domingo, 15 de abril de 2012

O blog conferiu: degustação Emilio Moro - tradição e modernidade

Por: Bárbara Lima
Fotos: Juanpa Ausín

A tradição de três gerações da Bodegas Emilo Moro e a modernidade da caçula Cepa 21. Esses são os dois trunfos da família Moro, dona de cerca de 260 hectares de vinhedos na região de Ribera del Duero, na Espanha. O gerente de exportação das vinícolas, Nacho Andrés (à direita), esteve no Recife na última quarta-feira, a convite do importador Licínio Dias (à esquerda).

Ele comandou uma degustação no restaurante Ferreiro Premium, onde apresentou cinco dos rótulos das duas bodegas. Os vinhos foram harmonizados com criações dos chefs Duca Lapenda, do Pomodoro Café e Biba Fernandes, do Chiwake.

Antes de falar dos rótulos da degustação, é importante contar um pouco sobre essas duas vinícolas. A Emilio Moro produz anualmente cerca de um milhão de garrafas e cada vinho tem seu nome, personalidade e identidade. Os termos Crianza, Reserva e Gran Reserva foram suprimidos de seus rótulos.

Como já foi citado, a história da Emilio Moro já contempla três gerações e essa tradição pode ser percebida na elaboração de seus vinhos e, inclusive, na arquitetura clássica da vinícola. Já a Cepa 21 nasceu da paixão da família Moro em elaborar um vinho diferente terroir em Ribeira Del Duero. Segundo Andrés, trata-se de um claro exemplo da revolução vinícola que está acontecendo na Espanha.

Os solos das vinhas da Cepa 21 são argilosos e a temperatura média é inferior a do ambiente da Bodegas Emilo Moro. Essas características fazem com que os vinhos tenham um odor intenso de frutas vermelhas, menos tonicidade e uma acidez mais acentuada.

Vinhos degustados:

Finca Resalso - 2009 

Origem: Ribeira Del Duero
Notas de prova: Cor rubi com reflexos violáceos. Os aromas frutados se manifestam de forma potente e concentrada, entrelaçada com toques balsâmicos. Baunilha aparece com bastante sutileza. Na boca é amável e expressivo, com taninos maduros e de personalidade, final longo. Ideal para acompanhar carnes vermelhas, massas recheadas, queijos fortes, presuntos defumados.

Faixa de preço: R$ 47,40



Cepa 21 - 2006 

Origem: Ribeira Del Duero
Notas de prova: Violáceo, brilhante. Profundo e persistente, com notas de frutas vermelhas potencializadas. A presença de madeira é muito nobre e elegante. No paladar é robusto com um presença tânica muito apetitosa e de grande qualidade. Ideal para acompanhar risotos, massas com molhos bem estruturados, queijos e embutidos.

Faixa de preço: R$ 89,90



Hito 2008 

Origem: Ribeira Del Duero
Notas de prova: Cor rubi reflexos violáceos. No nariz é muito complexo. Aparecem notas de frutas vermelhas como framboesa, morango, mirtilo e amoras. Elegantes notas de carvalho de tostado sutil, carnudo, taninos doces que lhe aportam volume, seu retrogosto é elegante. Acompanha bem carnes vermelhas, risotos, massas, queijos e embutidos.

Faixa de preço: R$ 62,60



Emilio Moro - 2006 

Origem: Ribeira Del Duero
Notas de prova: Rubi com reflexos violáceos. Os aromas frutados se manifestam de forma potente e concentrada, perfeitamente entrelaçada com toques balsâmicos. Baunilha aparece com bastante sutileza. Paladar é amável e expressivo, com taninos maduros e de personalidade, final longo. Companheiro ideal de carnes vermelhas, massas recheadas, queijos fortes, presuntos defumados.

Faixa de preço: R$ 85,50

Malleolus 2006 

Origem: Ribeira Del Duero
Notas de prova: Cor púrpura com reflexos violáceos. Surpreendente potencia olfativa, complexo, especiarias como canela, cravo e pimenta negra exalam espontaneamente. Surgindo logo após notas frutadas como amora e framboesa, com um fundo de madeira nobre. No paladar conjuga perfeitamente a melosidade do tanino maduro com a estrutura do vinho. Amplo e potente, com um retrogosto saboroso recordando a todo momento a uva e a terra. Ideal para acompanhar queijos maturado de massa cozida no geral, pratos de textura rica e aromas complexos e intensos, pato, risoto de funghi seco.

Faixa de preço: R$ 230,00