sexta-feira, 30 de abril de 2010

Expovinis 2010 - Parte 1

Só pude chegar no 2º dia (28) da Expovinis 2010, considerada a maior feira de vinhos da América Latina, realizada no Expo Center Norte, em São Paulo até ontem (29). Contarei rapidamente as minhas impressões sobre a feira, prometendo passar todos os detalhes dos vinhos degustados em posts seguintes.

Logo na entrada da feira, fiquei bastante satisfeita em encontrar um estande dos vinhos do Vale do São Francisco, onde tive oportunidade de bater um papo com o pessoal da Botticelli e conhecer a nova linha Equilibrium, com destaque para o rótulo Cabernet Sauvignon e Tannat. Aliás, os vinhos brasileiros marcaram forte presença no evento, com vinhos de primeira qualidade.

Passei pelo estande da Cave Geisse, onde pude provar três diferentes espumantes. Entre eles, o muito bom Cave Geisse Nature.

Na Cantu, dei continuidade com os espumantes, tomando dois excepcionais champagnes: o Blue Monopole Heidsieck & Co. Blue Top e o Pomery Blanc de Noirs. Ainda na Cantu, seguimos com três supertoscanos do produtor I Giusti & Zanza: Nemorino 2006, Perbruno 2005 e Belcore 2005, que vale a pena serem experimentados.

Outros rótulos importados pela Cantu são os franceses da Xavier, da qual provei os excelentes Ventoux e Châteauneuf-du-Pape, além de conversar rapidamente com o produtor, Tristan de Pauw (foto). Nos mesmo estande, provamos mais outro vinho de alta categoria, o rosado Chateau de Porcieux, da Cotes de Provence, que foi “Top Ten” na categoria rosé.

Chegamos depois na chilena Viña Ventisquero, onde o enólogo Horacio Fuentes nos apresentou o Chardonnay 2008, do Vale de Casablanca, que está com ótima qualidade, e o elegante Ramirana Reserva Carmenère 2008.

Os amigos Cláudio e Fabrício, da Ingá Vinhos Finos, do Recife, nos levaram até o espaço da Magna Import, onde o pessoal da chilena Emiliana nos apresentou o seu projeto de orgânicos e biodinâmicos de alto nível e controle de qualidade. Dentre os rótulos provados, destacam-se os excelentes Adobe Gewürztraminer 2009 e o Novas Limited Selection Premium Carmenère/Cabernet Sauvignon 2007. Outros vinhos provados e aprovados da Emiliana foram o Winemakers Selection Syrah/Mouvèdre e o excepcional biodinâmico Emiliana Reserva Super Premium Coyam.

Da Viu Manent, na importadora Hannover, provei o Secreto Viognier 2008 e o Viu Manent Chardonnay 2009 - ambos muito bons, além do excelente Viu Manent Malbec 2009. Este último, excelente. Seguimos com uma rápida sequencia do Secreto Pinot Noir 2008, Viu Manent Cabernet Sauvignon 2006, Viu Manent Carmenère 2007, Viu Manent Reserva Malbec 2007 e Viu Manent Single Vineyard Malbec 2006 - todos de boa qualidade.

Resolvi voltar para os brasileiros e provas os novos Almadén, agora produzidos pela Miolo. São vinhos simples, porém de bom custo-benefício. A degustação foi de toda a linha: Sauvignon Blanc 2010, Chardonnay 2010, Rosé Cabernet Sauvignon 2010, Merlot 2009, Cabernet Sauvignon 2009 e Tannat 2009.

Para finalizar a noite, passamos no estande da brasileira Lidio Carraro, que nos proporcionou uma experiência fantástica, fechando o primeiro dia de visitação com chave de ouro. No local, fomos recebidos pelo enólogo Giovanni Carraro (foto) e sua irmã Patrícia. A degustação começou com o excelente Dádivas Chardonnay 2009, o Dádivas Pinot Noir 2009, o também excelente Elos Touriga Nacional/Tannat, o Singular Teroldego 2007, o Merlot 2005 e o Tannat 2006.

Gostaria de registrar a companhia dos amigos que me acompanharam nesta noite de degustações na Expovinis, enriquecendo a ótima experiência: os sommeliers Angelo Bruno (Club Du Vin/The British Country Club), Elton David (Mingus), o chef Roberto Duran (Couvert), o Maitre Gilberto (Mercado 153) e o enófilo Felipe.