sexta-feira, 20 de setembro de 2013

O Blog conferiu: a “Diversidade do Chile” em Recife




Por Luciana Torreão

Que o vinho chileno caiu no gosto do Brasil, a gente já sabe há décadas. Contudo, apesar de muitos acharem que o vinho desta nacionalidade é sinônimo de má qualidade, esta é uma realidade que vem mudando já faz tempo. Afinal, a relação custo benefício dos vinhos de lá só vem crescendo. “Hoje podemos encontrar vinhos muito bons a preços muito em conta, e vinhos de grande qualidade que nem são tão exorbitantes assim”, comenta Ricardo Castilho, sommelier, jornalista e diretor editorial da revista Prazeres da Mesa, em degustação guiada de vinhos chilenos, intitulada de “A diversidade do Chile”, durante o Prazeres da Mesa Ao vivo, em Recife – no Senac. A iniciativa foi promovida pela a Wines of Chile, associação responsável por divulgar os vinhos daquela região no mercado mundial.

De acordo com o gerente de Negócios da associação, Claudio Cilveti, esta é a primeira atividade que é feita fora de São Paulo, onde atuam desde 2011. “O Nordeste é um mercado foco para a Wines Of Chile e queremos investir cada vez mais em ações em Pernambuco”. A verdade é que há muito a ser explorado sobre este país.

Na ocasião, foram degustados cinco rótulos: Viña Valdivieso Winemaker Reserva Cabernet Sauvignon 2010, do Vale Curicó (R$61); Viña El principal calicanto Magnum 2009, do Vale do Maipo (R$91,95);Viña Palo Alto Winemaker’s Selection 2009, do Vale do Maule (R$90); Viña Montes Alpha Carmenere 2010, do Vale do Colchagua (R$111,98); e o Viña Maipo Limited Edition Syrah 2008, do Vale do Maipo (R$ 173). Vinhos muito bons que agradam dos mais simples aos mais exigentes paladares dos consumidores.

Ricardo Castilho comenta que o evento em si foi bem interessante, pois foi possível mostrar a diversidade que o Chile está produzindo hoje, com várias regiões e uvas. “Por lá, uvas como a Syrah estão conquistando cada vez mais espaço. Sem falar que o que chamou bastante atenção nesta degustação foi o leque de preços. Do mais barato ao mais caro, mas todos com padrão de qualidade atraente. O grande negócio do Chile é observar isso, qualidade com preço bom”, finaliza Castilho.