sexta-feira, 13 de março de 2015

Os vinhos do “Rei do Amarone”

Fundada no final do século 18, a Agricola Masi é uma das mais importantes vinícolas da Itália e uma das marcas de vinho mais admiradas no mundo. São conhecidos como os "Reis do Amarone", por ter aprimorado as técnicas de passificação de uvas utilizadas no Amarone, tradicional vinho da região do Veneto.


Esta semana, pude participar de um curso de vinhos como o enólogo da casa, Vincenzo Protti (foto), promovido no Recife pela importadora Mistral e Casa dos Frios. Na ocasião, os participantes provaram alguns vinhos da marca, inclusive rótulos produzidos pela Masi na região do Tupungato, Argentina.

Seus vinhos são complexos e modernos, mas que preservam a tipicidade local. Quem está à frente do grupo atualmente é Sandro Boscaini, descendentes dos fundadores da Masi. Ele buscou resgatar castas autóctones (nativas) do Veneto e trazer novas técnicas de produção. Em seu vinhedo experimental, possui quase 50 variedades diferentes de uvas para selecionar os melhores clones das castas mais emblemáticas e importantes da região, como a Corvina, a Rondinella, a Garganega, Pinot Grigio e Refosco, entre outras. Com este trabalho, a Masi conseguiu recuperar, por exemplo, a antiga uva Oseleta, que pode melhorar os cortes de vinhos DOC e DOCG da região de Verona.

Confira a avaliação de alguns vinhos provados durante o curso:

Levarie Soave 2011


O nome “Soave” estampado no rótulo, ao contrário do que parece, não significa que o vinho é suave. Ao contrário. Trata-se de uma denominação de brancos secos produzidos na região de Soave, comuna do Veneto. Este foi produzido com uvas Garganega (85%) e Trebbiano di Soave (15%). Sua coloração é amarelo palha com reflexos dourados. O aroma, de média intensidade, revela notas florais, de maçã, mel e algo que lembra amendoim. O paladar é de médio corpo e média acidez, com sabor de frutas secas. Parte do vinho (20%) estagiou em carvalho. Tem 12% de álcool.

Classificação: Bom
Preço: R$ 107,50*

Passo Doble 2011


Já havia comentado este vinho aqui no blog, porém sobre a safra de 2007. É um corte das uvas Malbec (70%) e Corvina (30%) cultivadas na região de Tupungato, em Mendoza, na Argentina. Aliás, a uva Corvina foi introduzida naquele país pela Masi, segundo observou o enólogo Vincenzo Protti. Este tinto tem coloração rubi com traços violáceos. Já no nariz, apresenta bastante fruta madura, notas florais e de especiarias. Paladar de médio corpo, com taninos de qualidade e ótima acidez. Exibe notas de frutas maduras e café. Maturou nove meses em carvalho. A graduação alcoólica é de 13,5%.

Classificação: Muito Bom.
Preço: R$ 79,50*

Campofiorin Rosso del Veronese 2010


Tinto produzido pela técnica de dupla fermentação, que consiste em passificar uma parte das uvas e adicioná-las ao vinho elaborado com uvas frescas. Tem em sua composição as variedades Corvina (70%), Rondinella (25%) e Molinara (5%). Sua cor é rubi de média profundidade com leves traços violeta. O sabor revela notas de cereja, especiarias e couro. Na boca é seco, elegante, repetindo as sensações do aroma. Tem 13% de álcool.

Classificação: Excelente.
Preço: R$ 176,50*

Passo Blanco 2014


Mais um argentino produzido pela Masi na região do Tupungato, na Argentina. Este branco é feito com uvas Pinot Grigio (70%) e Torrontés (30%), onde a Pinot Grigio dá um tom de elegância, integrando-se com a exuberância da Torrontés. Sua coloração é muito clara, com tons esverdeados. Já o aroma envolve notas cítricas, florais, de maçã e erva-doce. Paladar fresco, bem equilibrado e de boa acidez. A graduação alcoólica é de 12,5%.

Classificação: Muito Bom.
Preço: R$ 73,90*

Corbec 2010


Outro interessante corte argentino de Corvina (70%) e Malbec (30%), só que ao contrário do Passo Doble, quem predomina é a uva Corvina, que passa pelo peculiar processo de passificação da Masi. Sua cor é rubi intensa com tons violeta. Frutas maduras, mentol, baunilha, especiarias, café e floral são alguns das características encontradas no aroma. O sabor é encorpado, predominando notas de frutas maduras e chocolate, com final prolongado. A graduação alcoólica é de 14,5%. O vinho maturou 18 meses em carvalho.

Classificação: Muito Bom.
Preço: R$ 315,50*

Costasera Amarone della Valpolicella Classico 2009


Finalmente, um dos Amarone produzidos pela Masi. Apresentou coloração rubi com tons granada, formando muitas lágrimas na taça. Seu rico aroma mostra notas de cereja madura, floral, ameixa, mostarda e mentol.  Paladar elegante, de excelente acidez e persistência. Traz um leve adocicado característico da passificação das uvas. É um Amarone ainda jovem, devendo melhorar com o tempo. Graduação alcoólica de 15%.

Classificação: Excelente.
Preço: R$ 666,50*

*CASA DOS FRIOSAv. Rui Barbosa, 412, Graças, Recife-PE. (81) 2125-0000.

2 comentários

Anônimo disse...

Uau Fabiana... Esse Amarone deve estar um show!!!! In.vino

Anônimo disse...

Passa muito longe de ser o "Rei dos amarones", pioneiro dos amarones ou uma das mais importantes vinícolas da Itália. É muito conhecida! Não mais. Bem como nao produz os Amarones mais tops Mas amarones fáceis de beber.