terça-feira, 28 de maio de 2013

O blog degustou: supertoscanos da Tenuta Sette Ponti


Semana passada, fui convidada pela distribuidora Lacomex para mais uma degustação de vinhos italianos. Desta vez, em parceria com a importadora World Wine, eles trouxeram ao Recife Stefano Maginni (foto), diretor de exportação da Tenuta Sette Ponti. A vinícola, localizada no coração da região demarcada de Chianti, na Toscana, recebeu este nome em referência às sete pontes que cruzam Rio Arno, de Arezzo até Florença.

A propriedade pertencia às princesas Margherita e Maria Cristina di Savoia D’Aosta. Posteriormente foi comprada pela família Moretti, que começou a cultivar vinhas em 1957. Suas uvas eram vendidas a outros produtores até o ano de 1997, sendo um deles o renomado Antinori. Depois disso, Antonio Moretti decidiu valorizar a qualidade da sua produção e elaborar o seu primeiro vinho, o Crognolo.

No ano de 1999, ele adquiriu uma propriedade em Maremma, chamada de Poggio al Lupo (colina do lobo). Em seguida, comprou na região de Bolgheri a propriedade Orma, vizinha dos grandes nomes da Toscana Sassicaia e Ornellaia.

Atualmente, a Tenuta Sette Ponti possui 300 hectares de vinhedos, sendo o mais antigo do ano de 1935.
Confira as minhas impressões sobre os belos vinhos provados na degustação, que aconteceu no restaurante La Douane:

Crognolo IGT 2009

Produtor: Tenuta Sette Ponti
Origem: Toscana, Itália.
Visual: Cor rubi claro. Límpido, transparente e brilhante.
Olfato: Presença de frutas vermelhas frescas, especiarias, eucalipto e notas tostadas.
Paladar: Repete as características do nariz, apresentando uma rica estrutura e ótima acidez.
Outras considerações: Segundo Stefano Maggini, este tinto é “a melhor expressão da variedade Sangiovese” (foi elaborado com 90% dela e mais 10% de Cabernet Sauvignon). Sua maturação foi de 14 meses em barricas francesas e mais seis meses em garrafa.

Classificação: Muito Bom/Excelente.
Faixa de preço: R$ 121

Orma IGT 2008

Produtor: Tenuta Sette Ponti
Origem: Toscana, Itália.
Visual: Cor rubi claro. Límpido, transparente e brilhante.
Olfato: Notas de frutas vermelhas frescas, floral, delicada madeira e mentol.
Paladar: Possui ótima acidez e sabor apimentado, com madeira bem integrada ao conjunto.
Outras considerações: Mescla das variedades Merlot (50%), Cabernet Sauvignon (30%) e Cabernet Franc (20%), com passagem de um ano em carvalho francês e mais um ano em garrafa. Seus vinhedos são vizinhos dos célebres Sassicaia e Ornellaia.

Classificação: Excelente (o melhor da degustação, em minha opinião).
Faixa de preço: R$ 245

Oreno IGT 2009

Produtor: Tenuta Sette Ponti
Origem: Toscana, Itália.
Visual: Rubi claro, brilhante.
Olfato: Proporciona aromas de frutas frescas, especiarias e melaço.
Paladar: Elegante, equilibrado e apresenta final prolongado. O sabor remete a notas tostadas, de café e de pimenta do reino.
Outras considerações: Na sua composição entram as uvas Merlot (50%), Cabernet Sauvignon (40%) e Petit Verdot (10%). O vinho amadureceu 18 meses em carvalho francês e mais um ano em garrafa antes de sair para o mercado.

Classificação: Excelente.
Faixa de preço: R$ 283

SERVIÇO:
Lacomex
:: Rua José da Silva Lucena, 273, Imbiribeira, Recife | (81) 3081-2131
:: Av. Rui Barbosa, 1105, Graças, (dentro da concessionária Toyolex), Recife | (81) 3038.4682

3 comentários

Felipe disse...

Olá! E o Poggio al Lupo?
Estive na mesma degustação aqui no Rio de Janeiro, com o pessoal da WW, realmente são vinhos maravilhosos.

Abraço.
Felipe.

Fabiana Gonçalves disse...

Estava bouchonné, Felipe. Por isso nem comentei...

Abraço,
Fabiana

Felipe disse...

É um belo vinho também, o menos italiano dos 4. Na minha opinião ficaria em quarto, e pelo que li de suas impressões, acho que a perda não foi tão grande assim, rs. Discordamos apenas no primeiro lugar: fiquei com o Oreno.
Abraços e bons vinhos!