terça-feira, 19 de março de 2013

Campanha Gaúcha: Guatambu e a elegância que vem dos Pampas


A Estância Guatambu é uma empresa que existe há mais de 50 anos. Referência internacional nos ramos de agricultura e agropecuária, está despontando também como um dos importantes produtores de vinhos do país. Este ano, a empresa inaugura sua vinícola na cidade de Dom Pedrito, mas já vem há alguns anos elaborando espumantes e vinhos finos de qualidade.

Eu e um grupo de jornalistas visitamos o local este mês, durante o Projeto Imagem, promovido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), e pudemos conhecer o complexo que a Guatambu está terminando de construir. O belíssimo projeto não deixa nada a dever às vinícolas de primeiro mundo, com equipamentos modernos, arquitetura arrojada e de bom gosto. Tem tudo para se tornar um referencial no Sul do País.

Possuem 22 hectares de vinhedos próprios com solo derivado de granulitos, uma das mais antigas rochas do Rio Grande do Sul, com 2,6 bilhões de anos. A produção, em pequena escala, é supervisionada pela proprietárias, a engenheira agrônoma Gabiela Pötter (na foto, com seus pais), juntamente com o enólogo uruguaio Ariel Pereira. A empresa ainda conta com a consultoria do renomado enólogo também uruguaio. Alejandro Cardozo.

Confira os produtos provados:

Guatambu Extra Brut 2011

Produtor: Guatambu.
Origem: Campanha Gaúcha, RS, Brasil.
Visual: Cor amarelo palha esverdeado. Bolhas finas e persistentes. Boa coroa.
Olfato: Complexo, com notas de pão de mel, leveduras, maçã verde e um leve caráter oxidativo.
Paladar: Leve, elegante e refrescante. Tem boa acidez e final longo. Sabor pronunciado de brioche.
Outras considerações: Elaborado pelo método Champenoise, com a uva Chardonnay. Parte (20%) da bebida passou dois meses em carvalho. Sua graduação alcoólica é de 12,5%. Apenas 3.200 garrafas foram produzidas.

Classificação: Excelente.
Faixa de preço: R$ 52.

Rastros do Pampa Cabernet Sauvignon 2011

Produtor: Guatambu.
Origem: Campanha Gaúcha, RS, Brasil.
Visual: Cor rubi violácea. Lágrimas curtas e abundantes.
Olfato: Fruta vermelha madura, mentol e um toque de couro.
Paladar: Taninos doces. Bem equilibrado. Médio corpo. O sabor revela notas de mel e traz de volta as frutas maduras.
Outras considerações: Além da Cabernet Sauvignon, tem em sua composição 5% da uva Tannat. Passou dois meses em barris de carvalho francês. Tem 13% de teor alcoólico.

Classificação: Excelente.
Faixa de preço: R$ 40.

Luar do Pampa Gewürztraminer 2011

Produtor: Guatambu.
Origem: Campanha Gaúcha, RS, Brasil.
Visual: Coloração amarela dourada.
Olfato: Notas minerais e de pêssego.
Paladar: Amanteigado, com boa acidez. Mostra-se evoluído.
Outras considerações: Não lembra as características usuais da uva Gewürztraminer, com a qual foi elaborado, mas é um vinho muito interessante. Não tem passagem por madeira. Sua graduação alcoólica é de 12,7%

Classificação: Muito Bom.
Faixa de preço: R$ 35.