segunda-feira, 9 de março de 2015

Especialistas provam vinho que passou 151 anos no fundo do mar


"Água salgada e gasolina". Estas foram algumas das descrições que os sommeliers californianos Larry Stone e Paul Roberts fizeram de um vinho resgatado nos destroços de um navio afundado em 1864, durante a guerra civil americana, no arquipélago das Bermudas, Antilhas.

A bebida foi aberta este mês durante o evento gastronômico Winw + Food Festival, em Charleston, na Carolina do Sul, com a participação de cerca de 50 espectadores.

Apesar da garrafa estar intacta, o vinho ganhou uma cor cinzenta e, segundo os especialistas,  um aroma que misturava água salgada, gasolina, vinagre, álcool e notas cítricas.


O público presente à degustação achou muita graça da descrição feita pelos sommeliers, que esperavam encontrar o vinho em condições de tomar.


A garrafa foi uma das cinco recuperadas no Mary-Celestia, navio a vapor que naufragou por causas misteriosas, quando saía com mantimentos das Bermudas e afundou ao bater contra um recife.

1 comentário

Ale Esteves disse...

Fabiana,

com essa cor e esse aroma, eu acho que eu nem me arriscaria a provar.
Mas essa degustacao coloca em dúvida todo aquele projeto de envelhecer vinho debaixo d'água. Claro que o envelhecimento, feito pela Veuve Clicquot por exemplo, é controlado, em profundidade estudada e vai ser deixado por tempo determinado. Mas, eu ficaria bastante triste em provar uma champagne cinza.
Abraço,

Ale Esteves
www.alessandraesteves.com