quarta-feira, 6 de junho de 2012

O blog participou: avaliação de vinhos do Vale do São Francisco

Fui convidada, recentemente, pelo caderno Gastrô, do Diario de Pernambuco, para participar de uma avaliação de vinhos tintos e espumantes moscatel do Vale do São Francisco (Pernambuco e Bahia). A prova “Vinhos do Sertão” aconteceu no restaurante ‘O Pátio Café e Cozinha’, no Recife, onde 12 amostras foram degustadas às cegas por um grupo de sommeliers e enófilos.

Entre os oito tintos, a prova teve três rótulos diferenciados do restante em termos de qualidade, sendo o primeiro deles, sem dúvida, de categoria bem superior. O que pude perceber é que os tintos desta região estão menos tânicos e rústicos. O Testardi Syrah (Miolo Wine Group), vencedor da prova (e o melhor tinto nacional este ano na Expovinis), é um vinho realmente diferenciado, inclusive com potencial de envelhecimento.

Já os quatro espumantes moscatel se mantiveram num nível mais desequilibrado, com duas amostras prejudicadas, talvez pela má conservação. Um dos rótulos, na minha opinião, se destacou em relação aos restantes: o Rio Sol Moscatel (ViniBrasil).

O RANKING:

TINTOS 

1º lugar: Testardi Syrah 2010

Produzido pelo Miolo Wine Group com a uva Syrah, é um vinho equilibrado e elegante, com potencial de guarda. Cor rubi violáceo brilhante. Ameixa, especiarias e um toque defumado estão presentes no aroma. O paladar é volumoso, com boa acidez e sabores de fruta madura, café, chocolate e defumado. Estagiou 12 meses em barris de carvalho.

Classificação: Excelente.

2º lugar: Paralelo 8 Premium 2007

O rótulo top da vinícola Rio Sol (ViniBrasil) mescla as uvas Aragonez, Alicante Bouschet, Touriga Nacional, Syrah e Cabernet Sauvignon, com amadurecimento de oito meses em carvalho francês. Frutas vermelhas maduras, mentol e notas tostadas aparecem no olfato. Na boca é carnudo, com taninos de boa qualidade e final marcado por um gostinho de café.

Classificação: Muito Bom/Excelente.

3º lugar: 1501 Reserva 2006

Cabernet Sauvignon é a única uva usada na produção deste rótulo Premium da Botticelli. Ao contrário dos dois primeiros vinhos, ele não tem passagem por madeira, mas mesmo assim mostrou-se equilibrado. Frutas negras, pimentão e café compõem as impressões do olfato. Taninos e acidez estão presentes no paladar, porém sem exageros. Café e frutas negras são novamente sentidas na boca. Tem corpo leve e média persistência.

Classificação: Bom/Muito Bom

4º lugar: Rendeiras Syrah 2007 (ViniBrasil) | Classificação: Bom

5º lugar: Rio Sol Cabernet Sauvignon Syrah 2010 (ViniBrasil) | Classificação: Bom ( Deve melhorar na garrafa)

6º lugar: Botticelli Equilibrium Ruby Cabernet Tanat 2006 (Botticelli) | Classificação: Razoável (Taninos muito verdes)

7º lugar: Botticelli Colection Petit Syrah (Botticelli) | Classificação: Razoável (Amargor final e herbáceo)

8º lugar: Bianchetti Cabernet Sauvignon Orgânico 2007 (Bianchetti) | Classificação: Fraco (Fruta passada, álcool aparente, alta adstringência).

ESPUMANTES 

1º lugar: Rio Sol Moscatel 

Produzido pela ViniBrasil, tem coloração amarelo esverdeada e discreto perlage. Porém, em boca, mostra boa cremosidade. No olfato apresenta notas florais e de frutas brancas, como lichia. O paladar tem doçura equilibrada, frescor e boa acidez. O sabor traz recordações de tutti-frutti.

Classificação: Bom

 2º lugar: Terranova Moscatel

Feito pelas mãos da Miolo, apresenta cor amarelo palha com tons esverdeados, bolhas finas em média quantidade. Notas florais e de maçã verde predominam no aroma. Na boca é bem doce, porém não enjoativo devido à boa acidez. Final prolongado.

Classificação: Bom/Razoável

Empate no 3º e 4º lugares:

Bianchetti Moscatel (Bianchetti) | Classificação: Fraco (Açúcar residual em excesso, baixa acidez, fruta passada. Entrando em decadência.).

Botticelli Asti (Botticelli) | Classificação: Fraco (Açúcar residual em excesso. Enjoativo. Perlage escasso).