quarta-feira, 28 de maio de 2014

Quinta do Crasto une tradição e modernidade no Douro


Pertencente à quarta geração da família fundadora da Quinta do Crasto, Tomás Roquette (foto) traduziu um pouco da paixão de sua família pela elaboração de vinhos, durante uma apresentação realizada na última sexta-feira (23), no Recife, promovida pela Licínio Dias Importação. O encontro aconteceu no restaurante Rui Paula, onde os participantes puderam provar alguns dos rótulos do Crasto harmonizados com um menu especialmente preparado para a ocasião.

Roquette contou que a Quinta, localizada na região do Douro, tem produzido anualmente mais de um milhão de garrafas de vinhos. “Tivemos um crescimento de 20% no ano passado”, explicou ele. Também observou que 70% da produção é exportada, sendo o Brasil o seu principal mercado externo.

Na casa são produzidas diversas categorias de Vinhos do Douro, Vinhos do Porto e Azeites, sempre com a preocupação de se utilizar as castas locais. Em muitos casos, o tradicional método de pisa a pé em lagares ainda é utilizado. Por outro lado, tem buscado aplicar avançadas tecnologias de vinificação, que permitiram à empresa ganhar destacado reconhecimento nacional e internacional.

Confira a avaliação dos vinhos provados:

Crasto Douro Branco 2012


De coloração verde limão, apresenta características minerais, florais e de frutas brancas. De corpo médio, tem boa acidez e sabor que remete às mesmas sensações do nariz, trazendo ainda um leve amanteigado. Elaborado com as variedades Gouveio, Viosinho e Rabigato.

Classificação: Bom/Muito Bom.
Preço: R$ 49,56
Harmonização: vieiras e uvas


Crasto Douro Tinto 2011


Tem cor violácea brilhante. Frutas negras frescas, noz moscada e café são os aromas mais marcantes. Paladar redondo, de corpo médio, com sabor semelhante às características olfativas. Tem em sua composição as castas Tinta Roriz, Tinta Barroca, Touriga Franca e Touriga Nacional. O amadurecimento foi de 95% em cubas de aço inox e 5% em barricas de carvalho francês durante 12 meses.

Classificação: Bom/Muito Bom.
Preço: R$ 49,56
Harmonização: codorna com purê de jerimum

Crasto Superior Tinto 2008


Frutas escuras, especiarias e melaço aparecem no olfato deste tinto feito com as variedades Touriga Nacional, Touriga Franca, Souzão e Vinhas Velhas. Sua coloração é rubi de média intensidade e o paladar traz taninos macios e frescos. A bebida estagiou em barricas de carvalho francês (70%) e carvalho americano (30%) por cerca de 12 meses.

Classificação: Muito Bom/Excelente.
Preço: R$ 80,61
Harmonização: lombinho com batata rosti

Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas 2009


Elegância expressa pelas notas terrosas, de especiarias, frutas frescas e mentol. Um vinho com amadurecimento de 16 meses em barricas de carvalho francês (85%) e carvalho americano (15%), que tem em sua composição cerca de 30 castas provenientes de vinhas com mais de 70 anos de idade. Paladar de bom equilíbrio entre acidez e taninos, com final agradável e prolongado.

Classificação: Excelente.
Preço: R$ 166,14
Harmonização: perna de pato com arroz de cogumelos

Quinta do Crasto Reserva Porto LBV 2006


Elaborado com uvas cultivadas em vinhas com mais de 60 anos, este Porto de cor rubi brilhante envolve notas de ameixas frutas secas, amêndoas e especiarias. O paladar é untuoso, intenso e persistente, reproduzindo as mesmas sensações do olfato. O amadurecimento aconteceu em tonéis de carvalho de 9 mil litros, onde o vinho permaneceu cerca de quatro anos.

Classificação: Muito Bom.
Preço: R$ 95,09
Harmonização: tarte de chocolate

2 comentários

wivini wine disse...

A Quinta do Crasto tem um vinho do porto de excelência como este
http://www.wivini.com/index.php/quinta-do-crasto-lbv-2003.html

Poderá encontra-lo a 12,36€ em www.wivini.com

Cumprimentos

wivini wine disse...

A Quinta do Crasto tem um vinho do porto de excelência como este
http://www.wivini.com/index.php/quinta-do-crasto-lbv-2003.html

Poderá encontra-lo a 12,36€ em www.wivini.com

Cumprimentos