segunda-feira, 28 de março de 2016

Sobrou chocolate? Harmonize com vinho!


A Páscoa passou e você ficou cercado de chocolate por todos os lados? Não se desespere! Guarde-os para uma oportunidade de harmonização com o vinho apropriado. Resolvi ajudá-los, relembrando algumas dicas de como combinar com esta iguaria adorável com vinhos.

Muita gente acha que chocolate não harmoniza com vinho. Mas tudo depende do tipo de rótulo escolhido e qual chocolate vai acompanhá-lo. Para começar, um dos princípios básicos de harmonização é que a doçura do vinho deve ser maior ou igual à da comida - conceito que Mario Telles Júnior, médico e diretor da Associação Brasileira de Sommeliers - São Paulo (ABS-SP) nunca deixa de frisar.

Então, nem pense em degustar um vinho branco ou tinto leve com uma daquelas barras ao leite, pois a doçura do chocolate vai fazer o vinho “sumir” na sua boca. Use vinhos alcoólicos (fortificados), como Porto ou Jerez doce. Se quiser dar um toque interessante à combinação, use elementos ácidos, como frutas, para acompanhar a mistura.

O vinho que é considerado a companhia ideal para o chocolate é o francês Banyuls. Produzido na fronteira com a Espanha, no Languedoc-Roussillon, é feito com a uva Grenache. Geralmente tem coloração escura, muito álcool e, dependendo do seu processo de elaboração, mostra aromas de frutas secas, cacau e especiarias. Também pode apresentar um cheiro sutil de licor de cereja. Porém, não é um vinho muito comum de encontrar no Brasil. Caso tenha oportunidade, prove o Banyuls do produtor M. Chapoutier.

Quanto aos vinhos do Porto, opte pelos os do tipo Ruby ou Tawny. Eu, particularmente, gosto mais com a segunda opção. O produtor Dow’s produz um rótulo feito especialmente para harmonizar com chocolate, o Nirvana. Inclusive, já falei sobre ele por aqui (relembre).

Uma outra excelente opção é o Jerez, tradicional vinho fortificado espanhol. Experimente com os do estilo doce, de preferência Cream ou Pedro Ximénez. Aliás, uma das melhores combinações entre vinho e chocolate que fiz foi com o Antique Pedro Ximénez, da Bodega Rey Fernando de Castilla.

Querendo experimentar outras combinações, siga os princípios básicos e delicie-se. Mas vá com moderação!