segunda-feira, 29 de outubro de 2012

O blog conferiu: lançamento do Pêra-Manca 2008 e dos novos espumantes Cartuxa


O enólogo português Pedro Baptista (foto) esteve semana passada no Recife para apresentar ao público a safra 2008 do icônico vinho alentejano Pêra-Manca Tinto. O encontro, promovido pela importadora Adega Alentejana, também foi palco do lançamento da linha de espumantes Cartuxa.

Produzidos na Adega Cartuxa, pertencente à Fundação Eugénio de Almeida, os vinhos têm Denominação de Origem Controlada Alentejo (sub- região de Évora). Marcas como EA, Cartuxa e Foral de Évora fazem parte do portfólio, que de longa data é bastante apreciado pelos consumidores brasileiros. Dos três milhões de garrafas produzidas anualmente pela Fundação, 35% são exportadas para cá.

A importância do nosso mercado é tão grande para eles que a apresentação do novo Pêra-Manca ocorreu simultaneamente no Brasil e em Portugal. “O vinho desta safra ainda tem o que mostrar, mas já possui estrutura para ser bebido”, adiantou Pedro Baptista, antes da degustação do Pêra-Manca 2008.

BORBULHAS - Os espumantes Cartuxa, novidades no catálogo da Fundação, foram mais uma agradável surpresa da apresentação. São um branco e um rosé , ambos brut e elaborados pelo método tradicional (Champenoise). Segundo Pedro Baptista, esse tipo de vinho não é o foco da Adega Cartuxa, mas foi produzido para agregar mais variedade à carta da casa. A produção anual do espumante branco é de seis mil garrafas. Já a do rosado, de quatro mil unidades.

Durante o evento, realizado no restaurante Leite (o mais antigo em funcionamento do Brasil, fundado em 1882), os convidados também puderam provar outros rótulos da Fundação Eugénio de Almeida, tais como os excelentes Cartuxa Reserva Tinto 2008 e Pêra-Manca Branco 2009.

Confira as notas de degustação das novidades:

Cartuxa Bruto Rosé - 2010

Produtor: Fundação Eugénio de Almeida.
Origem: Évora, Alentejo, Portugal.
Visual: Coloração delicada, tipo casca de cebola. Bolhas finíssimas e em quantidade.
Olfato: Elegante, com discretas notas florais e de frutas vermelhas silvestre, como morango e framboesa.
Paladar: Também delicado, com boa acidez e cremosidade, repetindo as características olfativas.
Outras considerações: Elaborado 100% com a casta Touriga Nacional pelo método Champenoise. Tem 12,5% de álcool.

Classificação: Muito Bom/Excelente.

Cartuxa Bruto - 2008

Produtor: Fundação Eugénio de Almeida.
Origem: Évora, Alentejo, Portugal.
Visual: Cor amarelo dourado, com bolhas finas e persistentes.
Olfato: Pão de mel, frutas secas, tostado, fermento.
Paladar: Delicado e com boa acidez, traz de volta as sensações sentidas no nariz. Amanteigado.
Outras considerações: Elaborado pelo método clássico unicamente com a casta Arinto. Teve contato de dois anos com as borras para ganhar complexidade. Sua graduação alcoólica é de 13%.

Classificação: Muito Bom/Excelente.


Pêra-Manca Tinto – 2008

Produtor: Fundação Eugénio de Almeida.
Origem: Évora, Alentejo, Portugal.
Visual: Cor rubi com tons violáceos.
Olfato: Delicado e agradável, com notas de frutas maduras, florais e de tabaco.
Paladar: Repete as impressões do aroma e ganha um toque de café. Redondo, elegante, bem estruturado e fácil de tomar.
Outras considerações: A estrela da apresentação tem em sua composição as uvas Aragonez e Trincadeira, colhidas em vinhas com mais de 25 anos de idade. Amadureceu 18 meses em grandes barris de carvalho francês com capacidade para três mil litros e depois descansou em garrafa nas caves do Convento da Cartuxa. Tem 15% de graduação alcoólica.

Classificação: Muito Bom/Excelente. Vai evoluir com a guarda.


No Recife, os vinhos da Fundação Eugénio de Almeida podem ser encontrados no RM Express. Os lançamentos estarão disponíveis nas prateleiras no início de novembro.