sábado, 22 de setembro de 2012

“Menos é mais”: confira como foi degustação de vinhos brasileiros acessíveis


Esta semana, como já havia anunciado aqui no blog, aconteceu no Recife o Circuito Brasileiro de Degustação, evento promovido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e Sebrae.

Dentro da programação, aconteceu uma prova às cegas da qual tive o prazer de participar como degustadora comentarista.

O tema era bastante interessante: “Menos é mais”- vinhos brasileiros com boa relação entre qualidade e preço.

O painel foi conduzido pelo jornalista Irineu Guarnieri e contou com o auxílio do sommelier Arlindo Menoncin à frente dos serviços. Seis amostras tintas foram degustadas, todas num bom padrão de qualidade e com preço variando entre R$ 15 e R$ 20.

Algumas amostras já eram da safra de 2012, considerada excelente pela maioria dos produtores brasileiros. Confira, na opinião do blog, as colocações dos vinhos provados:










1º LUGAR:

Do Lugar Cabernet Franc – 2011

Produtor: Dal Pizzol.
Origem: Distrito de Faria Lemos, Serra Gaúcha, Brasil.
Visual: Rubi claro e brilhante.
Olfato: Frutas vermelhas silvestres, especiarias, café e leve herbáceo.
Paladar: Predomina o sabor de café. Tem corpo médio, boa acidez, taninos de qualidade e final prolongado.
Outras considerações: Elaborado com a variedade Cabernet Franc, maturou 12 meses em tanques de madeira. Jovem e gastronômico. Uma boa opção para acompanhar carnes grelhadas.

2º LUGAR:

Aurora Varietal Pinot Noir – 2012

Produtor: Cooperativa Vinícola Aurora.
Origem: Bento Gonçalves, Serra Gaúcha, Brasil.
Visual: Rubi claro e brilhante.
Olfato: predominam notas de morango e framboesa, aparecendo também um toque de café.
Paladar: Um vinho fresco, leve e com boa acidez, que repete na boca as sensações sentidas no olfato.
Outras considerações: Elaborado com a variedade Pinot Noir, o vinho teve breve passagem por madeira. Foi elaborado pelo processo de maceração carbônica.

3º LUGAR:

Rio Tinto Cabernet Sauvignon - 2007

Produtor: Sozo.
Origem: Campos de Cima da Serra, Serra Gaúcha, Brasil.
Visual: Cor granada.
Olfato: Fruta vermelha madura e mentol.
Paladar: Carnudo, com acidez interessante. Aparecem de novo as frutas maduras juntando-se a notas especiadas e de caramelo.
Outras considerações: Um vinho já com cinco anos de idade, mas ainda com bom potencial. Feito apenas com a uva Cabernet Sauvignon, sem passagem por madeira. Tem 12,5% de graduação alcoólica. Bastante gastronômico, deve acompanhar bem pratos com cordeiro.

4º LUGAR:

Salton Classic Cabernet Franc – 2012

Produtor: Salton.
Origem: Distrito de Tuiuty, Bento Gonçalves, Serra Gaúcha, Brasil.
Visual: Rubi vivo, brilhante.
Olfato: Frutas vermelhas silvestres, café e eucalipto.
Paladar: Traz de volta as sensações sentidas no nariz. Tem boa acidez e final persistente. Médio corpo.
Outras considerações: Elaborado apenas com uvas Cabernet Franc, teve leve passagem por barricas de 225 litros de carvalho meio tostado norte-americano. Sua graduação alcoólica é de 13%.

5º LUGAR:

Lovara Cabernet Sauvignon – 2012

Produtor: Miolo Wine Group.
Origem: Serra Gaúcha, Brasil.
Visual: Rubi claro, com tons violáceos. Brilhante.
Olfato: Pimentão, ameixa, mentol e especiarias.
Paladar: De corpo médio, porém potente. Ressalta notas de café e especiarias. Tem final prolongado.
Outras considerações: Produzido apenas com a variedade Cabernet Sauvignon, não teve passagem por madeira. Vai bem com carnes vermelhas assadas.

6º LUGAR:

Arbo Tannat – 2012

Produtor: Perini.
Origem: Vale Trentino, Serra Gaúcha, Brasil.
Visual: Cor rubi brilhante, claro.
Olfato: Groselha, café, especiarias.
Paladar: De corpo médio, é um vinho redondo, leve e agradável.
Outras considerações: O que me fez classificar este vinho na última colocação foi a falta de tipicidade em relação à uva Tannat, com a qual ele é elaborado. Trata-se de um bom vinho, leve e bem feito. Porém lembra mais um Cabernet Franc. Tem 11,8% de álcool (ponto para a boa graduação alcoólica).