terça-feira, 16 de setembro de 2014

Provamos o vinho laranja de Gravner

Numa degustação entre amigos, um deles nos presenteou com alguns bons rótulos trazidos da Itália. Um deles eu tinha grande curiosidade em provar: o “vinho laranja" do produtor Josko Gravner. A bebida, elaborada na região de Friuli, norte do país, tem como diferencial uma fermentação prolongada em contato com as cascas, realizada dentro de antigas ânforas de barro. Devido a esta maturação, o vinho ganha uma cor alaranjada. Daí o seu apelido de “vinho laranja”.

Quando teve a ideia, Gravner queria simplesmente fazer vinhos diferentes, porém de uma maneira mais natural. As vinhas de onde saem as uvas de sua produção são cultivadas de maneira orgânica, sem a utilização de defensivos agrícolas, e também seguindo práticas biodinâmicas, com a observação dos ciclos lunares.

Atualmente, Gravner possui cerca de 50 ânforas, compradas na Georgia, região do Cáucaso - berço da vitivinicultura. Esses recipientes ficam enterrados no solo da sua adega, onde os vinhos repousam sem controle de temperatura.

Confira a avaliação do rótulo provado:


Gravner Anfora 2006

Tipo: Branco (ou Laranja, se preferir)
Produtor: Gravner.
Origem: Friuli, Itália (com metade dos vinhedos localizados na Eslovênia).
Visual: Cor alaranjada, clara e brilhante.
Olfato: Exótico, envolve notas minerais, de toranja, pimenta, anis estrelado, flores secas e toffee.
Paladar: Bastante seco, traz no sabor algo que lembra erva doce e baunilha, junto com um discreto toque oxidado. Final prolongado.
Outras considerações: Elaborado com uvas brancas da variedade Ribolla Gialla, o vinho fermentou espontaneamente em ânforas de terracota por um período de sete meses. Ainda maturou três meses em carvalho esloveno e foi engarrafado na lua minguante, sem clarificação e filtração. Tem 14,5% de álcool.

Classificação: Hors concours.
Média de preço: No Brasil, R$ 433 [Importadora Decanter]