quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Queijos e vinhos: afinal, quem combina com quem?


Muito se ouve falar na combinação entre queijos e vinhos. Para muita gente, os dois elementos são sinônimo de harmonização. Mas sabia que a experiência pode ficar bem mais interessante se você combinar o tipo queijo com o vinho certo?

Para começar, precisamos classificar os tipos de queijo. Durante uma aula, ouvi do professor Mario Telles Júnior, da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS-SP), uma das definições mais interessantes sobre o assunto. Simples e direto, ele explicou: “os queijos de cabra são os mais ácidos, os de ovelha os mais gordurosos e os de vaca os mais fedidos”.

Uma dica é associar o vinho com o queijo da mesma região. Quase sempre eles se complementam. Os queijos defumados, como provolone, podem “apagar” o sabor do vinho. Para este tipo de queijo, um vinho tinto marcante e com características defumadas, como um pinotage sul africano, pode funcionar.

Existe duas harmonizações clássicas entre queijos e vinhos que não podem deixar de ser citadas:

QUEIJO DE CABRA + SANCERRE: O sabor marcante e característico deste queijo vai bem com estes brancos produzidos na França com a uva Sauvignon Blanc, que são secos, minerais, com aromas de frutas secas e nozes.

ROQUEFORT + SAUTERNES: O gosto bastante salgado e a gordura do queijo harmonizam com a doçura, acidez e untuosidade deste consagrado tipo de vinho francês.

Outras sugestões para os diversos texturas e sabores de queijos são as seguintes:

BRIE: tintos bem leves e frutados, como Beaujolais ou ainda brancos feitos com a uva Sauvignon Blanc combinam com este queijo cremoso.

CHEDDAR AMADURECIDO: Combina tanto com um Bordeaux tinto como com um Porto Tawny.

QUEIJOS AZUIS: Assim como na sugestão do Roquefort, que é um queijo azul, o gorgonzola (que é um pouco menos marcante) pode combinar com vinhos Late Harvest e Porto Tawny.

MUSSARELA: Vai bem com Chardonnays sem passagem por madeira.

PARMESÃO: Italianos como Barolo ou Barbaresco.  Tintos feitos com Cabernet Sauvignon, Malbec ou Tannat também dão conta do recado.

GRUYÉRE E EMMENTHAL: Combinam com brancos feitos com a uva Riesling ou ainda com tintos elaborados com Merlot ou Pinot Noir.

QUEIJOS DE OVELHA: Brancos com leve doçura, como Torrontés e Muscat são indicados.

QUEIJOS PICANTES: A uva branca Gewürztraminer “encara” bem o desafio.

QUEIJOS CURADOS: Harmonizam bem com tintos da Rioja envelhecidos.

Experimente e ou descubra também outras combinações. É uma experiência deliciosa.

Saúde!