vinhos incluídos)!

Por: Maria João de Almeida

Já há dois anos que não ia ao Brasil, mas antes do Natal tive de ir a Salvador da Bahia onde aproveitei para estudar o preço dos vinhos em geral, nomeadamente, dos vinhos portugueses. Depois de falar com alguns chefes de cozinha, com donos de restaurantes, com algumas garrafeiras e até consumidores / apreciadores de vinhos, fiquei a saber que, embora os vinhos mais vendidos continuem a ser os do Novo Mundo (principalmente Argentina e Chile), aumentou muitíssimo o consumo de vinhos de outras paragens, incluindo os vinhos portugueses, e até brasileiros.

Há menos de uma década visitei várias adegas no Rio Grande do Sul, região onde estão localizados alguns dos principais produtores brasileiros, e lembro-me de ter feito várias provas de vinho e de ter saído completamente aterrorizada de algumas delas… o vinho era mesmo muito mau! Hoje, anos passados, os brasileiros bem podem orgulhar-se de estar a produzir vinhos melhores do que naquela época, principalmente no que diz respeito a espumantes. No interior do nordeste, paralelo 8 (onde nada existia que eu me recorde) a portuguesa Dão Sul / Global Wines decidiu investir na produção de vinho junto ao rio de São Francisco/Vale de São Francisco, e também não se saiu nada mal, com bons resultados da crítica para a marca Rio Sol.

Nos vinhos portugueses, fiquei estupefacta com a variedade que já lá existe mas, acima de tudo, com os preços. Já se sabe que a prosperidade económica no Brasil fez os preços subir altíssimo, que as lojas e restaurantes exageraram no aumento dos preços e que as taxas alfandegárias são altas. Mas, um Casal Garcia, vinho leve e fresco, a 44 reais? (cerca de 18€). Ou um Duas Quintas tinto, colheita normal, a 70 reais? (cerca de 30€). Os vinhos da Adega de Santa Vitória (Grupo Vila Galé) lideram o «ranking» dos vinhos portugueses, mas também a preços mais exorbitantes que outros.

Houve quem já me alertasse para o facto de Salvador ser um local muito turístico e por isso ter preços altos mas, mesmo assim, nos espaços que visitei, os vinhos estavam muito caros. Também as refeições nos restaurantes estão pela hora da morte (50€ por pessoa, sem vinho) e a roupa (recordo-me de comprar biquínis, t-shirts e havaianas por uma bagatela) joga pela mesma bitola. Nos transportes, chegaram a querer vender-me uma viagem de 1Km de bicicleta na Praia do Forte (uma espécie de mini carroça que transporta turistas) por 40 reais (17€) - 20 reais para o destino e outros 20 de regresso)!

Não sei se o aumento do nível de vida no Brasil será bom para os vinhos portugueses porque o que é caro, até para os mais ricos, pode travar a compra em vinhos que valem menos do que custam. Até agora a coisa está a correr bem… a ver vamos o que o futuro reserva!

2 comentários

Ewertom Cordeiro disse...

E olhe que os vinhos portugueses não estão entre os mais caros.

Podemos tomar um português de qualidade por R$ 40, mas dificilmente conseguiremos este preço em um nacional com qualidade semelhante, isso apenas para exemplificar.

É realmente assustador como os preços nos estão sendo impostos garganta a dentro...

Abraços, Ewertom
[Vinhos de Minha Vida]

João Henrique disse...

Penso que uma das poucas estrategias que temos para tentar reverter o quadro em questao seria boicotar as empresas, importadoras e lojas, que estao praticando aumentos e preços abusivos. Uma das principais importadoras do mercado hoje, por exemplo, tem praticado aumentos, de 2011 para 2012, que variam de 15% a 20%. O que justifica este aumento?? Vejam o exemplo da industria automobilistica e a fala de um grande executivo da área: o carro no Brasil é caro porque o brasileiro paga... Ta na hora de deixarmos de ser tontos!