quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Alta Vista implanta tanques de fermentação inspirados nas teorias de Galileu Galilei


Se você visitou recentemente vinícolas argentinas deve ter percebido a presença, em muitas delas, de tanques de concreto para fermentação de vinhos. Hoje em dia, muitos enólogos estão certos que esse material é ideal para manter intactas no vinho as características do terroir. A Bodega Alta Vista, localizada em Mendoza, resolveu ir mais além e implantou uma nova versão desses recipientes, baseada em antigas teorias: o tanque Galileo, de forma esférica e feito em concreto.

Você deve então estar se perguntando o que raios são esses tanques. Quem explica é Matthieu Grassin, diretor de vinificação Bodega Alta Vista: “Cada tanque tem capacidade para 2.300 litros. Sua forma permite uma temperatura homogênea dentro do toda a superfície, facilitando o controle eficiente da fermentação", diz ele. Além disso, os tanques Galileo oferecem uma melhor relação de superfície de contato entre sólido e líquido. “Quando os sólidos sobem, voltam a afundar graças ao formato da pileta (tanque)”.

O principal benefício que a técnica traz ao produto final é a obtenção de vinhos mais equilibrados e macios. “Na maceração pós-fermentativa, podemos conseguir uma extração de taninos mais constante e igualitária, graças à possibilidade de controlar mais a temperatura e obter vinhos mais redondos”, explica Grassin. Este método será utilizado na vinificação do Alta Vista Single Vineyard, na colheita 2016.

O nome das cubas presta homenagem a Galileu Galilei, um dos primeiros estudiosos a teorizar sobre o heliocentrismo (movimento da Terra em torno do Sol) e sobre o formato esférico da Terra