segunda-feira, 27 de julho de 2015

Apesar da crise, venda de vinho brasileiro cresce


Apesar do momento econômico delicado no país, dados divulgados pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) mostram que o setor vitivinícola brasileiro cresceu 4,6% em vendas neste primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2014. O Incremento na comercialização foi de 4,3% nos vinhos finos, 22,7% nos espumantes e 24,8% nos sucos de uva. O vinho de mesa se manteve estável, com aumento de 3,2% no produto engarrafado

A alta do dólar, segundo o presidente do Conselho Deliberativo do Ibravin, Moacir Mazzarollo, foi um fator que limitou a entrada de produtos importados e, consequentemente, uma maior procura pelo vinho nacional. A divulgação em nível nacional de diversas pesquisas científicas que comprovam os benefícios dos derivados da uva para a saúde também contribuiu para o aumento das vendas.

Seguindo a tendência dos últimos anos, os espumantes e o suco de uva voltaram a apresentar crescimento de vendas. Nos espumantes em geral, um incremento de 22,7%, com a venda de 4,9 milhões de litros. Foram vendidos 3,8 milhões de litros de espumantes brut, demi-sec e prosecco, 23,3% a mais do que o registrado em 2014, e 1,1 milhão de litros de moscatéis, aumento de 20,9%.

"Apesar de uma certa retração na economia, o setor seguiu investindo em tecnologia,  equipamentos e na remuneração da matéria-prima e o consumidor está reconhecendo este salto de qualidade", afirmou o presidente da Federação das Cooperativas Vinícolas do RS (Fecovinho), Oscar Ló. Ele também destacou o aumento significativo dos espumantes e do suco de uva como um reflexo da descoberta da vocação vitivinícola da Serra Gaúcha, maior região produtora do país em volume, para as uvas destinadas à elaboração destes dois produtos.

Confira os números*:
  • No total, o crescimento nas vendas de produtos vitivinícolas no período foi de 4,6%, com a comercialização de 177,7 milhões de litros.
  • Os vinhos tranquilos, incluindo os de mesa e os de variedades viníferas, apresentaram crescimento de 0,37% com a venda de 99,9 milhões de litros;
  • Os espumantes, em geral, tiveram aumento de 22,7%, com a venda de 4,9 milhões de litros;
  • Os espumantes moscatéis cresceram 20,9%, com a venda de 1,1 milhão de litros;
  • Somando vinhos finos e espumantes, foram comercializados 14,1 milhões de litros, um crescimento de 10,2% na comparação com o mesmo período do ano passado.
  • Foram vendidos 9,1 milhões de litros de vinhos de variedades viníferas (vinho fino), ou seja, crescimento de 4,3% na comparação com o primeiro semestre de 2014: Tintos: 7 milhões (3,9%); Brancos: 2 milhões (7%); Rosados: 66,9 mil litros (-18,3%);
  • Na categoria sucos de uva prontos para o consumo, ocorreu aumento de 24,8% em relação aos primeiros seis meses de 2014, com a venda de 49,4 milhões de litros;
  • Os sucos naturais/integrais cresceram 25%, com a venda de 45,3 milhões de litros;
  • Os derivados de sucos de uva (néctar, bebida de uva e preparado líquido para refresco), registram queda de 24,1% com a venda de 1,8 milhão de litros;
  • Foram vendidos 90,7 milhões de litros de vinho de mesa (- 0,01 % em relação ao primeiro semestre de  2014);
  • Outros tipos de vinho, como frisante, base para espumante e licoroso, registraram crescimento de 9,9%.
  • Somando-se todos os tipos de vinhos, foram vendidos 105,9 milhões de litros, aumento de 1,3%.
* Dados provenientes do Cadastro Vinícola, mantido por meio de parceria entre Ibravin, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Secretaria de Agricultura e Pecuária do RS, com Embrapa Uva e Vinho. Os dados são referentes às vinícolas do Rio Grande do Sul.