segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Vinte verdades sobre vinhos

Este é o tema da minha coluna da edição de fevereiro da querida revista Mon Quartier. São vinte pequenas dicas que podem ajudar o leitor a entender algumas questões relacionadas ao vinho. Confira:

1. Nem todo vinho melhora com o tempo. Apenas os grandes tintos evoluem com o passar dos anos.

2. O esmagamento das uvas com os pés é muito pouco utilizado hoje em dia. Somente algumas vinícolas, principalmente em Portugal, ainda utilizam a técnica.

3. As videiras gostam de solos pobres, pois assim vão mais fundo para buscar os nutrientes e minerais que darão qualidade ao vinho.

4. Barris são usados para fermentação e amadurecimento do vinho. Normalmente são feitos de carvalho, madeira que pode conferir aromas e sabores à bebida.

5. Diz-se que o vinho é adstringente quando ele nos faz salivar depois de tomado. Nos tintos, a reação está relacionada à quantidade de taninos presentes.

6. Taninos são substâncias encontradas na casca e nas sementes da uva que ajudam a estruturar os vinhos tintos.

7. Os verdadeiros conhecedores e apreciadores de vinhos gostam tanto de tintos quanto de brancos, rosés, vinhos doces e espumantes.

8. Rosés são feitos de uvas tintas. Na sua elaboração, passam pouco tempo em contato com as cascas, ganhando uma coloração mais clara.

9. Os vinhos mais simples e os de garrafão não são produzidos com uvas viníferas (Vitis vinifera) e sim com uvas de mesa, que também servem para fazer suco.

10. O vinho fica melhor quando tomado na taça adequada.

11. Nenhum vinho tinto deve ser bebido a mais de 20ºC.

12. A palavra "cru", nos vinhos franceses, está associada à qualidade do vinhedo.

13. "Blanc de Noirs" é um vinho branco produzido com uvas tintas.

14. Varietal é um vinho com uma única variedade de uva.

15. A palavra assemblage é usada para definir o vinho que tem várias uvas em sua composição.

16. DOC e DOCG são termos franceses usados no Velho Mundo para indicar Denominação de Origem Controlada (DOC) e Denominação de Origem Controlada e Garantida (DOCG).

17. Enófilo é o apreciador de vinhos.

18. Enólogo é o profissional formado responsável pela produção do vinho.

19. “Reserva” é uma classificação espanhola, também usada no Brasil, relacionada ao tempo de maturação do vinho.

20. “Reservado” não é uma denominação oficial, mas sim uma “jogada” dos chilenos para tentar vender vinhos de qualidade inferior em mercado estrangeiro.

2 comentários

Portela disse...

Adorei seu blog. Sou iniciante na enofilia. Abraços!

Portela disse...

Muito bacana seus posts. Parabéns!