segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Oz Clarke e mais quatro jornalistas críticos de vinhos internacionais estão no Brasil

Foto: Giovani Capra/Embrapa Uva e Vinho
Um dos mais famosos críticos de vinhos do mundo, o britânico Oz Clarke, está no Brasil pela segunda vez para conhecer mais sobre a produção vitivinícola nacional. Ele e mais quatro jornalistas internacionais integram o grupo do Projeto Imagem, doWines of Brasil, projeto de promoção comercial dos vinhos finos brasileiros no mercado externo, realizado em parceria entre o Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). São eles: Michael Desimme e Jeffrey Joseph Jenssen, dos Estados Unidos; Antti Uusitalo, da Finlândia; e Frank Kaemmer, da Alemanha.

De hoje (14) até a próxima sexta-feira (19), eles visitarão 11 vinícolas na Serra Gaúcha: Miolo, Pizzato, Casa Valduga, Don Laurindo, Aurora, Don Giovani, Geisse, Lidio Carraro, Boscato, Perini e Salton – todas integrantes do Wines of Brasil. Ainda fazem parte da programação degustações de vinhos das vinícolas Irmãos Basso, Piagentini, Adega Cavalleri, Campos de Cima e Courmayeur e das cantinas do Planalto Catarinense (Santo Emílio e Sanjo), além de uma visita à Escola de Gastronomia UCS-ICIF, situada em Flores da Cunha.

Na sexta-feira (19), às 16h, na sede do Ibravin, haverá um painel reunindo os cinco jornalistas, que falarão sobre as suas impressões a respeitos dos vinhos brasileiros aos produtores e demais interessados.

O roteiro de visitas foi aberto hoje (14) pela manhã, na Embrapa Uva e Vinho, pela gerente de Promoção Comercial do Wines of Brasil, Andreia Gentilini Milan, que forneceu uma visão geral da produção brasileira de vinhos. Depois, o pesquisador da Embrapa, Mauro Zanus, falou sobre as diversas regiões produtoras de vinhos do Brasil e realizou uma degustação de três espumantes (Chardonnay da Garibaldi, o 130 da Casa Valduga e o Moscatel da Monte Paschoal) e de três vinhos experimentais (Merlot, Cabernet Sauvignon e tannat) da própria Embrapa.

Garanto que boas notícias virão!