terça-feira, 29 de julho de 2014

Dia 29 é dia de nhoque da fortuna... e de vinho!

É provável que você já tenha ouvido falar que o dia 29 é dia do “nhoque da sorte” ou “nhoque da fortuna”. Mas qual é a origem dessa história?

Diz a lenda que num certo dia 29 de dezembro, na Itália, vestido de andarilho e faminto, São Pantaleão bateu à porta de uma família em busca de comida. Eles eram pobres, mas mesmo assim não se negaram a dividir o jantar. Cada um ficou com sete nhoques. São Pantaleão comeu, agradeceu a gentileza e então foi embora. Para a surpresa da família, ao arrumar a mesa eles perceberam que embaixo de cada prato havia moedas de ouro.


Desde então, tornou-se uma superstição para algumas pessoas comemorar o dia 29 fazendo a seguinte simpatia: coloca-se uma moeda em baixo do prato de nhoque. Então, de pé, a pessoa come sete nhoques fazendo um pedido diferente para cada um. Os pedidos só se concretizam se o dinheiro ficar guardado até o próximo dia 29.

Originário do norte da Itália, o gnocchi, como é chamado por lá, inicialmente era elaborado de várias maneiras. Podia ser à base de farinha de trigo, farinha de arroz ou até de miolo de pão. No século XVI, surgiu o nhoque de polenta. Mas foi por volta dos séculos XVI e XVII que a massa começou a ser feita a partir de batata, como a conhecemos hoje.

E para acompanhar o nhoque, nada como um bom vinho. Seguem algumas dicas para harmonização:

- Para o tradicional molho bolonhesa, a pedida é um vinho tipicamente italiano, como um Chianti.

- Para os molhos mais simples, como tomate e manjericão, vá também de tintos frutados, jovens e de boa acidez. Como um Merlot da Serra Gaúcha.

- Se o nhoque tem molho branco, opte por um branco mais estruturado, como um chardonnay chileno.

Um brinde e boa sorte!