segunda-feira, 15 de julho de 2013

Um dia em Champagne

Coluna Escrivinhos, Revista Mon Quartier, edição de julho de 2013

Para quem gosta de vinho espumante e está programando ou pensa em fazer uma viagem para a França, uma dica imperdível é dar uma esticada até a região de Champagne. Localizada a apenas 150 quilômetros ao leste de Paris, a “Meca” dos espumantes de alta qualidade está recheada de bons motivos para ser desvendada.

O trajeto pode ser feito nos trens de alta velocidade franceses, os TGV, que além de rápidos são confortáveis; de carro ou ainda de ônibus, em excursões guiadas. Comece a visita pela cidade de Reims, onde a maior atração turística é a sua catedral gótica (foto). Trata-se de um dos primeiros monumentos classificados como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco.

Lá, foram coroados 29 reis da França entre os anos de 1027 e 1825. Esta cidade histórica presenciou a última vitória de Napoleão, em 1814. Foi em Reims que aconteceu também a assinatura da rendição alemã na segunda Guerra Mundial.

Naquela cidade, os apaixonados por Champagne têm uma infinidade de opções de prestigiadas “maison” para conhecer. Algumas boas opções são Pommery, Veuve Clicquot, G.H. Mumm, Ruinart e Taittinger, entre outras.

Uma dessas que tive a oportunidade de visitar foi a G.H. Mumm, que elabora o champagne oficial da Fórmula 1 (aquele com o qual os pilotos comemoram no pódio). Suas caves têm capacidade para armazenar 25 milhões de garrafas. São impressionantes 25 quilômetros de adega subterrânea, com 14 metros de profundidade, onde a temperatura natural é de 10°C.

Outra localidade imperdível na região é Epernay. Considerada a “capital do champagne”, é a cidade que tem maior renda per capita da França. Essa riqueza pode ser conferida em um passeio pela Avenue de Champagne, com suas belas mansões e considerada uma das avenidas mais ricas do mundo.

Em Epernay, a dica é visitar produtores como a Moët & Chandon, De Castellane e Mercier. Conheci a Moët & Chandon e fiquei realmente encantada com toda a sua história. Fundada em 1743, pertence atualmente ao grupo LVMH (Louis-Vuitton-Moët-Hennessy), o maior produtor de artigos de luxo do mundo. Suas caves estão instaladas a 12 metros de profundidade, escavadas em solo calcário. É a Moët & Chandon que produz o célebre champagne Dom Pérignon, nome dado em homenagem ao monge francês que descobriu a bebida. História, que por sinal, é bastante interessante. Ficou curioso(a)? Numa próxima eu a conto direitinho por aqui.

Saúde!