quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O blog conferiu: degustação da linha premium da Ventisquero


O diretor de vendas das linhas premium da chilena Viña Ventisquero, Hugo Salvestrini (foto), esteve no Recife a convite da importadora Cantu para mostrar os três vinhos mais especiais da marca: os tintos Herú, Vertice e Pangea.

Já havia tido a oportunidade de provar todos eles, mas de safras diferentes. E esses rótulos são a prova de que a jovem vinícola, com apenas dez anos de existência, tem maturidade suficiente para produzir grandes vinhos.

O Brasil é atualmente o 4° principal mercado da Viña Ventisquero no mundo (depois dos EUA, Canadá e China, respectivamente). Para cá, eles enviam anualmente cerca de 110 mil caixas de vinho anualmente. Em 2011, a empresa exportou para o mundo 23 mil caixas de vinhos de alta gama, ficando o Brasil com 3.500 delas (na frente da China, que comprou somente com 2 mil caixas). Isso significa que o mercado brasileiro aprecia e absorve os produtos de alta gama, por isso a atenção especial ao nosso mercado.

Para Hugo Salvestrini, quando degustamos um vinho premium, ele deve nos levar “a experimentar profundas sensações, tanto sensoriais como emocionais”. Quem representou a Cantu no evento foi a gerente regional Beatriz Maggioni (foto).

Confira então as minhas sensações sobre os vinhos provados:

Herú – 2009


Produtor: Viña Ventisquero.
Origem: Vale de Casablanca, Chile.
Visual: Rubi claro, com um pouco mais de tonalidade do que os vinhos feitos com a uva Pinot Noir normalmente apresentam. Lágrimas finas.
Olfato: Baunilha, frutas vermelhas frescas, notas tostadas e de especiarias.
Paladar: Voltam as frutas e aparecem toques de café, chocolate e fumo. Boa acidez. Corpo médio.
Outras considerações: Um vinho redondo e elegante, pronto para tomar. Elaborado apenas com a variedade Pinot Noir, com estágio de 14 meses em carvalho. Graduação alcoólica de 13,5%.

Classificação: Muito Bom/Excelente.
Faixa de preço: R$ 180 [Cantu – (81) 3455-3944]

Vertice - 2007

Produtor: Viña Ventisquero.
Origem: Vale de Apalta, Colchágua, Chile.
Visual: Cor rubi profundo com tons violeta. Alguns sedimentos.
Olfato: Noz moscada, fruta vermelha madura, baunilha.
Paladar: Carnudo, com muita fruta madura e algum chocolate. A madeira aparece, porém bem integrada. Taninos elegantes. Equilibrado e gastronômico.
Outras considerações: Elaborado com as uvas Carménere (51%) e Syrah (49%), é uma criação conjunta do enólogo chefe da Ventisquero, Felipe Tosso, junto com o renomado enólogo australiano, John Duval. Amadureceu 18 meses em carvalho francês. Tem teor alcoólico de 14,5%.

Classificação: Excelente.
Faixa de preço: R$ 140 [Cantu – (81) 3455-3944]

Pangea – 2007

Produtor: Viña Ventisquero.
Origem: Vale de Apalta, Colchágua, Chile.
Visual: Cor rubi escuro. Alguns sedimentos.
Olfato: Complexo, apresentou notas balsâmicas, fruta madura, chocolate, especiarias e mel de engenho.
Paladar: Encorpado, porém redondo. Predominam os sabores de fruta madura (ameixa), café e notas terrosas. Final longo e agradável.
Outras considerações: Top de linha da Ventisquero, o Pangea também foi criado pelas mãos de Felipe Tosso, enólogo chefe da Ventisquero, junto com talentoso enólogo australiano John Duval. Tem em sua composição apenas a uva Syrah, com 20 meses de estágio em carvalho francês e mais 12 meses em garrafa.  Possui 14,5% de álcool.

Classificação: Excelente.
Faixa de preço: R$ 220 [Cantu – (81) 3455-3944]

Pangea – 2005

Produtor: Viña Ventisquero.
Origem: Vale de Apalta, Colchágua, Chile.
Visual: Cor granada, reflexos violáceos. Alguns sedimentos.
Olfato: Fruta madura, terra molhada e chocolate.
Paladar: Taninos generosos, frutas vermelhas em compota, chocolate e couro. Final longo.
Outras considerações: Já havia provado este vinho no Chile, durante visita à Ventisquero. E ele continua me encantando. Elaborado com a uva Syrah, estagiou 20 meses em carvalho francês e mais 12 meses em garrafa.

Classificação: Excelente/Excepcional.
[desta safra, não existem mais garrafas disponíveis para venda no Recife]